quinta-feira, 5 de maio de 2016

D-Day

MARINA VAI AO STF CONTRA O IMPEACHMENT

Comandante do "Khmer Verde". Marina Silva, foi ao STF para pedir a ANULAÇÃO DE TODO PROCESSO DE IMPEACHMENT contra Dilma Rousseff.

JUSTIÇA BRASILEIRA PARA ESTRANGEIROS 2


A NECESSIDADE DE UM "FATO NOVO"

Desde o dia 17 de abril até HOJE o PT vinha em franca derrocada. O desespero deles era flagrante. Os marginais precisavam, a todo custo, de um "fato novo" capaz de deter a velocidade do impeachment. Hoje eles conseguiram - foi um presente do Ministro Teori Zavascki ao suspender Cunha das suas funções. Só há, neste momento, uma FORÇA no Brasil capaz de imprimir velocidade novamente na "coisa da toda" de maneira que, na próxima quarta-feira, a votação no Senado aconteça e a marginal Dilma seja afastada.
O nome dessa força é "Operação Lava Jato"
Digo portanto que a Polícia Federal e a Força tarefa tem de hoje até quarta-feira para apresentar (à Nação, não aos canalhas petistas do STF) outro fato que não deixe dúvida da necessidade de derrubar esta BANDIDA do Governo Brasileiro e liquide o trabalho do quadrilheiro petista José Eduardo Cardozo para SEMPRE.

UM BOM DIA DIFERENTE PARA SÍLVIO COSTA

Faz muito tempo que eu não dava "bom dia" com tanto prazer
(Bandido disfarçado de deputado, Sílvio Costa, líder da tropa de choque petralha mandando uma mensagem para o pessoal que pensa que "Teori desarmou uma bomba")

Teori Zavascki - O Juiz que "Desarma" Bombas

"Teori desarmou golpe do STF"....É, faz sentido...
Amanhã pela manhã, com o "golpe desarmado" pelo Teori, o Cardozo está entrando com ação no STF para impedir a votação do senado no dia 11..rsss

Lawmaker's Removal Adds to Brazil's Turmoil

Lawmaker's Removal Adds to Brazil's Turmoil: José Eduardo Cardozo, the Brazilian solicitor general, explained that Eduardo Cunha, a lawmaker who led the impeachment process against President Dilma Rousseff, had been told to step down for misuse of his power.


MPF convoca entrevista coletiva de surpresa para esta sexta-feiras

MPF convoca entrevista coletiva de surpresa para esta sexta-feiras:

O jornalista Claudio Tognolli, Rádio Jovem Pan, informou hoje que o os bandidos do Petrolão desviaram R$ 22 bilhões da Petrobrás, segundo contas de hoje do MPF de Curitiba.

Na mesma fala, Tognolli revelou que nesta sexta-feira o MPF concederá coletiva em hotel do centro de Curitiba para jornalistas de todo o Brasil, mas não quis dizer do que se trata. Os procuradores avisaram que não permitirão que TVs e rádios fazer transmissões ao vivo.

Será as 14h.

- Claudio é muito bem informado e possui ligações fortes no MPF e na PF, pelo menos desde que escreveu com Tuma Júnior os volumes I e II de "Assassinato de Reputação". CLIQUE AQUI para ver e ouvir. 

REGISTRO PARA HISTÓRIA.


BRASIL PARA ESTRANGEIROS 3. Neste momento, no Brasil, está acontecendo o seguinte:

1. O Senado está reunido para derrubar a Presidente da República

2. O STF está reunido para derrubar o Presidente da Câmara.

3. O Procurador Geral da República pediu o indiciamento criminal da Presidente.

4. O ex-presidente está dentro de um hotel, bêbado, em Brasília, tramando uma Guerra Civil.

Tirando isso está tudo bem aqui no Brasil...

Jornalista do Estadão diz que Lewandowski e Marco Aurélio queriam usar ação da Rede para melar impeachment contra Dilma

Jornalista do Estadão diz que Lewandowski e Marco Aurélio queriam usar ação da Rede para melar impeachment contra Dilma:
eles.jpeg
A decisão do ministro Teori Zavascki de afastar o deputado Eduardo Cunha foi amadurecida durante a madrugada e teve o objetivo de desativar uma bomba preparada pelos ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello que, segundo análises de juristas, poderia implodir o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e a posse do vice Michel Temer.

Isto é o que publica hoje a colunista Eliane Cantanhêde, Estadão.

Leia mais:

Lewandowski e Mello puseram em votação hoje à tarde a ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental), de autoria da Rede de Sustentabilidade, que, além de pedir o afastamento de Eduardo Cunha, determinava simultaneamente, segundo interpretação de outros ministros, a anulação de todos os seus atos no cargo – e, por conseguinte, o acatamento do pedido de impeachment de Dilma.


Zavascki se irritou e outros ministros estranharam que Mello tenha aceitado relatar a ADPF da Rede, quando o natural seria que a enviasse para ele, que relata o caso Cunha desde dezembro. E as suspeitas pioraram quando Mello acertou com o presidente Lewandowski para suspender toda a pauta de hoje no plenário para se concentrar nessa ação.