"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

REVISTA CRIMINOSA "CARTA CAPITAL" DIZ QUE "QUEIMAR ÔNIBUS É UMA FORMA DE LUTA POR DIREITOS HUMANOS"

Carta Capital incentiva queima de ônibus como forma de protesto


A revista Carta Capital, que possui capital em paraíso fiscal e foi delatada na Lava-Jato, incentivou a queima criminosa de ônibus como forma legítima de protesto.
Para a revista, a destruição de patrimônio público encarecendo os custos do transporte é uma forma de lutar por diminuição das tarifas e mais acesso ao transporte público.
Diz o  texto publicado no blog ‘Justificando’ da revista: “Queimar ônibus em Teresina, portanto, é uma das expressões da luta pelo direito humano ao transporte público, que é, em suma, um imperativo para garantia do direito à cidade. O ônibus queimado é um símbolo da indignação dos corpos incendiados diariamente dentro e nas paradas dos ônibus precários e lotados na cidade, e sua fumaça não pode servir de cortina para esconder as arbitrariedades do Poder Público. A avenida Frei Serafim ocupada por estudantes e trabalhadores que reivindicam um transporte público significa a permanência de uma indignação contra a violação de direitos e é uma expressão legítima da construção do direito à cidade que nasce na rua.”
A esquerda prepara uma onda de protestos pelo país cuja desculpa é a tarifa dos ônibus. Mesmo onde a tarifa foi congelada, deve haver protestos por gratuidade. O texto da Carta Capital também cumpre a função política de justificar a onda de vandalismo que deve tomar conta das grandes cidades brasileiras.
Nós, da Reaçonaria, esperamos que em breve os responsáveis pela revista (e todos os blogs que já foram pagos para defender políticos) sejam presos em decorrência da Operação Lava-Jato. Se forem presos antes, por apologia ao crime, melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.