"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

O BRASIL DO HOJE ETERNO



Milton Pires

Já que o bandido número um da Nação, o homem que, sem ter Foro Privilegiado algum, é mais cidadão, tem mais prerrogativas do que qualquer um dos mortais, fala constantemente em nós e eles, digo, inicialmente, que vou usar deste mesmo conceito – esta mesma ideia doentia de nós e eles – para escrever sobre o Carnaval. 

Afirmo que se eu não escrever sobre o Carnaval eles venceram. Eu me nego a aceitar que eles venceram ! Insisto que o que eles querem é que eu não escreva sobre o Carnaval, sobre o feriado, sobre a parada de tudo, sobre as mortes, sobre as barbaridades, sobre as maletas de Renan Calheiros, o assassinato de Teori Zavascki e o sigilo das delações da Odebrecht, sobre o FIES para uma mulher que mandou matar seus pais, ou a liberdade para um goleiro assassino miliciano que esquarteja pessoas e dá seus restos aos cães.

Querem que estas coisas não sejam mais do que Tremendas Trivialidades, como dizia Chesterton, mas nem o próprio Chesterton acreditaria ser possível viver numa época em que falar mal do Carnaval pudesse ser considerado politicamente correto nas redes sociais – e, ainda assim, no Brasil já é ! 

Já é clichê falar mal do Carnaval e do Big Brother Brasil ! Não gosta de Carnaval? Não vai ! Não gosta de BBB? É só não assistir ! Muda o disco, Dr. Milton ! Ninguém lhe aguenta mais ! 

Escrevo sobre o Carnaval recorrendo ao que lembro da cadeira de Psiquiatria - ainda na graduação médica. Invoco, pois, da Psicanálise, a ideia de mecanismo de fuga, de defesa da integridade do ego quando alguém enfrenta, do ponto de vista real, um conflito que não pode ser resolvido de forma consciente. 

Faço isso como pura provocação a esta nossa esquerda analisada, estes nossos comunistas de boutique e dos cafés de Paris que aprenderam psicanálise lendo o New York Times e que adoram usar desta mesma Psicanálise (aliás com a benção de alguns dos meus queridos colegas psiquiatras e psicanalistas) para anistiar o Carnaval, para absolver os foliões.

Até aí tudo bem, tudo muito bonito se estivesse eu a tratar de um paciente. Nações, países e sociedades não tem ego e, se algum dia um ego nelas puder ser identificado, não há de ser no Brasil. O Brasil não tem ego e nem integridade. Como poderia ter uma integridade do ego para ser defendida através de um mecanismo de fuga chamado Carnaval?? 

Meu país é, digo eu, do ponto de vista da Psiquiatria e da Psicanálise, um lugar que mais bem se definiria por uma estrutura composta de ego, id e superid. Cabe ao leitor (que não conheça) procurar os conceitos originais para entender a ironia. 

Certo é que, de hoje até quinta feira da semana que vem, a Nação há de mergulhar (como faz todo ano) num espetáculo patético, em algo planejado para despertar nos documentaristas britânicos, nos historiadores da Nat Geo e do Discovery, aquela sensação de visitar tribos isoladas das ilhas do Pacífico ou sociedades primitivas da Ásia Central. 

Milhões de pessoas param. Vão parar porque vão participar (e as que não vão participar hão de assistir, e as que não vão assistir hão de se recolher) de um espetáculo deprimente de orgiais, bebedeiras, assassinatos, acidentes e baixarias, roubos e sexo explícito de todos os tipos possíveis e imagináveis. 

Algo que não encontra precedentes na História nem em Roma nem nas Ilhas do Pacífico e que os tais documentaristas britânicos gostam de descrever e apresentar ao Mundo – é o superid da Nação, de toda Sociedade Brasileira, que aflora esmagando o ego, o superego, o infraego, o alterego e até o lego de qualquer um ou qualquer coisa que se coloque no caminho da obrigação de ser feliz, de esquecer tudo, de mandar família, contas, filhos, problemas, dívidas, doenças e compromissos para o inferno...para este mesmo inferno sem PM, sem médico, sem professor, sem coisa alguma além da obrigação de votar e de jamais ter uma arma de fogo que eles impõem contra nós. 

Eles, como diz o Grande Cachaceiro, o Timoneiro do Atraso, o Analfabeto, o apologista da ignorância, da preguiça, da obscenidade, da falta de pudor e da má-fé, que continua em liberdade debochando da Justiça ...Este Anticristo da cultura, de tudo que possa haver de elevado, de preservado ou de nobre e que já não mais existe, que já não reprime mais nada nem se faz mais presente em ego ou superego algum e que, portanto, não demanda mais esquecimento nem mecanismo de defesa.

É mentira afirmar que a vida inteligente no Brasil cessa durante do Carnaval – não há mais vida inteligente no Brasil ! É mentira afirmar que o Carnaval é uma catarse, uma festa para esquecer – o Brasil não tem memória ! Não lembra, nem quer lembrar, de coisa alguma. 

Não há ontem nem amanhã: só há hoje no Brasil – um Hoje Eterno...e hoje é Carnaval. 


Para Rose Ribas e à memória de um gigante: 
Mário Ferreira dos Santos. (1907-1968)

3 comentários:

  1. Eh... Se VC fizer b.o. ninguém registra, se o conteúdo fere os interesses de algum comprador ou furtador de autonomia, se fizer processo judicial ninguém protocola, se fizer um comentário no facebook alguem reavalia e não autoriza, se mandar email a rota do servidor desvia, se fizer pgto no banco, o pgto some pq alguem precisa te chamar de inadimplente, se VC faz cadastro, este some, pq tem alguem usando um RG seu para tomar algum patrimônio inventariado enquanto oculta sua personalidade, se VC toma banho em casa, sua imagem eh capturada por câmeras escondidas e aparece pelado em sites pornôs como prova de pessoa indigna, se VC não casa, aparece cumcumbinos q VC nunca viu, se VC não eh querido por alguma falsa princesa que quer sua coroa, VC vira inadimplente de contas que nunca viu e começa a ser perseguido e hostilizado por pessoas que usam a sociedade contra VC para depreciar sua imagem e se VC assim como eu, recebe uma arma da KGB alguém!rouba sua correspindencia e fingindo ser seu parente pendura um coldre na cintura e vem com a arma ameaçar a dona.

    ResponderExcluir
  2. Prezados Procuradores do MPF

    Venho solicitar que tenham conhecimento dessa grave denúncia contra o patibula e covarde do PGR RODRIGO JANOT o qual foi o responsável pela forma da morte ou do calvário de mãe IDOSA INCAPAZ devido a sua impunidade e corrupção passiva em não admitir a federalização de processos judiciais estaduais da justiça de PE - TJPE desde 2013. Esse bandido, indeferiu 04 vezes todas as minhas petições em nome de uma idosa incapaz e com doença infectocontagiosa e em estado vegetativo para não punir uma gangue formada pelo governo de PE PSB + juizes + promotores + procuradores + policiais + advogados para que o roubo de propriedade intelectual de minha autoria e com a minha mãe sendo sócia desse certo desde 2012. Mãe morreu em nov/2014 sem terem julgados tres pedidos de tutela antecipada por mais de 30 meses, sou ameaçado de morte em delegacias para não busca justiça, sou expulso de defensoria publica, não tive direito a recurso em 1º grau na justiça especial do TJPE, o MPPE nunca atuou desde 2012 e cheguei a recorrer ao STJ pela RP471 e AIA49, onde a ministra laurita vaz, na RP471, deferiu o governo de PE por quadrilha e prevaricação. E, mesmo, noticiando e provando essas graves violações aos direitos humanos, o marginal do " Janot" não viu que preencheu os tres paramentros para o IDC pelo art. 109 para. 5º. Esse é o tipo de meliante e de mal elemento que voces obedecem como PGR. Se fosse com a mãe de voces e com seus proventos......o que voces fariam?
    PEDIDO:Peço que encaminhe esse email e anexo para o vice-procurador Da República e a todos os email do MPF do Brasil para tomada de consciencia e de atitude contra esse MARGINAL DO PGR RODRIGO JANOT.
    OBRIGADO! E VOCES SÃO CONTRA A CORRUPÇÃO PASSIVA OU ATIVA DENTRO DOS MPFs?

    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.