"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

terça-feira, 14 de março de 2017

A NOVA LISTA E O CONCEITO DE "BANALIDADE PENAL"



Hannah Arendt criou o conceito da "banalidade do mal". O STF, através do seu Ministro Sem Terra, Fachin, vai criar a "banalidade penal" com relação à nova Lista do Janot e vai fazer isso mantendo sigilo e liberando "aos pouquinhos" o nome dos vagabundos de Brasília que foram denunciados...Com isso, a opinião pública vai ser "dessensibilizada" (também aos pouquinhos) pela Laialaiane, pelo Reinaldo Azevedo e Cristiana Lobo em Pele de Cordeiro, de maneira que, um dia, um repórter vai perguntar para um Senador, Deputado ou Ministro:

PERGUNTA - "E sobre o fato do Sr. estar na lista de Janot?? O que o Sr. tem a dizer??"

RESPOSTA DO VAGABUNDO DO SENADO OU CÂMARA ou MINISTRO DO TEMER:

"Olha...veja, bem...é uma lista muito extensa, com diversos nomes..e eu vejo isso tudo com naturalidade...Praticamento todo mundo está na "lista"..Eu também...não tem nada de mais grave nisso e faz parte do "processo democrático"...

Nesse meio tempo os vagabundos chinelões brasileiros continuam vendo a "Emilly" pedir para o cirurgião plástico "gozar na boca dela" no BBB17 ou assistindo novela com "transcriança", ou a história de um padre satanista que se casou com um pastor alemão (o cachorro, não o sacerdote protestante) sei lá: alguma merda qualquer da Globo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.