"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 26 de setembro de 2015

Postão anuncia fechamento até segunda-feira na Vila Cruzeiro



O Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul, conhecido como Postão, divulgou nota oficial, na noite desta sexta-feira, informando que a unidade de saúde ficará fechada por todo o fim de semana. A Coordenação Municipal de Urgências da SMS determinou que nenhum atendimento será efetuado e os pacientes serão encaminhados a outras unidades de saúde por conta da falta de segurança na área da zona Sul de Porto Alegre.


Além disso, conforme a nota, as atividades serão retomadas apenas após avaliação das condições de segurança, na próxima semana. A administração enfatizou que essa é "a primeira vez que o PACS ficará fechado em toda sua história. Sinal evidente de que a situação da segurança na região atingiu níveis nunca antes registrados". 

Brigada Militar está mobilizada na Vila Cruzeiro e seguirá em operação na zona Sul de Porto Alegre na noite desta sexta-feira. De acordo com o tenente-coronel Mario Ikeda, as forças de segurança permanecerão na região "até que a ordem seja restabelecida". Um ônibus da Linha 244-Santa Tereza foi incendiado pouco antes das 20h30min desta sexta-feira na frente ao Postão. Pelo menos seis pessoas se feriram no incidente. No começo da tarde, uma pessoa morreu e outras sete ficaram feridas em um tiroteio no posto no começo da tarde desta sexta-feira. 

Simers condena situação e exige fechamento
O presidente do Sindicato Médico do RS (SIMERS), Paulo de Argollo Mendes, também se pronunciou sobre a situação extrema do posto de saúde. “Não há condição nenhuma para o funcionamento do Postão da Cruzeiro”, frisou em nota da categoria. 

Conforme o Simers, nesta segunda-feira ocorrerá uma reunião com todos os trabalhadores (médicos e demais profissionais), a partir das 18h, no Cremers, para tomar uma posição. Argollo lembrou que já havia advertido, e mais de uma vez, em contato pessoal e direto com autoridades da Segurança Pública para os episódios de violência na Postão da Cruzeiro. 

Cerca de 40 trabalhadores atuam à noite no Postão. A unidade só será totalmente fechada após a transferência dos pacientes da emergência em saúde mental. "Precisa ter leito para remover os doentes. Só saímos depois disso", contou o pediatra plantonista Jorge Eltz.

NOTA DO EDITOR DO ATAQUE ABERTO: Tive o desgosto e a vergonha de ser médico no PACS entre os anos de 2000 e 2004. Há 15 anos atrás, conversando com uma médica petista que hoje integra o quadro do SIMERS (Sindicato Médico do Rio Grande do Sul) questionei por que a Brigada Militar não colocava um plantão policial na unidade para dar segurança aos médicos e pacientes. Ouvi dela que isso "afastaria os usuários do Serviço". Mais de uma vez fatos como esse da reportagem aconteceram lá ou nas proximidades. Isso me faz prever as seguintes "medidas" que vão ser tomadas.

1.Paulo de Argollo Mendes vai participar de um programa no Conversas Cruzadas com o Promotor Carnavalesco, Cláudio Brito e vai dizer que "os médicos precisam de uma carreira de Estado".
2.O SIMERS vai colocar um "a pedido" na Zero Hora.
3.Um coronel qualquer da BM vai fazer uma "reunião com a comunidade da Vila Cruzeiro"
4.Todo mundo vai voltar a trabalhar.
5.Em uma semana ninguém mais fala nisso.
Milton Pires.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.