"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 1 de março de 2017

CRIANÇA AMERICANA TEM MEDO DE "ESPÍRITOS". CRIANÇA BRASILEIRA, DE BALA PERDIDA.

Professora usa tabuleiro ouija com alunos de jardim de infância e deixa mãe indignada

Caso aconteceu nos EUA; tabuleiro ouija é usado para 'falar com espíritos'. Segundo mulher, filha está tendo pesadelos.

Por G1

28/02/2017 15h39

Atualizado 28/02/2017 15h45


Tábua de Ouija em imagem de arquivo (Foto: Zaid Zolkiffli/Freeimages.com)

Uma mãe indignada de Milwaukee, nos EUA, pediu à administração escolar local que uma professora de jardim de infância seja demitida porque brincou com um tabuleiro ouija com seus alunos de 5 anos. O tabuleiro ouija é uma placa com letras e símbolos que supostamente permitiria a comunicação com pessoas mortas, como acontece na "brincadeira do copo". As informações são da emissora WCVB, afiliada da rede ABC.

"Eles apagaram as luzes e conversaram com os espíritos. Isso não é algo que deveria ser feito na escola", disse a mãe sobre o jogo. Em um e-mail para a mãe, a professora disse que a placa ouija estava na sala de aula desde o Halloween.

"As crianças pediram uma história assustadora, eu peguei o tabuleiro e movi um clipe de papel para responder a algumas de suas perguntas. Eles perguntaram sobre personagens assustadores dos filmes. Não disse que havia espíritos.Tudo foi feito só por diversão. Entendo a sua preocupação, foi algo bobo e peço desculpas. Vou levar seu conselho em consideração e isso não vai acontecer de novo ", disse a professora.

A filha da mulher que reclamou agora está tendo pesadelos, segundo a mãe. "Ela tem medo de ir para a cama à noite, ficar no escuro, ou fazer qualquer coisa sozinha", relatou.

ESTADOS UNIDOS

COMENTÁRIO MEU: 

A menina teve muita sorte da professora americana brincar com "espíritos" - ela está assustada, mas daqui a sete dias não lembra mais nada. Uma "professora" brasileira ensinaria ela a dançar funk, fumar maconha, "dar" para qualquer homem e dizer que "Deus não existe". Aí sim: não haveria mais recuperação. Outra possibilidade seria ela invocar o "espírito" para ir até a escola e, quando estivesse chegando, o "espírito" seria atacado a tiros pelos traficantes que rondam o local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.