NESSE MOMENTO O BRASIL PRECISA

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A CRISE DA CIÊNCIA NO BRASIL


A NOVA ORDEM E OS MOVIMENTOS DE RUA - A ORDEM ÚTIL


Milton Pires

Dito já foi, faz muito tempo, que a suprema capacidade da razão de um homem é a síntese; não a análise. Subscrevo tal frase e lamento, desde o início, que o presente texto peque justamente por tentar fazer o contrário. Afirmo serem os tempos de crise, as situações de caos e de guerra, que impõem aquilo que costuma ser chamado pelos nossos congressistas como “inversão de pauta”.
Não é meu objetivo aqui fazer uma análise geral da conjuntura política do Brasil no Regime Petista. Recorro a um conhecido chavão dizendo imediatamente que “em tempo de guerra a primeira vítima é a verdade” e afirmo ainda ser meu objetivo criticar não o PT, mas aqueles que se apresentam, cada vez mais, como “vozes da sociedade” contra ele.
Desde 2014, toda capacidade de mobilização, todo “esforço de guerra” contra o PT nas ruas do Brasil, concentrou-se na ação de três movimentos: “Vem Pra Rua”, “Revoltados Online” e “Movimento Brasil Livre”. Aquilo que diz respeito as suas origens, lideranças e diferenças pouco importa ser mencionado , mas as suas semelhanças – estas sim – me interessam e sobre elas passo agora a discorrer. Afirmo ser ponto comum a verdadeira ojeriza, o verdadeiro sentido de “pânico” e, diria eu, até de nojo, que a lembrança dos militares causa nestas pessoas. A mera menção, o mais simples aceno ou questionamento a respeito da eventualidade de uma intervenção militar no Brasil, causa nessa gente uma descarga de adrenalina que nós, médicos, conhecemos na fisiologia como “reação de fuga ou luta”. Digo ainda, quase sem necessidade, que o espaço que estes movimentos alcançaram na mídia (principalmente na Revista VEJA) não pode ser igualado por nenhum outro opositor ao PT no país e que os senhores Kim Kataguiri, Marcello Reis e Rogério Chequer, comungam com Reinaldo Azevedo, Marco Antônio Villa e tantos outros que insistem em falar em “Estado de Direito”, em “preservar as instituições” e a “democracia” quando se trata de combater o PT. Apresentam-se sorridentes, com gente jovem e bonita, com camisetas amarelas e caras pintadas. Cantam, dançam e celebram uma alegria diferente que não pode ser encontrada naqueles que são os “raivosos da extrema direita” e que “querem a volta da Ditadura Militar”, não é mesmo ??
Não tenho mais o que dizer no sentido de criticar a “tese da institucionalidade”. Cansei de escrever sobre o fim da democracia no Brasil e sobre a impossibilidade de parar uma revolução “usando a lei”. Não pretendo, tampouco, fazer deste artigo uma defesa da intervenção militar no Brasil mas quero afirmar, com todas as letras possíveis, que foi uma barbaridade, uma verdadeira traição àqueles que estiveram nas ruas em quinze de março, doze de abril e dezesseis de agosto, não convocar, oficialmente, manifestação alguma para o dia sete de setembro. Digo que os líderes dos três grandes movimentos tomaram tal decisão em conjunto, que não o fizeram por acaso e que tem, como principal motivo, a ideia de “não serem confundidos com o pessoal da intervenção” e os soldados que vão desfilar nas paradas militares. Afirmo que tal decisão foi tomada por orientação não só de agentes políticos mas também de agentes PARTIDÁRIOS e que acaba de surgir no Brasil um terceiro tipo de pessoa que não suporta falar em forças armadas – os “libertários” (os dois primeiros eram os comunistas e os marginais). Como libertários defino eu todos aqueles brasileiros que se dizem contrários à agenda política e econômica do PT mas seguem, rigorosamente, sua agenda cultural. Digo que essa gente é representada, partidariamente, pelo “Novo”, que sua expressão nas ruas é dada pelos três grandes movimentos que citei, que sua base econômica é o PSDB e que sua voz na imprensa é a Revista VEJA.
Chega ! Desta vez não seremos enganados: o PSDB é o PT usando gravata! O Partido Novo é o Velho PSDB que, contra o PT, só tem diferença nos métodos; não nos objetivos. A social democracia é uma filha “patricinha” de Karl Marx e foi ela quem colocou Lula no poder aqui no Brasil.
Durante muito tempo eu acreditei que nada poderia ser mais triste do que um país que esquece seus soldados. Eu estava enganado: um país que tem VERGONHA deles é muito pior. Estamos combatendo o PT nas ruas seguindo gente que tem vergonha de falar em Forças Armadas ou Desobediência Civil, que não quer nem mesmo estar perto dos intervencionistas e que está aplicando com sucesso, nos manifestantes, a tática de “deixar sangrar” que o PSDB aplicou no PT em 2005 por ocasião do Mensalão.
É imperdoável o fato do “Vem Pra Rua”, do “Movimento Brasil Livre” e do “Revoltados Online” não terem organizado manifestações em nível nacional para o dia sete de setembro. Isto demonstra a distância que existe entre eles e a noção de cidadania, de patriotismo e de respeito necessárias para individualidade do Brasil como nação – conceito que nada pode significar para quem tem uma agenda cultural internacional.
O PT é um partido comunista, revolucionário, financiado e financiador do tráfico de drogas, braço nacional do Foro de São Paulo e que não pode ser varrido do poder pelos meios tradicionais. Os “movimentos de rua” contra o PT não tem interesse em acabar com o Foro de SP nem com a agenda cultural esquerdista na América Latina. Eles não são a “Nova Direita” e não vão estar nem com os militares nem com os civis na luta contra o PT: seu compromisso é com a “social democracia” e eles só saem às ruas quando a Revista VEJA e o Partido Novo “deixam”.
Chegou a hora do Partido Novo e dos “movimentos” aprenderem que são eles quem deve seguir os brasileiros nas ruas; não o contrário. O país encaminha-se a passos largos para Desobediência Civil e aqueles que defendem a intervenção militar nada tem contra isso pois é a partir dela que as Forças Armadas tomarão a iniciativa de agir. A defesa da ordem, neste momento, interessa a classe política; não a população brasileira. A nova ordem social dos movimentos de rua e do Partido Novo é a ordem ideal do PT, do Congresso Nacional e de um STF de corruptos – A Ordem Útil. Essa nós não vamos mais tolerar em silêncio.

Porto Alegre, 27 de agosto de 2015.

ANÚNCIO DE EMPREGO 2


ANÚNCIO DE EMPREGO 1


SETE DE SETEMBRO


GREVE GERAL


BOICOTE AOS CANALHAS


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

EXPLOSÃO EM TANQUES DA PETROBRAS NO ES

26/08/2015 11h01 - Atualizado em 26/08/2015 18h53

Duas pessoas morrem em explosão de caldeira no ES, diz BR Distribuidora

Mortes foram confirmadas pela empresa, na manhã desta quarta-feira (26).
Acidente aconteceu na região do Porto de Tubarão, em Vitória.

Rodrigo RezendeDo G1 ES
  •  
Tanque explode em área da Petrobras (Foto: VC no ESTV)Tanque explode em área da Petrobras (Foto: VC no ESTV)
Dois trabalhadores morreram após a explosão de uma caldeira de vapor da BR Distribuidora, por volta das 10h50 desta quarta-feira (26). O acidente aconteceu no Terminal de Granéis Líquidos (TGL), que fica entre os terminais de carga e descarga da Petrobras, na região do Porto de Tubarão, em Vitória, Espírito Santo. A informação foi confirmada pela BR Distribuidora ao meio-dia.
A fumaça negra e densa que saiu da região do Porto de Tubarão foi registrada por muitas pessoas nesta manhã (assista ao vídeo).
G1 procurou a Vale, que fica na região da explosão, e a empresa informou que o incidente ocorreu em uma área administrada pela Petrobras.
Em nota, a Petrobras Distribuidora informou que instaurou uma comissão de investigação que já iniciou os trabalhos para apuração das causas da explosão.
A empresa esclareceu que o acidente ocorreu durante manutenção programada da tubulação de óleo combustível do tanque de alimentação da caldeira.  A ocorrência foi controlada pelas equipes de emergência e Corpo de Bombeiros, não houve vazamento e não há risco para a população.
As duas vítimas são: Rubens Pereira Santos, de 43 anos; e Ademilton Florêncio Burini, de 35 anos. Outro prestador de serviço e três empregados da Petrobras Distribuidora foram encaminhados a um hospital, para exames complementares e já foram liberados.
A BR esclarece que o acidente não ocorreu na caldeira, que estava fora de operação. A Petrobras Distribuidora lamenta o ocorrido e está prestando apoio às vítimas e suas famílias.
Bombeiros trabalham em área de explosão de caldeira (Foto: VC no ESTV)Bombeiros trabalham em área de explosão de
caldeira (Foto: VC no ESTV)
Sindicatos
Segundo o Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro), após a explosão, foi acionada a emergência da Vale, que chamou o Corpo de Bombeiros. No local, os equipamentos foram desligados e a região, evacuada. "Foi acionado um alarme e os trabalhadores seguiram para a rota de fuga em direção a um local seguro", diz o órgão.
O Sindipetro explicou que, “quando ocorre um acidente de alto potencial, deve ser instaurada uma comissão entre as Cipas, o sindicato e a empresa para apurar o que aconteceu. Caldeira é um lugar perigoso e normalmente o trabalhador atua com insalubridade”. O sindicato diz que vai aguardar a comissão para apurar o que houve.
Segundo o Sindicato do Comércio de Minério e Derivados de Petróleo (Sintramico), as vítimas são dois funcionários da terceirizada JB, que presta serviço para a BR Distribuidora. “Já havia pedido a fiscalização do Ministério do Trabalho contra a terceirização do serviço na região. O sindicato acredita que para o serviço é preciso ter um conhecimento mais técnico e um controle mais rígido”, disse Jean Ferreira, representante do Sintramico.
Jean ainda disse que uma terceira vítima foi levada para o hospital da Vale. A informação ainda não foi confirmada com a empresa.
Registro
Um técnico de segurança registrou a imagem da caldeira que explodiu. Ele pediu para não ser identificado e informou que pessoas relataram que sentiram o impacto da explosão, nas proximidades de Jardim Camburi, em Vitória.
Fumaça vista de Camburi, em Vitória (Foto: VC no ESTV)Fumaça vista de Camburi, em Vitória (Foto: VC no ESTV)
Fumaça vista do trem da Vale (Foto: VC no ESTV)Fumaça vista do trem da Vale (Foto: VC no ESTV)
  •  
Fumaça preta na Vale é vista no final da Praia de Camburi (Foto: VC no ESTV)Fumaça preta na Vale é vista no final da Praia de Camburi (Foto: VC no ESTV)
  •  
Fumaça preta densa é registrada por moradores de Jardim Camburi (Foto: VC no ESTV)Fumaça preta densa é registrada por moradores de Jardim Camburi (Foto: VC no ESTV)
  •  
Fumaça preta é registrada saindo da Vale (Foto: VC no ESTV)Fumaça preta é registrada saindo da Vale (Foto: VC no ESTV)

EXPLOSÃO DE TANQUES DA PETROBRAS NO ES - imprensa vagabunda petista em silêncio

* Blast is 3rd fatal 2015 Petrobras mishap in Espirito Santo state
* Fire at miner Vale's Port of Tubarão quickly controlled
Aug 26 (Reuters) - A heating unit at a Petrobras depot in Brazil used to treat fuel for ocean-going ships exploded on Wednesday, killing two workers, the state-run oil company said in a statement.
The blast and resulting fire broke out about 10 a.m. (1300 GMT) while workers were doing planned maintenance on the heating unit, said the press office of BR Distribuidora SA, the fuels distribution unit of Petroleo Brasileiro SA, as Petrobras is formally known.
The heating unit is used to raise the temperature and reduce the viscosity of bunker fuel, a heavy, sludgy refined petroleum product similar to heating oil. Heating the fuel makes it easier to load aboard ships.
The fire at the naval-fuels depot at the Port of Tubarão near Vitória, Brazil, was brought under control by on-site firefighters and presents no immediate risk to anyone in the vicinity, BR Distribuidora said in a statement. The names of the dead workers were not immediately available, it said.
The fire is the third fatal accident this year at facilities owned by or operated on behalf of Petrobras in Brazil's Espirito Santo state, the country's second-highest oil and natural gas producer after neighbor Rio de Janeiro. Combined, the accidents have killed 13 and injured at least 26.
The accident comes just over a week after the board of Petrobras approved a plan for an initial public offering of up to 25 percent of the stock in BR Distribuidora, Brazil's largest service-station operator and fuels distributor.
The vote to approve the sale was opposed by Chairman of the Board Murilo Ferreira, who said the company needed to improve its management before a sale could be set.
Ferreira is also the chief executive officer of Vale SA , the mining company that owns the Port of Tubarão, Brazil's largest port by tonnage moved.
The fuels unit at Tubarão supplies the bunker fuel needed for vessels including the giant dry-bulk carriers that ship Vale iron ore at the port.
In February an explosion on the Cidade de São Mateus, an offshore oil and natural gas production ship operated on behalf of Petrobras by Norway's BW Offshore Ltd, killed nine and injured 26.

Two workers on a pier operated by Petrobras shipping unit Transpetro were killed in July when scaffolding at the site, in Aracruz, also in Espirito Santo state, collapsed into the ocean. (Reporting by Jeb Blount; Editing by Christian Plumb)

A ADVOGADA DO PT NO TSE

Mais uma vez nós seremos motivo de piada no mundo inteiro. Não vai ter advogado, juiz ou promotor que não fique perplexo com a informação de que um eventual processo de cassação de mandato de presidente da república seja julgado por uma juíza que trabalhou como sua advogada na campanha cujas contas vão ser julgadas.