"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

ISTO EU VI ACONTECER DENTRO DA UTI DO GHC EM PORTO ALEGRE QUANDO ELE ERA COMANDADO POR MARGINAIS DO PC do B e do PT


Quando marginais do PC do B e do PT me exoneraram da função de médico da UTI do Hospital Conceição, em Porto Alegre, uma das coisas que colocaram no processo administrativo é que eu "não mudava de avental" para examinar os pacientes da área de isolamento na UTI. Jamais falaram da FALTA de pessoal da lavanderia como aconteceu com esta outra espelunca no Distrito Federal e não vai haver um só vagabundo formado em Medicina que foi meu colega lá (não médico pq não merece este nome) que vai ter coragem de confirmar o que acabo de escrever aqui.



É A TERCEIRA SUSPENSÃO DO SERVIÇO DE LAVANDERIA HOSPITALAR NESTE ANO POR FALTA DE PAGAMENTO. (FOTO: AGÊNCIA BRASÍLIA)

DÍVIDA DO GDF

EMPRESA QUE LAVA ROUPAS DE HOSPITAIS SUSPENDE SERVIÇOS POR FALTA DE PAGAMENTO

GDF DEVE CERCA DE R$ 1,3 MILHÃO À EMPRESA DE SERVIÇOS

Publicado: 22 de dezembro de 2016 às 11:46 - Atualizado às 12:14

A NJ Lavanderia suspendeu na noite desta quarta-feira (21) os serviços que presta à Secretaria de Saúde do DF por falta de pagamento. A empresa é responsável por lavar toda a roupa dos hospitais de Base, Santa Maria, Sobradinho e Gama.
Em outubro, a NJ e a Secretaria de Saúde fecharam um acordo para pagar parte da dívida que o GDF acumulou com a empresa desde 2014. A dívida total era de R$ 9 milhões. Em acordo assinado, o GDF se comprometeu a quitar R$ 5 milhões em quatro parcelas, sendo uma parcela de entrada e mais três que venciam a cada 15 dias. As três primeiras foram pagas, mas a última, que vencia em 18 de novembro, não.
Diante do descumprimento do acordo e da falta de perspectiva de pagamento, o serviço foi suspenso. Esta é a terceira suspensão do serviço de lavanderia hospitalar neste ano por falta de pagamento.
De acordo com a Secretaria de Saúde, o pagamento de parte da dívida de 2015, no valor de R$ 1,3 milhão, será realizado nos próximos dias. A pasta, porém, não dá previsão e diz que está em negociação com a empresa NJ Lavanderia para que o serviço seja totalmente restabelecido nos hospitais de Sobradinho, Gama, Santa Maria e Base.
A pasta esclareceu que houve paralisação parcial do serviço de lavanderia nessas unidades e, por este motivo, apenas procedimentos de emergência estão sendo realizados. "Frisa-se, o serviço de lavanderia não foi totalmente interrompido", explicou em nota.
Sem licitação
No ano passado, a lavanderia foi alvo de ação civil por parte do Ministério Público do DF. Ela foi contratada sem licitação e o serviço prosseguiu por mais cinco anos sem contrato. Segundo o MPDFT, os serviços de lavanderia nos hospitais estariam irregulares, fruto de nulidade do contrato nº 183/2014.
Com isso, o juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública do DF determinou o bloqueio dos bens do ex-secretário de Saúde do DF Elias Fernando Miziara e da empresa NJ Lavanderia Industrial e Hospitalar Ltda ME. Todos são réus na ação de improbidade ajuizada pelo MPDFT, na qual o autor questiona a ausência de licitação no contrato nº 183/14, firmado entre o DF e a NJ Lavanderia. A constrição dos bens limita-se ao valor do contrato, ou seja, R$14.249.520,00.
No pedido cautelar de bloqueio dos bens, o MPDFT afirmou que o ex-secretário levou adiante a contratação de empresas do ramo de lavanderia para prestação de serviços em hospitais públicos ligados à Secretaria de Saúde sem o devido processo licitatório e a despeito da recomendação ministerial em sentido contrário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.