"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Procuradora culpa vítimas da boate Kiss por beberem antes de morrer


Procuradora culpa vítimas da boate Kiss por beberem antes de morrer:



Mirela Marquezan, procuradora de Santa Maria (RS), revoltou familiares das vítimas do incêndio da boate Kiss ao afirmar que, por estarem bêbadas, contribuíram para a própria morte.
As afirmações estão em uma contestação a um pedido de indenização feito pela família de um dos jovens mortos. O documento foi tornado público por um dos advogados do caso e reproduzido pela Folha. Leia os principais trechos:
"Certamente diferentes fatores contribuíram para esta diferença de condutas e desfechos, sendo, um deles, o estado de sobriedade ou de embriaguez de cada um dos frequentadores do estabelecimento, fato que deve ser bem analisado em cada caso concreto".
"Apesar da comoção generalizada e luto coletivo ocorridos com a tragédia da boate Kiss, e mesmo podendo parecer insensível mencionar a possibilidade de ocorrência de culpa das próprias vítimas; não há como ignorar o fato de que diversas pessoas que estavam em frente ao palco, onde começou o incêndio, conseguiram sair do local; ao passo que outras tantas, que estavam muito mais próximas à porta de saída, não abandonaram o recinto".

fonte - O ANTAGONISTA

COMENTÁRIO DO EDITOR:

Pensando bem, eu não vejo motivo para ficar tão revoltado assim com essa notícia...Vejamos: o Brasil deu FIES para Suzane Von Richthofen e Marco Aurélio Mello libertou Bruno que disse que prisão perpétua não traria Eliza de volta...Depois disso, Reinaldo Azevedo disse que a decisão do Marco Aurélio estava dentro da Lei...Lula mandou a Justiça enfiar processo no c* e uma colega da procuradora gaúcha, uma outra doente mental, disse que as crianças não pertencem à família...as crianças são do Estado...

Por que ficar tão brabo assim com essa procuradora agora ??? Não faz sentido..

Um comentário:

  1. PQP argumento bosta dessa procuradora: " não há como ignorar o fato de que diversas pessoas que estavam em frente ao palco, onde começou o incêndio, conseguiram sair do local; ao passo que outras tantas, que estavam muito mais próximas à porta de saída, não abandonaram o recinto".

    Quem tava lá na frente viu o fogo "ao vivo", claro que ficou logo com medo e deu no pé. Já quem tava do outro lado (eram 2 ambientes) só ouviu gritaria e confusão não deve ter entendido o que ocorria. Além disso, a saída ficava mais perto do ambiente com palco do que do ambiente onde ficava o bar e banheiros.

    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.