"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

SITE DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA TRAZ MATÉRIA COM TÍTULO "SOMOS TODOS MUÇULMANOS"

Financiado com dinheiro roubado da Nação pela Organização Criminosa Petista e tendo como fonte os comunistas espanhóis do Jornal El País, o site sujo conhecido como "Portal Vermelho" traz notícia dizendo que latinos e judeus se unem contra Trump dizendo que "Somos Todos Muçulmanos"

1 de fevereiro de 2017 - 19h02 


Latinos e judeus se unem contra Trump: “Somos todos muçulmanos”


Foto: El Pais
 O rabino Steve Einstein, na sede da organização muçulmana CAIR, em Anaheim, O rabino Steve Einstein, na sede da organização muçulmana CAIR, em Anaheim,
A organização muçulmana Conselho de Relações Islâmico-Americanas (CAIR, na sigla em inglês), anunciou, nesta segunda-feira, a abertura de um novo processo contra o Governo de Donald Trump por causa da ordem executiva que veta a entrada nos Estados Unidos de imigrantes e refugiados de sete países com maioria muçulmana. A denúncia de inconstitucionalidade, apresentada em um tribunal federal da Virgínia em nome de 20 imigrantes legais dos países afetados pelo veto, se soma à que foi apresentada pela União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU, na sigla em inglês), que conseguiu a suspensão temporária das deportações desde sábado, e a outra apresentada pelo Estado de Washington.

Obama rompe o silêncio e diz que Trump ameaça os valores norte-americanos
Trump demite secretária interina de Justiça que se negou a sustentar veto migratório
Ao mesmo tempo que anunciavam o processo, os muçulmanos do sul da Califórnia, onde vive a maior comunidade iraniana do mundo fora do Irã, receberam o apoio de organizações de defesa dos imigrantes latinos, sindicatos e vários rabinos judeus. Trata-se de um exemplo da quantidade de grupos e sensibilidades que se juntaram nos protestos em todo o país contra a ordem de Trump.

“Hoje somos todos muçulmanos”, disse Ana Briceno, do sindicato de serviços Local 11 e membro de uma rede de colaboração entre latinos e muçulmanos formada assim que Trump assumiu a presidência. Briceno participava de um ato conjunto com os líderes do CAIR, em sua sede, em Anaheim. “Trump envergonhou a herança dos Estados Unidos”, afirmou.

“Estamos juntos com nossos irmãos muçulmanos”, declarou Angélica Salas, diretora da CHIRLA, a organização de defesa de imigrantes mais ativa do sul da Califórnia. “Nós sabemos o que é ser perseguido pela imigração e o que é não te deixarem entrar no país. Defenderemos os direitos de nossos irmãos muçulmanos com a mesma ferocidade que os nossos”, disse Salas, que fez uma advertência sobre as futuras medidas de Trump: “Se isso está acontecendo com as pessoas que têm visto, podem imaginar o que vai acontecer com quem está ilegal?”.

O rabino Steve Einstein disse que “este país deveria ser um lugar seguro para aqueles que fogem”. “Sou neto de imigrantes que vieram para cá porque o Governo do país deles não os queria por causa de sua religião”, afirmou Einstein, para quem “a oposição ao fanatismo é um ato sagrado”. A cena na sede do CAIR, onde também estavam a ACLU e o sindicato de serviços SEIU, resumia a enorme oposição que a ordem de Trump gerou na Califórnia, das instituições mais altas a todo tipo de organizações de base.

Essa oposição foi traduzida em manifestações espontâneas durante todo o fim de semana. Milhares de pessoas tomaram o terminal internacional do aeroporto de Los Angeles desde a noite da sexta-feira, quando se conheceram os primeiros casos de pessoas retidas ao tentar entrar nos Estados Unidos apesar de contar com vistos ou com carteiras de residência permanente em dia. Dezenas de advogados voluntários passavam pelo terminal perguntando às pessoas se estavam esperando por alguém dos sete países afetados pela ordem executiva de Trump: Irã, Iraque, Somália, Sudão, Iêmen, Síria e Líbia.

A advogada da ACLU, Caitlin Sanderson, que passou todo o fim de semana no aeroporto, afirmou que de sete pessoas retidas, seis foram liberadas antes da noite de domingo. Uma delas foi deportada, mas uma ação da ACLU obrigou o Departamento de Segurança Nacional a devolver o deportado aos Estados Unidos. Sanderson disse ao EL PAÍS que não se sabe qual era a situação no terminal internacional do aeroporto na segunda-feira, já que a polícia de fronteiras se negou a dar informações. Segundo as conversas que voluntários da organização tiveram com familiares que esperam alguém vindo dos países proibidos, a ACLU acredita que os agentes de fronteiras estão usando ameaças para obrigar alguns passageiros a renunciar a seus vistos ou permissões de residência, para assim poder deportá-los.

O caso dos iranianos é especialmente preocupante no sul da Califórnia, já que é onde está a maior comunidade dessa nacionalidade fora do Irã, estimada em 500.000 pessoas. Em Los Angeles vivem cerca de 70.000, a maioria de judeus iranianos que se estabeleceram em Beverly Hills há décadas fugindo da perseguição da Revolução Islâmica. Entre a comunidade iraniana muçulmana, especialmente os que chegaram mais recentemente, é normal ir e voltar do Irã ou ter familiares de visita.
 

Fonte; El Pais
RESPOSTA PARA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA E SEU SITE: 
1. A segurança interna dos Estados Unidos é problema deles; não nosso.
2. O Conselho de Relações Islâmica-Americanas não tem força nem poder NENHUM perante à Constituição dos Estados Unidos.
3. Os latinos e judeus que vivem nos EUA não são muçulmanos: são latinos e judeus e não tem obrigação NENHUMA de votar no Partido Democrata nem concordar com Hillary Clinton. Os latinos e judeus não são, nos EUA, aquilo que os movimentos afro-brasileiros e gays são para o PT no Brasil - uma reserva de votos. 

3 comentários:

  1. É preciso dizer não aos psicopatas globalistas (nota: eles ainda controlam os media) que PRETENDEM IMPLEMENTAR NOVOS TABUS NA CIVILIZAÇÃO.
    .
    -» Quando se falava em fronteiras/Identidade os psicopatas globalistas - pretendem implementar novos tabus na civilização - vociferavam "fascistas, nazis, etc" até silenciarem as vozes desalinhadas.
    DONALD TRUMP SALVOU A LIBERDADE DE EXPRESSÃO: ele enfrentou os psicopatas globalistas (controlam os media)... e... passou a ser possível falar em fronteiras/Identidade com naturalidade.
    .
    .
    É preciso dizer não aos psicopatas globalistas, isto é, ou seja, não se pode deixar de reivindicar o LEGÍTIMO Direito à sobrevivência de Identidades Autóctones: Separatismo-50-50.
    Leia-se:
    - Todos Diferentes, Todos Iguais... isto é, ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta.
    [nota: Inclusive as de rendimento demográfico mais baixo... Inclusive as economicamente menos rentáveis...]
    .
    .
    Não há que ter pena dos povos que vão DESAPARECER por não existir uma minoria, sequer, a interessar-se pela sobrevivência da sua Identidade.
    .
    Explicando melhor:
    - Democracia sim; todavia, a minoria de autóctones que se interessa pela sobrevivência da sua Identidade... tem de dizer NÃO ao nazismo-democrático, leia-se: é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros, isto é, ou seja, é preciso dizer não àqueles que evocam pretextos para negar o Direito à Sobrevivência de outros (nota: nazismo não é o ser 'alto e louro', bla bla bla,... mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!); dito de outra maneira: os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
    ---» ver blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
    .
    .
    .
    Anexo:
    É NECESSÁRIO UM ACTIVISMO GLOBAL
    .
    Imagine-se manifestações (pró-Direito à Sobrevivência) na Europa, na América do Norte (Índios nativos), na América do Sul (Índios da Amazónia), na Ásia (Tibetanos), na Austrália (Aborígenes), ETC... manifestações essas envolvendo, lado a lado, participantes dos diversos continentes do planeta... tais manifestações teriam um impacto global muito forte.

    ResponderExcluir
  2. os psicopatas globalistas (controlam os media)...estes psicopatas globalistas são todos JUDEUS,portanto,Trump,será um marionete nas mãos da judiaria mundial.

    ResponderExcluir
  3. os psicopatas globalistas (controlam os media)...estes psicopatas globalistas são todos JUDEUS,portanto,Trump,será um marionete nas mãos da judiaria mundial.

    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.