"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Existe "risco real" de interferência na Polícia Federal, avalia presidente de associação de delegados

Existe "risco real" de interferência na Polícia Federal, avalia presidente de associação de delegados:

Existe
Presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), o delegado Carlos Eduardo Sobral disse, em entrevista ao Timeline, da Rádio Gaúcha, na manhã desta segunda-feira (29), que a PF recebeu com surpresa a troca do comando do Ministério da Justiça . Como o órgão, agora liderado por Torquato Jardim, é responsável por nomear os gestores e determinar o orçamento da corporação, ele avalia que há "risco real" de interferência no trabalho de investigação.

— Com crise política e instabilidade, atos insensatos passam a ser possíveis. Vamos redobrar a atenção. O cenário é de alerta. Existe risco real, ninguém pode negar — afirmou.

Escute a íntegra da entrevista:

Leia mais:
Temer troca Serraglio por Torquato Jardim no Ministério da Justiça
Crítico da Lava-Jato, novo ministro da Justiça vai "avaliar" mudanças na PF
Torquato Jardim já defendeu tese contrária à linha de defesa de Temer no TSE

Sobral ainda comentou o vazamento de diálogos, que apontavam a escolha de "um nome forte e com coragem" para interferir na PF, cujo foco tem sido o combate à corrupção. Por isso, defendeu que seja dada autonomia à instituição.

— Os potenciais meios de intervenção são imensos em função dessa falta de autonomia — disse, defendendo a PEC 412, uma lei complementar que prevê normas para que a corporação tenha autonomia funcional, administrativa e orçamentária.

O presidente da ADPF ainda comentou a entrevista dada pelo novo ministro à Folha de S.Paulo . Disse que viu com "tristeza" o fato de Torquato ter dito desconhecer o trabalho da PF e de que vai "avaliar" mudanças no comando da Polícia Federal.

A associação divulgou uma nota, em que reforça a preocupação com a noemação do ministro; leia a íntegra:

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) vem a público demonstrar preocupação com a notícia da substituição, neste domingo, dia 28, do Ministro Osmar Serraglio pelo Ministro Torquato Jardim para ocupar o cargo de ministro da Justiça.

Os Delegados de Policia Federal foram surpreendidos com a notícia da substituição, até mesmo porque desconhecem qualquer proposta de Torquato Jardim para a pasta. É natural que qualquer mudança no comando do Ministério da Justiça gere preocupação e incerteza sobre a possibilidade de interferências no trabalho realizado pela Polícia Federal. Para resolver esta situação e evitar dúvidas, é fundamental que seja logo aprovada, no Congresso Nacional, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 412/2009, que garante a autonomia funcional, administrativa e orçamentária à Polícia Federal.

Além da autonomia, também é essencial que seja instituído o mandato para Diretor-geral da PF, de modo que mudanças de governo ou de governantes não reflitam em interferências políticas, cortes de recursos e de investimentos que prejudiquem as ações da Polícia Federal.

Carlos Eduardo Sobral
Presidente da Associação Nacional dos Delegados de Policia Federal - ADPF


Anexos originais:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.