"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 13 de dezembro de 2014

QUANDO O SOLDADO CHORA..

Há poucos dias comentei em um grupo de discussão, sobre a "cumplicidade" das Forças Armadas, nos tempos atuais, com essa depravação do Estado. Do silêncio mais do que suspeito, das armas. Não me refiro a insurgência, mas ao pisotear na honra e na dignidade que deveria existir sob as fardas. Meu comentário foi rotulado como "idiotice é o mínimo que posso comentar sobre isso" - disse um coronel da reserva, ao qual respondi - e sublinho - que não lhe faltava inteligência, nem tinha caráter duvidoso; era mau caráter, mesmo!
Ora, se um coronel do exército vem desfilar em ordem unida, um corporativismo tolo e infame, diante de provas e evidências, não apenas circunstanciais, mas reais, do envolvimento e conivência do mais alto escalão do Estado-maior da Forças Armadas, de seu comandante, que distribui "medalhas de honra" para criminosos condenados, tais como José Dirceu e Genoíno; dizer que é "idiotice" informar (e opinar) sobre a corrupção que se estabeleceu na caserna que conheci, e que prezava pela honra e defesa da constituição. Pela dignidade como bem maior, da qual hoje não se conhece, sequer, seu significado.
Posso dizer, sem ressalvas: um militar de tão baixa estampa não poderia defender a causa dos brasileiros, pois não é homem. É apenas um marionete fantasiado de soldado.
Não sou um ativista da intervenção, pois quero que o país volte a ter tempos de paz, que hoje não existe. Restam apenas o comodismo e o costume. Nos habituamos com escândalos, de tal modo, que falar nisso já ficou cansativo, pois não há e nem é novidade.
Há muito, existe algo clamado pelas Forças Armadas, que deve ser posto em prática de imediato: a alternância do comando. Fazer andar a fila, e girar a roda com a substituição destes oficiais generais. Para se ter ideia do ponto de cumplicidade que chegamos, o Almirante Moura Neto disse que "a Comissão Nacional da Verdade cumpriu seu papel".
Se este almirante, ombreando o general Enzo Peri, não defende seus irmãos de farda, onde muitos morreram, e não podem defender sua honra contra esta lama feita nos toneis da ditadura do proletariado em curso; já que no passado tentaram sua imposição, mas foram corridos à baionetas pelos que defendiam o Brasil, que os honrem os brasileiros.
Se hoje nos resta um pouco de liberdade, que já rareia, e ficará ainda menor, creiam, foi justamente graças a estes servidores da pátria que hoje restam desonrados, por decretos.
O que a clava da justiça, em braço forte, ergueu para impedir nossa ruína, não vire poeira em deturpadas lembranças, contadas por quem não recebeu o merecido castigo, enquanto ainda era o tempo.

Observação MINHA - Assino junto ! Tem mais: sei EXATAMENTE quem é esse coronel e mando aqui um aviso a ele - não se coloque entre o futuro da Nação e as forças capazes de desencadear a necessária Insurreição. Se o fizer; dou minha palavra de honra que vou trabalhar ATIVAMENTE, quando chegar a hora, pela sua PRISÃO !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.