"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

CARTA AOS SUPERVISORES E TUTORES DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS


Milton Pires

Prezados “senhores”..escrevo senhores, não colegas, porque não consigo mais usar essa expressão ao me dirigir a vocês. Cada um de vocês – ex-médicos – vai entrar para história da infâmia nos anais da Medicina Brasileira. Vocês traíram tudo que juraram e esqueceram tudo que aprenderam. Suas vidas mesquinhas são regidas por um código muito distinto daqueles da nossa profissão: imperam entre vocês os interesses do Partido e uma lógica esquizofrênica na qual o bem o mal são apena convenções.
Já escrevi uma vez que não se pode servir a Deus e ao Diabo ao mesmo tempo: estava enganado. Tal frase não se aplica àqueles que sequer acreditam em algo além da Revolução Bolivariana do Foro de São Paulo e que fizeram do seu ateísmo, da sua descrença e do seu relativismo moral as bases de fundação do PT no Brasil.
Nada pode ser mais baixo..nada pode ser mais degradante do que um médico petista. Vocês viram, dia após dia, nossa profissão ser destruída, nossos valores jogados no lixo e a história de nossas vidas desrespeitada por um partido que resolveu lançar nas costas dos médicos brasileiros a culpa pelo caos na saúde pública. Eu lhes pergunto portanto, onde está sua “consciência de classe” ? Onde está o respeito pelos seus colegas e pelos padrões mínimos do exercício profissional que vocês, seus covardes, juraram defender?
Assim como as prostitutas francesas ficaram marcadas pela sua colaboração com os nazistas, vocês serão lembrados entre os verdadeiros médicos desse país como uma legião de bandidos que nos traiu, às vezes por uma bolsa de 5 mil reais, para satisfazer um regime que mata prefeitos, compra deputados e rouba eleições. Todo médico brasileiro de verdade tem hoje vergonha de vocês e deveria lhe virar as costas e mudar de calçada ao encontrá-los nas ruas do país.
Quando cada um de nós tinha 18 anos de idade estávamos em frente a cadáveres...Perdemos festas e finais de semana, varamos noites estudando..entregamos nossa saúde física e emocional para atendermos aos preceitos de uma boa formação e agora vocês, seus bandidos petistas ex-médicos, tem a coragem de vir falar em “ética” de quererem ser reconhecidos como iguais entre nós ? Nojento é saber que cada um de vocês jamais levaria suas esposas e filhos ao atendimento dos cubanos para quem vocês servem de babás. Dois pesos duas medidas: isso é aquilo que caracteriza cada verdadeiro petista e vocês, antes de serem médicos, são petistas – desse estigma jamais se livrarão. Enquanto vocês engordam suas contas com verba federal, milhões de brasileiros agonizam no chão dessas imundícies chamadas unidades de pronto atendimento...milhões morrem por falta de leito de UTI e de cirurgias..Um exército de zumbis vaga pelo centro de São Paulo sob os efeitos de crack..médicos levam socos e tapas, cuspidas na cara, são ameaçados de morte, dormem em camas com pulgas e comem aquilo que moradores de rua não aceitariam enquanto um partido de assassinos reforma portos em Cuba e constrói clínicas no Oriente Médio !
Deus me livre de chamá-los de colegas ...de reconhecer em vocês alguma moral ou no seu trabalho algum valor...Medicina de verdade pra vocês não tem significado algum; em primeiro lugar vem a “revolução”, não é? Pois bem: nós, médicos de verdade, faremos a nossa...

Porto Alegre, 27 de novembro de 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.