"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

segunda-feira, 13 de março de 2017

O jornalismo trans da Rede Globo

O jornalismo trans da Rede Globo:



globoxxx.png
Alexandre Borges, em seu Facebook, sobre a campanha da Globo em favor do "transexualismo", que trouxe como afirmação "científica", no Fantástico, a opinião de um médico-psiquiatra, que nada tem de cientista. Médicos podem, sim, ser cientistas, desde que trabalhem em pesquisa e não sejam meros administradores de receitas:

Dr. Marcelo Ribeiro, médico brasileiro que mora e atende nos EUA, responde ao jornalismo trans da Globo. A comparação com a anorexia é brilhante.
Se você é médico ou psicólogo e tem respeito pela verdade e pela sua profissão, o que está esperando para entrar na discussão também?
A Globo está de corpo, alma, chifres e tridente na construção da narrativa embusteira que tenta dar ares cientificistas a uma agenda ideológica e perversa que mira até em bebês. Como diz Ben Shapiro, a prioridade de qualquer sociedade é proteger suas crianças.
Pelo que saiu na imprensa, um bebê "trans" será tema de novela da emissora, por isso não é coincidência começarem a aparecer matérias "jornalísticas" como a do Fantástico tentando doutrinar a opinião pública com especialistas de araque.
A comunidade médica do Brasil precisa parar de olhar para o outro lado e ocupar seu espaço no debate, hoje dominado quase que exclusivamente pelos lobistas da erotização infantil.
Quando apenas um dos lados está lutando, é fácil saber o resultado final.


Marcelo Ribeiro

1 h · 

Quando diante de um paciente com anorexia que pesa 30 quilos mas enxerga uma pessoa com 300 no espelho, psicólogos tratam de mostrar ao paciente que a imagem no espelho não reflete a realidade. Quando o caso é de disforia de gênero, tais psicólogos passam a tentar curar a sociedade ao invés do paciente. Se desdobram pra provar que a imagem falsa que os pacientes veem no espelho é que é real e o resto do mundo que não compreende. Quando isso ocorre, esses "cientistas" já abandonaram a busca pela verdade e abraçaram a tara ideológica dos engenheiros sociais modernos. Ou seja, deixaram de ser cientistas e passaram a ser ativistas engajados.

Um comentário:

  1. Estes caras são charlatões, são unas caras ocos e como tal são covardes, é uma implulhação, estilionato para tirar vantagem financeira.

    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.