"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

BREVE RESPOSTA AO ARTIGO DE CLÁUDIA COLLUCCI

Dados de Marisa no WhatsApp mostram que ódio venceu ética médica.




Leonardo Benassatto/Futura Press/Folhapress
A ex-primeira dama Marisa Letícia Lula da Silva
A ex-primeira dama Marisa Letícia Lula da Silva

É um escândalo e merece severa punição a divulgação de dados sigilosos do diagnóstico da ex-primeira dama Marisa Letícia em um grupo médico no WhatsApp.
Segundo reportagem do jornal "O Globo", horas depois da internação de Marisa no Hospital Sírio-Libanês, uma médica reumatologista que atuava no hospital enviou mensagens a um grupo de WhatsApp de antigos colegas de faculdade, confirmando que dona Marisa estava no pronto-socorro com diagnóstico de AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico de nível 4 na escala Fisher (um dos mais graves).
A mensagem foi compartilhada no grupo "MED IX" e se espalhou em outros grupos de WhatsApp. O boletim médico divulgado horas depois pelo hospital falava em hemorragia cerebral por ruptura de um aneurisma, mas não dava detalhes técnicos a respeito da gravidade do diagnóstico.
Neste mesmo dia, um outro médico de fora do Sírio-Libanês postou no grupo imagens de uma tomografia atribuída a dona Marisa Letícia, acompanhada de detalhes que foram confirmados, em seguida, pela médica reumatologista.
As informações foram compartilhadas em outro grupo de médicos, intitulado "PS Engenho 3", e atribuídas a um cardiologista. Os comentários que acompanham a troca de mensagens são assustadores.
Quando a médica diz que Marisa ainda não tinha sido levada para a UTI, um colega residente em urologia dispara: "Ainda bem!". A médica responde com risadas.
Outro médico do grupo, um neurocirurgião, também ironizou o quadro de dona Marisa:
"Esses fdp vão embolizar ainda por cima", escreveu –o procedimento de embolização provoca o fechamento de um vaso sanguíneo para diminuir o fluxo de sangue em determinado local. "Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela", escreveu o médico.
Em nota, a direção do Sírio-Libanês informa que "tomou as medidas disciplinares cabíveis em relação à médica, assim que teve conhecimento da troca de mensagens". Segundo uma fonte de dentro do Sírio, a médica foi demitida.
O Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) já investigava o vazamento de imagem de um exame de tomografia de Marisa, realizado logo após o AVC, e que divulgado em redes sociais nos últimos dias.
O que isso tudo mostra? Que o juramento de Hipócrates, de nunca causar dano ou mal a alguém, foi vencido pelo ódio partidário, mais precisamente pelo ódio ao PT. Que esses médicos que compartilharam dados sigilosos ou mensagens de ódio perderam qualquer noção de ética médica. E que nós, pacientes, estamos sob sério risco de virar objeto de chacota entre profissionais médicos inescrupulosos.
*
Após a publicação da coluna, o Cremesp divulgou a seguinte nota pública:
"O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) informa que instaurou nova sindicância para apurar a divulgação de novos dados sigilosos do diagnóstico da ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia, hospitalizada desde o dia 24/1. A sindicância tramita em sigilo processual e, também, investigará supostas ofensas à ex-primeira-dama que teriam sido praticadas por médicos paulistas em redes sociais.
O exercício da Medicina deve respeitar e preservar todos os aspectos do doente: físico, emocional e moral, transcendendo tabus, crenças e preconceitos, em nome da fidelidade ao compromisso de tratar e cuidar de todos, sem qualquer distinção. Sob o juramento hipocrático e os princípios fundamentais da Medicina, todo médico deverá "guardar absoluto respeito pelo ser humano e atuar sempre em seu benefício. Jamais utilizará seus conhecimentos para causar sofrimento físico ou moral, para o extermínio do ser humano ou para permitir e acobertar tentativa contra sua dignidade e integridade".
Na quinta-feira (26/1), o Cremesp iniciou uma sindicância para apurar se a divulgação de um exame de tomografia de Marisa Letícia teve a participação de médicos ou se era do conhecimento da diretoria técnica ou clínica da instituição responsável pelo atendimento.
De acordo com o Código de Ética Médica, é vedado ao médico "permitir o manuseio e o conhecimento dos prontuários por pessoas não obrigadas ao sigilo profissional quando sob sua responsabilidade". Também não é permitido "liberar cópias do prontuário sob sua guarda, salvo quando autorizado, por escrito, pelo paciente, para atender ordem judicial ou para a sua própria defesa", esta última em situação de sindicância ou processo ético-profissional. No cenário de doentes "notáveis", a informação para o público deve ocorrer por meio de boletim médico autorizado pelo paciente ou responsável.
Para o Cremesp, o compromisso e a ética ante a saúde de cada um dos cidadãos colocam-se, sem distinções de qualquer natureza, sempre acima de interesses que não sejam fiéis à dignidade inviolável da pessoa doente junto aos seus entes queridos. Por conseguinte, o Cremesp lamenta a divulgação de qualquer exame, dado privativo e ofensas feitas a doentes em redes sociais."
CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
2 de fevereiro de 2017 

BREVE RESPOSTA À JORNALISTA CLÁUDIA COLLUCCI

Por questão de "economia processual" (como se costuma dizer em Direito) vou me deter simplesmente à parte acima sublinhada em amarelo que resume as conclusões da articulista. 

1. "O Juramento de Hipócrates foi vencido pelo ódio partidário...

RESPOSTA: Mentira de Cláudia. O Brasil tem quase 400.000 médicos e aquilo que ela escreveu é um ataque a todos os profissionais brasileiros.

2. "...mais precisamente pelo ódio ao PT"

RESPOSTA: é verdade ! De cada 10 médicos brasileiros que eu conheço, 9 ODEIAM esta Organização Criminosa travestida de Partido Político. O ódio dos médicos ao PT é uma resposta do ódio do PT aos médicos. "Ah, mas o médico não deve deixar seu ódio interferir..."..RESPOSTA: não deve deixar interferir se estiver atendendo um paciente petista em risco de vida. Se não estiver, o médico é um cidadão como outro qualquer e tem direito de se expressar livremente inclusive em redes sociais patrulhadas por marginais petistas que usam denúncias no CRM como ameaça aos médicos do Brasil.

3. "...médicos que compartilham dados sigilosos ou mensagem de ódio perderam noção de ética médica" 

RESPOSTA: Parcialmente verdadeiro no que diz respeito a compartilhar dados sigilosos pois constitui infração ao código de ética compartilhar dados do paciente que está sob seus cuidados. Não tenho (aliás agora já não interessa mais porque o nome da colega já foi para o lixo da imprensa brasileira) a mínima ideia se os colegas que compartilharam qualquer coisa a respeito da paciente Marisa Letícia tinham alguma relação profissional com o caso nem como a informação chegou até eles. Dificilmente isto os vai poupar de fornecer explicações ao conselho mas vai dificultar, e muito, a acusação pois é vedado ao médico "permitir o manuseio e o conhecimento dos prontuários por pessoas não obrigadas ao sigilo profissional quando sob sua responsabilidade". Também não é permitido "liberar cópias do prontuário sob sua guarda, salvo quando autorizado, por escrito, pelo paciente, para atender ordem judicial ou para a sua própria defesa", A Sra. Cláudia, aparentemente, assume que Marisa estava sob responsabilidade destes profissionais e que o prontuário de Marisa estava sob sua guarda. Portanto, ela os considera culpados de forma DIRETA. Com relação a "mensagem de ódio", isso sequer merece resposta ...Não passa de jargão típico de militante petista dentro da Folha de São Paulo.

4. "...e que nós, pacientes, estamos sob sério risco de virar objeto de chacota entre profissionais médicos inescrupulosos".

RESPOSTA:Verdade. Aí não há nada a acrescentar. Petista ou não petista, todo paciente brasileiro pode encontrar pela frente um médico sem escrúpulo assim como leitores podem acabar topando com aquilo que militantes partidários sem escrúpulo nenhum publicam nos grandes jornais. Pelo menos os leitores sabem que são jornalistas do Brasil. Os pacientes, além de médicos "sem escrúpulos" como disse a Sra.Cláudia, podem encontrar falsos médicos trazidos por uma Presidente Criminosa, que odiava os médicos brasileiros e que mais cedo ou mais tarde, deve ir para cadeia como Marisa acabaria indo se não fosse pela ruptura de um aneurisma cerebral.

CONTINUAÇÃO: 23:20h

Acabei de ficar sabendo disso aqui: Aos colegas, Gabriela alegou ter confirmado informações já divulgadas na mídia, em grupo restrito de médicos de sua confiança. Ela lamentou que tenham sido compartilhadas com outros grupos e disse não ter tido contato pessoal com o prontuário. Localizada pelo GLOBO, ela não quis se manifestar.

Comentário: A médica, portanto, teve acesso aos dados pela internet. Aí eu gostaria de perguntar a Sra. Cláudia Collucci: um dia ou dois, depois de Marisa ser internada, um amigo pediatra aqui no Brasil, de 75 anos de idade, passeando em Roma, me mandou a imagem da Tomografia de Marisa Letícia (que eu, justamente sabendo como jornalistas como a Sra. pensam e escrevem, tive o cuidado de não divulgar). Esse colega deve ser processado também no CRM, Sra. Cláudia ??? Gabriela perdeu o emprego, seu nome está nos jornais e a Sra. já fez sua matéria, não é??? rsss

Nós temos 77 delações da Odebrecht no mais absoluto SIGILO, Lula em Liberdade, um Ministro do STF querendo legalizar uso de cocaína no Brasil e uma imprensa preocupada em LIQUIDAR com a carreira de uma médica de 31 anos, com a careca de Eike Batista e a morte de "funkeira" no RJ.

12 comentários:

  1. 4. "E que nós, pacientes, estamos sob sério risco de virar objeto de chacota entre profissionais médicos inescrupulosos.
    resposta... Bem que eu gostaria de correr este risco lá no SÍRIO-LIBANÊS, porém sou apenas um trabalhador honesto e penso que isto seria impossível.

    ResponderExcluir
  2. Uma vez que um politico juntamente com sua familia vive graças a politica vagabunda que obriga o cidadão contribuinte a sustenta-lo pelo resto de sua existência, a sua vida torna-se publica pelo resto se sua existência, portanto é justo que o povo saiba quais são os procedimentos para atender a vitima no hospital, seja ele qual for, pois afinal pagamos pelo serviço, milhares morrem todos os dias vitimas de AVC, principalmente em um país vagabundo como esse que nos rouba a todo o segundo, tirando-nos a chance de termos um tratamento decente em qualquer hospital neste pais.

    ResponderExcluir
  3. A Resposta confirma total falta de inteligência de nossa classe médica formada em guetos plutocráticos e, por isso mesmo, alheios à ética e ao compromisso com seus pacientes, que na maioria pagaram seus estudos por meio de impostos. É preciso um governo muito mais corajoso do que o PT foi para enquadrar esses desajustados na lei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais cedo ou mais tarde você vai poder usar este tipo de argumento na CADEIA, onde já estão seus "companheiros".

      Excluir

    2. Um imbecil petista que não tem a mínima noção do que é a carreira médica, visto que, a única carreira que esta corja maldita conhece é a de cocaína.

      Excluir
  4. Imprensa Brasileira Vagabunda Petista continua empenhada em divulgar o nome e destruir a vida profissional da médica de 31 anos de idade do Hospital Sírio Libanês que postou imagens que JÁ ESTAVAM NA INTERNET dos exames de Marisa Letícia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O nome por você escolhido para representá-lo, "Ataque Aberto", já denota que tudo o que vier a escrever deve ser lido com todas as ressalvas, uma vez que o seu negócio não é o consenso produtivo, mas o "ataque aberto" a qualquer pensamento divergente. Pessoas como você, muito em moda no Brasil de hoje, chegam a nos cansar... O que fizeram com Marisa Letícia, no momento mais fragilizado e crítico de sua vida, foi um achincalhe, indigno de qualquer médico, e qualquer pessoa decente deveria no mínimo reconhecer isto. Ponto. Parabéns à jornalista Cláudia Collucci.

      Excluir
  5. Sempre ela, a comunista e mentirosa folha de são paulo.

    ResponderExcluir
  6. Nós temos 77 delações da Odebrecht no mais absoluto SIGILO, Lula em Liberdade, um Ministro do STF querendo legalizar uso de cocaína no Brasil e uma imprensa preocupada em LIQUIDAR com a carreira de uma médica de 31 anos, com a careca de Eike Batista e a morte de "funkeira" no RJ.

    ResponderExcluir
  7. Perfeitas suas colocações! Mais uma vez o ataque é a melhor defesa do PT. Lamento que a sra Marisa não esteja viva para pagar por seus crimes!

    ResponderExcluir
  8. Pode a nobre jornalista já de antemão se autopunir, acompanhando por 30 dias pp nos fins de semana, os plantões em emergencias por todo Brasil para pensar em começar a Respeitar e Solidarizar com TODOS profissionais de saúde e aí fazer uma auto reflexição e quem sabe, tem vocação paraesta área e fazer um juramento nobre.
    unir

    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.