"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

28 de Dezembro de 1895: Os irmãos Lumière promovem, nas caves do Grand Café de Paris, a primeira sessão de cinema

28 de Dezembro de 1895: Os irmãos Lumière promovem, nas caves do Grand Café de Paris, a primeira sessão de cinema:
Os irmãos Lumière realizaram a primeira projecção cinematográfica em Paris, no Salão Indiano do Grand Café do boulevard des Capucines, no dia  28 de Dezembro de 1895. O sucesso na estreia foi contido. No primeiro dia não havia mais de 20 espectadores para assistir ao  A Saída da Fábrica Lumière em Lyon ou O Regador Regado. Entretanto, em poucos dias as filas tornaram-se quilométricas para assistir a uma das vinte sessões diárias, de meia hora cada.
 

O filme foi rodado por Louis e Auguste Lumière, irmãos franceses que desenvolveram uma câmara-projector designada Cinematógrafo. Os dois  revelaram a sua invenção ao público em Março de 1895 com um curto filme mostrando trabalhadores  à saída de uma  fábrica. Só em Dezembro é que exibiram uma série de pequenas cenas da vida do dia-a-dia dos franceses. Pela primeira vez cobraram bilhete. 

A tecnologia cinematográfica tem as suas raízes no começo dos anos 1830, quando Joseph Plateau da Bélgica e Simon Stampfer da Áustria desenvolveram simultaneamente um aparelho chamado Fenacistoscópio, que incorporava um disco cilíndrico giratório com ranhuras através das quais uma série de desenhos poderiam ser vistos criando o efeito de uma imagem simples  movendo-se. Ao Fenacistoscópio, considerado o precursor dos modernos projectores cinematográficos, seguiram-se décadas de avanços. 

Em 1890, Thomas Edison e o seu assistente William Dickson desenvolveram a primeira câmara cinematográfica, à qual deram o nome de cinetógrafo. No ano seguinte, Edison inventou o cinetoscópio, uma máquina dotada de um orifício para observação que permitia a uma pessoa ver uma tira de filme movendo-se após passar por um feixe de luz. 

Em 1894, Antoine Lumière, o pai de Auguste (1862-1954) e Louis (1864-1948), assistiu a uma demonstração do cinetoscópio de Thomas Edison. Ele ficou impressionado e, segundo se informa, contou aos seus filhos, que eram donos de uma fábrica bem-sucedida de chapas fotográficas em Lyon, França, as suas impressões. Os irmãos acharam que podiam fabricar algo melhor. O Cinematógrafo, patenteado em 1895, era uma combinação de câmara de cinema e projector que podia projectar imagens em movimento sobre uma tela grande e serem vistas por um público amplo. O Cinematógrafo era também menor, de luz mais intensa e usava menor quantidade de filme que o aparelho de Edison. 

Os Lumière abriram  as salas de espetáculos, às quais deram o nome de cinema, em 1896 a fim de mostrar o seu trabalho além de enviar equipas  pelo mundo fora para filmar cenas e buscar novos materiais. A indústria do cinema rapidamente alçou voo. O The New York Times publicou em 1909 sua primeira coluna dedicada ao cinema, o filme “Pippa Passe” de D.W. Griffith. Em 1911, foi inaugurado o primeiro estúdio cinematográfico em Hollywood e em 1914, Charlie Chaplin fez sua estreia no cinema. 

Além do Cinematógrafo, os irmãos Lumière desenvolveram o primeiro processo fotográfico a cores, a chapa Autochrome, lançada em 1907. 

Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)



Fratelli_Lumiere.jpg

Auguste Lumière (esquerda) e Louis Lumière (direita)

800px-Cin%C3%A9matographe_Lumi%C3%A8re.j
Poster de O Regador Regado






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.