"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 11 de março de 2017

11 de Março de 1955: Morre o cientista Alexander Fleming, Nobel da Medicina, que descobriu a penicilina.

11 de Março de 1955: Morre o cientista Alexander Fleming, Nobel da Medicina, que descobriu a penicilina.:

Alexander Fleming  nasceu em Lochfield, no condado escocês de Ayr, no Reino Unido, no dia 6 de Agosto de 1881. Formou-se na escola de medicina do Hospital Saint-Mary, em Londres. Cedo começou a pesquisar os princípios activos antibacterianos, que acreditava não serem tóxicos para o tecido humano. Durante a Primeira Guerra Mundial, serviu no corpo médico da Marinha, nas frentes de batalha, e viu muitas mortes por infecção. Findada a guerra, foi nomeado professor de bacteriologia do Hospital Saint-Mary e posteriormente foi nomeado director adjunto.
Em 1921 identificou e isolou a lisozima, uma enzima bacteriostática, que impede o crescimento de bactérias, presente em certos tecidos e secreções animais, como a lágrima e a saliva humanas, e na albumina do ovo.
Em 1928 era professor do colégio de cirurgiões e estudava o comportamento da bactéria Staphylococcus aureus, quando observou uma substância que se movia em torno de um fungo da espécie Penicillium notatum, demonstrando grande capacidade de absorção dos estafilococos. Fleming baptizou essa substância com o nome de penicilina e, um ano mais tarde, publicou os resultados do estudo no British Journal of Experimental Pathology. Não pareciam então promissoras as tentativas de aplicar esse material ao tratamento das infecções humanas, devido a sua instabilidade e falta de potência. Anos depois, um grupo de pesquisadores da Universidade de Oxford interessou-se pela possibilidade de produzir penicilina estável para fins terapêuticos.
Uma década após a publicação da pesquisa de Fleming, os americanos Ernst Boris Chain e Howard Walter Florey conseguiram isolar a penicilina em estado anidro. Em 1941 o produto começou a ser comercializado nos Estados Unidos, com excelentes resultados terapêuticos no tratamento de doenças infecciosas. Fleming foi reconhecido universalmente como descobridor da penicilina e eleito membro da Royal Society em 1943. Um ano depois, foi sagrado cavaleiro da coroa britânica.
Em 1945, Sir Alexander Fleming obteve novo reconhecimento pelo seu trabalho de pesquisa ao receber o Prémio Nobel de fisiologia e medicina, em conjunto com os americanos Chain e Florey. O cientista teve oportunidade de acompanhar a repercussão da sua descoberta e a evolução dos antibióticos, medicamentos dos mais utilizados no mundo e responsáveis pela cura de doenças graves, como a tuberculose.
Alexander Fleming faleceu em Londres no dia 11 de Março de 1955, de  ataque cardíaco.
wikipédia (imagens)
Synthetic Production of Penicillin TR1468.jpg
Faroe_stamp_079_europe_%28fleming%29.jpg
Fleming num selo das Ilhas Faroe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.