"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sexta-feira, 17 de março de 2017

Bandida Esquizofrênica Petista, Dilma Rousseff, em momento de LUCIDEZ, diz que o "Governo Temer é um Governo de LADRÕES"


Postado em mar 17 2017 - 11:59am por Jornal da Chapada

Dilma Roussef ataca novamente: "O governo Temer é um governo de ladrões": Cassada como criminosa pelo Congresso e integrante da lista de suspeitos que a PGR quer investigar por corrupção no caso da delaçao da Odebrecht, a petista Dilma Rousseff resolveu destilar ódio novamente e diz para a amestrada jornalista Maria Cristina Fernandes, jornal Valor de hoje que o Brasil passou a ser governado por ladrões, desde que Michel Temer subiu ao poder. Sobre Eduardo Cunha,

FONTE - POLÍBIO BRAGA

Em entrevista, Dilma detona Temer e diz “que o Brasil é governado por ladrões”


A presidente deposta Dilma Rousseff (PT) concedeu à jornalista Maria Cristina Fernandes sua mais contundente entrevista, desde que foi afastada do poder. Sem meias palavras, Dilma deixou claro que o Brasil hoje “é governador por ladrões”. Não apenas Michel Temer, mas vários de seus aliados foram apontados como corruptos por Dilma. “O gato angorá tem uma bronca danada de mim porque não o deixei roubar. Chamei o Temer e disse: ‘ele não fica'”, diz Dilma, explicando por que demitiu Moreira Franco da Secretaria de Aviação Civil. Coincidência ou não, Moreira Franco, que recentemente ganhou o foro privilegiado, aparece nas delações da Odebrecht, sendo acusado de cobrar propinas nas concessões de aeroportos.

Sobre Temer, Dilma deixa claro que é o próprio Eduardo Cunha, preso há mais de quatro meses em Curitiba, quem o chama de ladrão, nas perguntas que tentou encaminhar a ele, mas que foram vetadas pelo juiz Sergio Moro. “Lá está Eduardo Cunha dizendo que quem roubava na Caixa Econômica Federal, no FGTS, é o Temer. Leia minha filha. Alguém não sabe que o Cunha está dizendo que não foi o Yunes, mas o Temer?”, questiona Dilma, mencionando ainda o ex-assessor especial José Yunes, que disse ter sido “mula” de Eliseu Padilha.

Dilma explica ainda por que não se aliou a Eduardo Cunha, para tentar evitar o golpe. “Você está falando de um gângster inteligente. Devia ajoelhar e aceitar as condições?”, questiona. “Você vai me desculpar, mas eu não vou assaltar o País. Eduardo Cunha e eles assaltam o País”. A presidente legítima, que tem circulado como popstar pelo exterior, disse ainda que um de seus erros foi permitir que Michel Temer assumisse a articulação política, ao lado de Eliseu Padilha. Com isso, os dois perceberam as fragilidades da base aliada e prepararam o bote do golpe parlamentar de 2016. Padilha e outros aliados de Temer, como Geddel Vieira Lima, também são elencados por Dilma na categoria de “ladrões”.

“Saber quem eles são, nós sabemos. Não tenho a menor dúvida de quem é Padilha e Geddel. Sabia direitinho. Inclusive uma parte do que sou e da minha intolerância é porque eu sabia demais quem eles eram”. Resumo da ópera: Dilma caiu porque não permitiu que a turma do PMDB, hoje no poder sem intermediários, roubasse o quanto queria. Com informações do site Brasil 247.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.