"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

CANARINHO NA MINA DE CARVÃO.

Todo mundo, até eu mesmo, já se convenceu de que somos o “povo que deixa tudo para última hora”. Pagamento de imposto de renda, compra de entrada para futebol, inscrição no vestibular...a lista não tem fim. Deixar coisas para serem resolvidas perto do último minuto parece nos fazer bem. De certa maneira, imagino que ajuda a confirmar a aparência de povo “tranquilo” e que não se “estressa”, não é mesmo? Pois bem, afirmo que nossa capacidade de preocupar-se e propor soluções para o país está sujeita à mesma regra.
Sabem por que estou escrevendo essas coisas? Porque me parece que de repente a internet, através de blogs, hangouts, redes sociais ou seja lá o que for, ficou cheia de gente que percebeu que é uma urgência tirar o PT do poder no Brasil. Seguindo a tradição nacional, essas pessoas perceberam – na última hora – o que é esse partido e qual o risco que representa para liberdade. Agora começam as idéias: formar partidos novos, continuar com trabalho cultural, implorar pela intervenção militar...Vejam, não estou aqui fazendo a crítica delas. Não estou apoiando ou descartando soluções mas apenas observando de uma maneria muito clara que não se pode fazer – de outubro de 2013 ao final de 2014 – aquilo que o movimento revolucionário vem fazendo no Brasil desde 1968! Sei que parece óbvio escrever esse tipo de coisa mas mesmo assim é necessário.
O PT não vai sair do poder no Brasil em 2014. Poderá sair do governo; mas não do poder. A diferença entre uma coisa e outra é gigantesca e não vou, novamente, tocar no assunto. Digo ainda que, garantida sua presença no poder, o partido é capaz de inclusive abrir mão do governo já que, uma vez nele, uma série de coisas fica mais difícil de fazer do que quando se está na oposição.
Até aqui vimos essa gente tomar conta de todo poder Judiciário, livrar da cadeia imediata os réus do processo do mensalão e continuar governando por medidas provisórias. Vencidos fomos quando tentamos nos opor à entrega da saúde pública brasileira nas mãos de pessoas que sequer sabemos se são médicos e agora aproxima-se o “marco regulatório da internet”. Observem quanto tempo a mídia brasileira – quase toda ela afinada com o governo petista – deu às denúncias de espionagem no país. Vejam o número de reportagens extensas a respeito da indignação da Presidente Dilma e o cancelamento da sua visita aos Estados Unidos. Tudo isso foi feito para “preparar o clima”...para fazer com que as pessoas pensem que a censura é de fato necessária e que o PT quer proteger o cidadão brasileiro. Até quando as pessoas vão continuar caindo nesse tipo de conversa?
Há mais de um século atrás, quando mineiros desciam às profundezas das minas de carvão na Inglaterra, nenhum controle rigoroso havia sobre os vazamentos de gás nos depósitos subterrâneos...Além do risco de explosão, a intoxicação por monóxido de carbono era perigo constante. Preocupados com isso, os trabalhadores adquiriram o hábito de levar um canarinho numa gaiola. Mais sensível aos efeitos dos gases do que os seres humanos, enquanto o passarinho estivesse cantando sabia-se que era seguro continuar com as escavações. Seu silêncio ou sua morte indicavam perigo iminente e determinavam o momento de parar com o trabalho e retornar à superfície...
Sem querer ofender esses belos bichinhos, imagino que deveríamos pensar na imprensa brasileira como um deles..rss e lembrar que – gostando ou não de pássaros – eles podem nos salvar a vida. Somos duzentos milhões de mineiros de carvão a centenas de metros abaixo da luz e do ar puro. Foi o PT que nos enfiou nesse abismo. Por enquanto ainda respiramos..e o canarinho ainda canta na mina de carvão.

Para querida amiga Lúcia Nogueira Moraes..

Porto Alegre, 28 de outubro de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.