"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 10 de dezembro de 2016

VAGABUNDOS PETISTAS DA ÁREA DA SAÚDE EM PORTO ALEGRE LANÇAM "NOTA DE REPÚDIO" PELA PRISÃO DE SEUS COLEGAS MARGINAIS

Confira abaixo a "Nota de Repúdio" (na verdade um abaixo assinado) feita por vagabundos petistas da área da Saúde em Porto Alegre depois que seus colegas marginais foram para cadeia. Na opinião deste Editor a nota é "precipitada" - são 120 vagabundos sob suspeita ! Vai ter mais gente presa, vocês deveriam ter esperado...rsss

NOTA DE REPÚDIO À OPERAÇÃO PhD NA UFRGS Em defesa do Estado de Direito
Esta petição está esperando pela aprovação da Comunidade da Avaaz.



2.000
1.024

1.024 assinaturas. Vamos chegar a 2.000

Por que isto é importante

Nós, professorxs universitárixs, trabalhadorxs e usuárixs do SUS, por meio desta nota pública vimos nos pronunciar sobre a violenta Operação PHD da Polícia Federal disparada hoje pela manhã contra a UFRGS, com a prisão de professorxs e funcionárixs ligados ao PPGCol e à FAURGS.

O zelo pela coisa pública e a reprovação de atos ilícitos com devida responsabilização de seus praticantes é premissa básica que nos reúne como cidadãos e trabalhadorxs do SUS e da universidade pública. Cumpre, também, esclarecer que não dispomos de quaisquer informações adicionais a não ser os fatos veiculados na mídia no dia 09/12/16. Entretanto, as circunstâncias desses fatos permitem disparar algumas reflexões:

‐ A flagrante desproporção entre o ostensivo aparato policial montado para realização da operação PhD e a alegação dos ilícitos apontados caracteriza desrespeito do direito do cidadão e desconsideração da presunção de inocência;

A espetacularização de uma operação policial, que revela antecipadamente suas estratégias à mídia, que apresenta à comunidade fatos fragmentários e sem considerar o contraditório constitui um julgamento a priori, com sentença e penalização que produz consequências irreversíveis para pessoas e instituições.Constitui,além disso,nítida infração ao artigo 20 do código de processo penal: "A autoridade assegurará no inquérito o sigilo necessário à elucidação do fato ou exigido pelo interesse da sociedade". 

‐ A informação de favorecimento de aluno de pós‐graduação foi objeto de processo judicial em 2015, já arquivado pela Polícia Federal. Seria mera coincidência o fato de o referido aluno ter sido coordenador do Mais Médicos, um dos programas alvo de desmonte das políticas de saúde do atual governo?

‐ É estranhamente coincidente a deflagração de tal ação às vésperas da votação da PEC 55 no Senado em um momento histórico de ataque e de desmonte às políticas públicas básicas para o desenvolvimento humano, em especial aquelas que dizem respeito à saúde e à educação;

Ações perpetradas de forma espetacularizada como as acima arroladas não reforçam a necessária lisura, transparência e fiscalização na gestão de recursos públicos, apenas caracterizam o Estado Policial‐Midiático de Exceção em que estamos vivendo.

Repudiamos, por isso, estratégiascomo as utilizadas pela Operação PHD, exigimos respeito e manutenção dos direitos individuais dos colegas sob investigação e conclamamos todos em DEFESA DO SUS E DA UNIVERSIDADE PÚBLICA,
GRATUITA E COM QUALIDADE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.