"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Delator diz que Temer participou de reunião em que se cobrou propina de US$ 40 milhões 

Delator diz que Temer participou de reunião em que se cobrou propina de US$ 40 milhões :

Delator diz que Temer participou de reunião em que se cobrou propina de US$ 40 milhões 
O ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria diz, em seu acordo de delação premiada, que participou de uma reunião, em 2010, chefiada pelo presidente Michel Temer, na qual foi acertado o pagamento de US$ 40 milhões de propina relativos a 5% de um contrato da construtora com a Petrobras. As informações são do jornal Folha de S.Paulo .

O presidente da República é citado em dois inquéritos encaminhados pela Procuradoria-Geral da República (PGR), mas não pode ser investigado em razão da "imunidade temporária" que detém na condição de chefe do Executivo.

Leia mais: Padilha recebeu R$ 1,49 mi na Trensurb, diz Odebrecht
Odebrecht cita pagamento de R$ 40 milhões a Lula
Executivos teriam repassado R$ 100 mil a Rigotto


Segundo a publicação , o delator afirma que o encontro ocorreu no escritório de Temer, então candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff, no bairro Alto de Pinheiros, em São Paulo. Rogério Araújo, também executivo da empreiteira, e os então deputados federais Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) também teriam participado da reunião que tratou do repasse.

O delator destacou a informalidade do encontro e afirmou que os valores negociados foram chamados de "contribuição partidária" na ocasião.

Araújo confirmou a informação repassada pelo seu ex-colega de Odebrecht à Justiça. Segundo os delatores, antes da reunião, o lobista João Augusto Rodrigues, em nome do PMDB, já havia solicitado o repasse dos US$ 40 milhões. Na época da tratativa, os senadores do PT Humberto Costa (PE) e Delcídio do Amaral (MS) também teriam sido beneficiados com o pagamento da propina.

Márcio Faria afirma que valores não foram tratados na reunião, mas que os presentes sabiam que estava sendo negociada a propina em relação ao contrato. As afirmações de Farias vão ao encontro com depoimentos de outros delatores, inclusive, com documentos de pagamentos no Exterior e no Brasil, segundo a Folha.

Contraponto

O presidente Michel Temer afirmou, por meio de nota divulgada nesta quarta-feira, que "jamais tratou de valores" com um dos ex-executivos da Odebrecht, Márcio Faria.

"A narrativa divulgada hoje não corresponde aos fatos e está baseada em uma mentira absoluta. Nunca aconteceu encontro em que estivesse presente o ex-presidente da Câmara, Henrique Alves, com tais participantes", diz o texto emitido pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência.




Anexos originais:
17987300.jpg?w=1024&h=768

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.