"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

PSICOPATA DE EXTREMA ESQUERDA DIZ QUE MORTE DE SOFIA FOI "JUSTIÇA DIVINA" Pais prestam queixa contra professora que comemorou a morte de sua filha nas redes sociais


A professora de História da rede estadual de ensino do Rio Denise Oliveira classificou a morte da menina Sofia Lara Braga, de 2 anos, como "justiça divina". Em seu perfil no Facebook, ela ainda acusa o pai da criança, o policial militar do 16º BPM (Olaria) Felipe Fernandes, de 34 anos, de ser do 41º BPM, de onde eram os policiais que participaram da morte de cinco jovens em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, em novembro de 2015. Ela diz que "ontem a dor de uma família, hoje a dor é na sua família".

O pai da menina não faz parte do batalhão citado por Denise. Os PMs que respondem pelo crime são: o soldado Antônio Carlos Gonçalves Filho, o cabo Fábio Pizza de Oliveira da Silva, o soldado Thiago Resende Viana Barbosa e o sargento Márcio Darcy Alves dos Santos. Os quatro estão presos.

Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/professora-diz-que-morte-da-menina-sofia-filha-de-um-pm-foi-justica-divina-causa-revolta-rv1-1-20818826.html#ixzz4WoUHyUet

Pais prestam queixa contra professora que comemorou a morte de sua filha nas redes sociais:



64543320.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais

FOTO e POST  DA ABERRAÇÃO QUE SE INTITULA "PROFESSORA DE HISTÓRIA"



A família da garota Sofia Lara, de 2 anos, que foi atingida por uma bala perdida no último sábado (21) no Rio de Janeiro, denunciou nesta quarta-feira (25) uma professora. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.