"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Clamor por justiça não será ignorado pelo STF, diz Cármen Lúcia

Clamor por justiça não será ignorado pelo STF, diz Cármen Lúcia:



brasil-carmen-lucia-20170619-001.jpg
Imagem: Tânia Rêgo / Agência Brasil
A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta sexta-feira, na sessão que encerrou o primeiro semestre e deu início ao recesso, assegurando a todos os brasileiros que “o clamor por justiça que hoje se ouve em todos os cantos do país não será ignorado em qualquer decisão” do STF.
Mais informações »


Joesley admite que repassava 6% dos contratos com o BNDES ao PT

Joesley admite que repassava 6% dos contratos com o BNDES ao PT:



dilma-rousseff-lula-2014-3921.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
No auge das eleições em 2014, Joesley Batista, dono da JBS, maior processadora de carne do mundo, entrou no Palácio do Planalto, em Brasília, e se dirigiu ao terceiro andar. Ali se encontrou com a então presidente Dilma Rousseff. Sentado numa ampla mesa redonda, o empresário disse: “Presidenta, eu vou falar um negócio aqui para a senhora. A senhora não precisa me confirmar nada. Mas só para te falar o que o Guido (Mantega, então ministro da Fazenda) me fala para a gente estar na mesma página. Tinha uma conta tal, que tinha 70 milhões (de dólares), outra 80 (milhões de dólares). Diz ele uma ser sua e uma ser do Lula. Veio as eleições, a gente já fez 300 e tantos milhões. Em tese, está acabando o dinheiro”. Joesley se referia a um acordo que fora feito com Mantega para criar uma conta-propina no exterior no valor de 150 milhões de dólares em troca dos investimentos bilionários feitos pelo BNDES e pelos fundos de pensão na JBS. Esses recursos ficavam sob administração da companhia lá fora – e eram liberados para candidatos do PT durante as eleições daquele ano.
Mais informações »


Governo federal arrecada mais do que gasta com emissão de passaportes

Governo federal arrecada mais do que gasta com emissão de passaportes:



15191169%2B%25281%2529.jpeg
Imagem: Divulgação
O governo arrecadou no ano passado R$ 578 milhões com a emissão de passaportes. Boa parte desse recurso, porém, não foi empregada no serviço prestado pela Polícia Federal.

Neste ano, a PF recebeu R$ 145 milhões para a fabricação do documento –cerca de um quarto do arrecadado em 2016. O pedido feito pelo órgão era maior: R$ 248 milhões.
Mais informações »


Ministro Edson Fachin manda soltar ex-deputado Rocha Loures, o 'homem da mala'

Ministro Edson Fachin manda soltar ex-deputado Rocha Loures, o 'homem da mala':



rodrigo-rocha-loures-2017-1012.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar nesta sexta-feira (30) o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).
Mais informações »


FACHIN SOLTA ROCHA LOURES


FACHIN SOLTA ROCHA LOURES:

Edson Fachin decidiu pela soltura de Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor de Michel Temer.

"É hora de serenidade, de temperança, de observância do racional, evitando-se atos extremos"


"É hora de serenidade, de temperança, de observância do racional, evitando-se atos extremos":

Marco Aurélio Mello, no despacho que restabelece o mandato de Aécio Neves, ainda discorre:

"A todos os títulos, há de prevalecer a autocontenção judicial, virtude essencial sobretudo em tempos estranhos. É hora de serenidade, de temperança, de observância do racional, evitando-se atos extremos...

"O Judiciário não pode substituir-se ao Legislativo"


"O Judiciário não pode substituir-se ao Legislativo":

Ainda do ministro Marco Aurélio Mello, que negou a prisão de Aécio Neves e decidiu por restabelecer o mandato do senador:

"Em síntese, o afastamento, em liminar, sem a existência sequer de processo-crime contra o parlamentar, do exercício do mandato é incabível...

"Mandato parlamentar é coisa séria"

"Mandato parlamentar é coisa séria":

Do ministro Marco Aurélio Mello, em sua decisão que restabelece o mandato do senador Aécio Neves:

"É mais que hora de a Suprema Corte restabelecer o respeito à Constituição, preservando as garantias do mandato parlamentar...

AÉCIO VOLTARÁ AO CARGO DE SENADOR, DECIDE MARCO AURÉLIO

AÉCIO VOLTARÁ AO CARGO DE SENADOR, DECIDE MARCO AURÉLIO:

Marco Aurélio Mello acaba de decidir por não acatar o novo pedido de prisão de Aécio Neves, feito pela PGR, e ainda restabelecer o mandato do senador tucano.

Confira aqui a íntegra da decisão.



uploads%2F1498832211886-aecio.png


Pelegos invadem Congonhas

Pelegos invadem Congonhas:

Os pelegos invadiram Congonhas, de novo, para impedir os passageiros de viajarem.

Que bacana.



uploads%2F1498830042626-cong.png


Greve Geral começa com paralisação, protestos e bloqueios em diversas cidades do país

Greve Geral começa com paralisação, protestos e bloqueios em diversas cidades do país:

Jorge Ferreira/Mídia Ninja
Manifestantes protestam pelo fim das reformas de Temer, por Diretas Já e pela saída do presidente do cargo
 


Centrais sindicais convocaram para está sexta-feira (30) uma nova greve geral em protesto contra as reformas da Previdência e trabalhista do governo Michel Temer (PMDB). O movimento, convocado pelas centrais sindicais e também pelas as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, promete ser menor que o último ato realizado no dia 28 de abril. No entanto, em diversas cidades do país, o dia promete ser de paralisação e protestos.

Além das reformas, os manifestantes também protestam pelo “Fora Temer” e pelas “Diretas Já”. Na última quarta-feira (28), a reforma trabalhista avançou no Senado, com aprovação do parecer favorável na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.

Em São Paulo, os rodoviários voltaram atrás e decidiram não aderir à paralisação. O metrô deve funcionar parcialmente. Uma liminar do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2) determinou que 80% dos metroviários trabalhem em horário de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h). Nos demais períodos, o efetivo deverá ser de 60%. Em caso de descumprimento, será aplicada multa no valor de R$ 100 mil. Segundo a CUT, haverá a adesão de bancários, professores, petroleiros e profissionais da saúde no estado. O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocupa, agora pela manhã, o Aeroporto de Congonhas e Guarulhos.

No Rio de Janeiro, o movimento começou na madrugada. Na Ponte da Barra, em Macaé, no Norte Fluminense, manifestantes atearam fogo em pneus e fizeram um bloqueio para interditar a ponte. A cidade é conhecida como a capital nacional do petróleo, por produzir quase 80% do petróleo do país. Bancários, professores, metalúrgicos, vigilantes e petroleiros aderiram aos protestos. Os manifestantes fazem bloqueios em diversas vias e bairros do estado, bem como nos aeroportos do Galeão e Santos Dumont.

Em Curitiba, professores, bancários, vigilantes, metalúrgicos e petroleiros também paralisaram, mas os metroviários mantiveram a rotina de trabalho.

Já em Brasília,  metroviários, rodoviários, bancários, professores e trabalhadores do Judiciário decidiram cruzar os braços e farão movimentos pontuais na capital. Para evitar tumultos e depredações de prédios públicos, a Polícia Militar escalou mais de 2,6 mil policiais para atuar “em dois turnos ininterruptos de forma a garantir o direito de manifestação e ao mesmo tempo proteger a população e o patrimônio”.

O acesso à Esplanada dos Ministérios já amanheceu limitado. Já os acessos por avenidas paralelas (S1 e N1) foram fechados a partir da meia-noite desta sexta-feira, na altura da Rodoviária do Plano Piloto. Somente veículos oficiais serão autorizados a transitar na região. Equipes também farão revistas pessoais.

A Secretaria de Segurança Pública e Paz Social do Distrito Federal autorizou a entrada de dois carros na Esplanada dos Ministérios. Os veículos serão colocados na área da manifestação antes do evento e não irão transitar entre os manifestantes, como em atos anteriores.

A polícia informou que para evitar danos ao patrimônio público, os ministérios serão cercados e será implantada uma barricada em frente ao Congresso Nacional, também será reforçado os acessos aos prédios anexos dos ministérios. O Batalhão de Policiamento Rodoviário irá fiscalizar os ônibus que chegarem ao Distrito Federal para manifestação. Também serão realizadas abordagens nas BRs 020, 040, 060 e 070.

Durante todo o dia, estão previstos atos em Fortaleza (CE), Belo Horizonte (BH), Mossoró (RN), Porto Velho (RO), São Paulo (SP), Osasco (SP), Ribeirão Preto (SP), Aracaju (SE), Rio de Janeiro (RJ), Macaé (RJ), Curitiba (PR), Foz do Iguaçu (PR), Londrina (PR), Maringá (PR).

Na última greve realizada no dia 28 de abril, segundo a CUT, mais de 35 milhões de brasileiros deixaram de trabalhar. A paralisação afetou significativamente a mobilidade em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Fortaleza, Curitiba e em quase todas as grandes cidades do país.

Com informações da Agência Brasil e da Mídia Ninja

Leia também:

CUT estima que mais de 35 milhões de brasileiros deixaram de trabalhar hoje

Em Porto Alegre, manifestantes bloquearam avenidas e impediram trens e ônibus de circular

Em Porto Alegre, manifestantes bloquearam avenidas e impediram trens e ônibus de circular:

Eduardo Amaral
Greve Geral em Porto Alegre paralisou o transporte público e levou manifestantes para as ruas
 


Por Eduardo Amaral especial para o Congresso em Foco

A greve geral convocada para está sexta-feira (30), em todo o país, começou com impactos significativos em Porto Alegre (RS). O transporte público​ foi o que sofreu o maior abalo durante a manhã pela greve convocada por centrais sindicais e movimentos sociais. Os manifestantes protestam contra as reformas trabalhista e previdenciária, além de pedir a saída do presidente Michel Temer e eleições diretas. Ainda na madrugada, manifestantes bloquearam a saída das garagens de empresas de ônibus da capital gaúcha.

Mesmo sem o aval do sindicato dos rodoviários​, sete das 11 empresas responsáveis pelo transporte de ônibus na cidade tiveram as garagens bloqueadas. No entanto, os bloqueios nas garagens não duraram muito, o pelotão de choque da Brigada Militar (BM) disparou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

A primeira ação ocorreu na empresa Nortran, responsável pelas linhas da zona norte da cidade. Às 5h30 ônibus da empresa já circulavam. A BM também usou bombas de gás para acabar com o bloqueio na empresa Carris. Diversos artefatos foram disparados contra o grupo de aproximadamente 300 pessoas. Nas outras garagens a saída​ foi negociada e os locais liberados sem uso de bombas.

Além do transporte por ônibus, o Trensurb (empresa de trens urbanos), que faz a ligação entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, no Vale dos Sinos, também não funcionou no início da manhã. Diferente dos rodoviários, o sindicato dos metroviários anunciou adesão ao movimento, o que foi cumprido até às 6h30, quando as estações começaram a funcionar. O funcionamento ocorreu cerca de uma hora mais tarde do que em dias normais.

Uma decisão judicial  determinou que  a os trens funcionassem nos horários de pico. Para evitar que os trens circulassem, os manifestantes ocuparam os trilhos ao longo do percurso. Após negociação, os trilhos foram liberados.

Ruas bloqueadas e negociações tensas

Nas proximidades da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) estudantes organizaram protestos e bloquearam as ruas próximas. O primeiro atrito ocorreu após os manifestantes colocarem fogo em pneus para bloquear uma das ruas. Mais uma vez, a Brigada Militar utilizou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar a manifestação.

Logo depois da primeira dispersão, o grupo se reuniu em outra rua próxima, bloqueando a via. Uma negociação foi aberta entre manifestantes e BM. Ficou acordado que a cada cinco minutos bloqueada, os manifestantes liberariam por um minuto uma pista da avenida.

O diálogo entre as partes foi tenso e terminou com acusações. “Se atacar o pelotão nos atacamos”, afirmou o major que fazia a negociação. Um dos manifestantes respondeu prontamente. “Não foi o que aconteceu. Temos imagens.” O policial defendeu a ação da BM. “Nós também temos imagens do crime que vocês cometeram”, afirmou em referência a queima de pneus.

Na zona leste, três pessoas foram presas. Dois homens foram detidos na Rua dos Burgueses por depredar ônibus da Carris que saiam da garagem. O outro homem foi detido na na Avenida Bento Gonçalves, por portar rojões e pedras. De acordo com a BM, os rojões foram utilizados contra o choque.

Após essa conversa o grupo seguiu na via, mas outro brigadiano anunciou que eles deveriam deixar uma das pistas livres e teriam cinco minutos para fazer o protesto. O grupo seguiu na via, e menos de dois minutos depois os manifestantes correram para dentro do prédio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ao longo da manhã, o grupo com cerca de 100 pessoas fazia bloqueios pontuais nas ruas do entorno dos prédios da UFRGS no centro.

Em Porto Alegre, escolas municipais e estaduais, bancos e a Justiça do Trabalho aderiram ao movimento e paralisaram as atividades devido à greve geral.

Leia também:

Greve Geral começa com paralisação, protestos e bloqueios em diversas cidades do país

POLÍBIO BRAGA - TRT do RS dá mau exemplo nesta greve política de hoje


TRT do RS dá mau exemplo nesta greve política de hoje: O Tribunal Regional do Trabalho do RS mandou os trabalhadores dos trens do Trensurb trabalharem nos horários de pico.

Mas fechou as portas por conta da greve, embora atenda em regime de plantão.


Procuradores da Lava Jato ameaçam abandonar os cargos se Raquel Dodge assumir chefia do MPF

Procuradores da Lava Jato ameaçam abandonar os cargos se Raquel Dodge assumir chefia do MPF:



bancoimagemfotoaudiencia_ap_322162.jpg
Imagem: Ag. Senado
Alguns dos procuradores à frente da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República ameaçam abandonar seus cargos se a subprocuradora Raquel Dogde for confirmada no Senado como nova chefe do Ministério Público Federal. Os investigadores não querem trabalhar com Dodge. Enxergam a indicação dela com grande desconfiança - uma tentativa do presidente Michel Temer e do ministro Gilmar Mendes de sufocar, por dentro, a Lava Jato. Alguns dos procuradores já trabalharam com a subprocuradora e não gostaram do que qualificam como estilo centralizador dela. Nenhum percebe nela coragem e ímpeto para comprar as brigas que o atual procurador-Geral, Rodrigo Janot, comprou ao longo da operação.
Mais informações »


30 de Junho de 1934: "Noite das facas longas", na Alemanha nazi. Adolf Hitler, Goering e Himmler ordenam a morte dos dirigentes da tropa de choque SA

30 de Junho de 1934: "Noite das facas longas", na Alemanha nazi. Adolf Hitler, Goering e Himmler ordenam a morte dos dirigentes da tropa de choque SA:

A partir de 24 de março de 1933, o "Reichstag" (Parlamento alemão) aprova a chamada "lei dos plenos poderes", dando a Adolph Hitler uma autoridade ditatorial. Estes primeiros anos no poder serão cruciais para o ditador estabelecer a sua autoridade e rodear-se de colaboradores leais. Em todas as províncias são instalados governadores do Reich e são drasticamente limitadas as liberdades democráticas. A nível social, a influência nazi começa igualmente a estender-se; não há, a partir de então, associação, profissão, emprego oficial, jornal ou empresa que não estejam integrados na linha omnipotente do partido. Ocorrem, também, os célebres pogroms contra os judeus. Simultaneamente, a atenção de Hitler vira-se para as forças militarizadas. Com Heinrich Himmler cria-se a Gestapo (Polícia Secreta do Estado) e o serviço de segurança (SD). Para os adversários (políticos, religiosos ou "racistas") criam-se campos de concentração (KZ) por detrás de pântanos ou florestas, rodeados de arame farpado e de fileiras de postos de vigilância. Pouca gente do povo se apercebe verdadeiramente do que se passa. Quem se apercebe está, de alguma forma, dentro do sistema. Alguns comandos da Reichwehr (o exército) opõem-se a esta evolução, não se deixando manobrar pelo sistema. O presidente do Reich continua a ser o seu presidente supremo e o corpo de oficiais está em grande parte cheio de desconfiança e de aversão por Hitler e os seus métodos. Quando o chefe das SA, Ernst Rohm, apoiado pelo seu gigantesco exército, pretende organizar um corpo paramilitar eficaz e autónomo, o ditador reage de forma drástica. Manda "limpar" todos os setores militares, eliminando todos quantos se lhe poderiam opor. E tudo numa única noite, que ficará conhecida como "A Noite das Facas Longas". Rohm foi preso na madrugada de 30 de junho de 1934 por Hitler num hotel nos arredores de Munique e, resistindo à prisão, foi levado à força ao cárcere de Stadelhein. Em 2 de julho de 1934, em Stadelhein,seguindo ordens diretas de Hitler,Theodor Eicke (construtor do Campo de Concentração de Dachau) e um oficial da SS  foram à sua cela, entregando-lhe uma pistola com uma bala e 10 minutos para se matar, se não fizesse eles mesmos o executariam .Röhm  recusou-se,dizendo: "Se vou ser morto, deixe o Sr. Hitler fazer isso"..Eicke e o oficial  retiraram-se, retornando após 10 minutos. Encontraram Röhm de pé e totalmente nu .Sem entender o motivo para isso, mas obedecendo às ordens recebidas,  executaram Röhm à queima-roupa.

Na noite de 30 de junho de 1934, foram assassinados dezenas de adversários, pessoas informadas que, conhecendo Hitler, poderiam "falar de mais" a seu respeito; trata-se, por isso, de uma das mais célebres e dramáticas depurações do Partido Nacional Socialista.
A Noite das Facas Longas (30 de junho 1934). In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2011.
wikipedia (imagens)

~
Bundesarchiv_Bild_102-14886%2C_Kurt_Dalu
Kurt Daluege, Heinrich Himmler e Ernst Röhm em  Agosto de  1933

Franz von Papen, vice-chanceler alemão, foi preso após discursar contra os nazis

Vonpapen1.jpg
Gregor Strasser, membro e vice-líder do partido Nazi, uma das vitimas da Noite das facas longas pela sua rivalidade com Hitler
Bundesarchiv_Bild_119-1721%2C_Gregor_Str

quinta-feira, 29 de junho de 2017

A nova da esquerda online: rir da garotinha que não conseguiu passaporte para ir à Disney

A nova da esquerda online: rir da garotinha que não conseguiu passaporte para ir à Disney:

A esquerda, especialmente a online, odeia a classe média. A esquerda, especialmente a online, faz parte da classe média. Quase todos eles, quando há festa de família, dizem que não aguentam aquelas quarenta pessoas e se isolam, postando nas redes sociais, solitários, em ato de rebeldia contra aquela sociedade.
Algo como um microcosmos do resto do mundo: a esquerda compõe a fração de 1/40 do povo e a culpa é sempre dos outros 39/40 – que, por sua vez, talvez nem entendam o porquê daquela pessoa esquisita ser tão chatinha e não se divertir como todo mundo numa boa, sem encher o saco ou ficar arranjando problema até piadas bobas.
Passado o resumo, vamos ao fato mais recente.
Com a decisão da Polícia Federal de suspender a emissão de passaportes, muitos foram prejudicados, é óbvio, e alguns casos ganharam a mídia, o que é normal em qualquer situação do tipo. Um deles foi a garotinha (foto; borrada por questões de privacidade) que não conseguiu o documento para viajar à Disney, seu sonho, e chorou por isso. O pai, a seu lado, inconformado.
Sim, a esquerda usou o episódio para fazer troça. Assim como acontece com vítimas e famílias de vítimas de bandidos, também dessa vez esqueceram deliberadamente qualquer empatia ou sororidade. Por ser de classe média, na cabeça da esquerda, ela talvez merecesse o sofrimento.
A ideia aqui não é apontar nomes nem fulanizar a coisa, o que seria até baixo. O importante é apontar o caso todo como apenas mais um episódio do que acontece sempre. Toda vez em que se divulga um infortúnio que não seja da parcela mais miserável, essa mesma esquerda aparece para tirar sarro e fazer pouco desse sofrimento.
Sabe aquilo de quando a criança diz que não consegue comer tudo e a mamãe emenda: “tem muita gente passando fome no mundo, não é justo você sobrar”? O que o esquerdismo faz nesses casos é algo numa toada parecida, mas o amor materno dá inveja à fúria ideológica um tanto adolescente.
Sim, há casos piores que o da menina. Mas é mesquinho demais tripudiar de sua dor, mais ainda sem saber como isso ocorreu. Suponhamos o pai que juntou esse dinheiro por anos, e agora enfim realizaria o grande sonho de sua pequena, tudo indo por água abaixo e ela ali, chorando.
Tacanho demais rir disso. Tacanho até para nossa esquerda online.
Source: Implicante.Org

RESPOSTA DO EDITOR:

A situação dos passaportes só vai se regularizar quando a legião de vagabundos petistas dentro das Universidades Federais  (que faz doutorado Cheeseburger em "pedagogia transcendental homoafetiva" na NYU)  resolver processar o Governo do Drácula do PMDB por não ter conseguido viajar.

Gilmar defende "Estado chicaneiro" para salvar de Temer a Lula, diz procurador de Curitiba

Gilmar defende "Estado chicaneiro" para salvar de Temer a Lula, diz procurador de Curitiba:

Categoria: 

Justiça
Foto: Reprodução





Jornal GGN - Na mesma semana em que tribunal de segunda instância derrubou a sentença de Sergio Moro contra João Vaccari Neto por causa de delações sem provas, o procurador de Curitiba Carlos Fernando dos Santos Lima decidiu insurgir-se contra a tentativa de Gilmar Mendes de liderar uma maioria no Supremo Tribunal Federal que viabilize a anulação de acordos que não se provaram verdadeiros.

No argumento de Lima, a intenção de Gilmar é criar um meio de anular a delação da JBS porque, assim, pode salvar o governo Temer e seus aliados, como Aécio Neves. Porém, uma decisão dessa magnitude poderá facilmente se estender sobre as delações feitas pela Procuradoria da República em Curitiba e estragar outros processos, incluindo aqueles contra o ex-presidente Lula, sinalizou.

leia mais

Moro nega ida à Suíça a alvo da Lava Jato 'acometido de saudade'

Moro nega ida à Suíça a alvo da Lava Jato 'acometido de saudade':



marianomarcosdepaula.jpg


Mariano Marcondes Ferraz, acusado de pagar propina a ex-diretor da Petrobrás, alegou ao juiz que queria ver os filhos; magistrado decidiu que ?interesse privado não pode prevalecer frente ao interesse público de fiel aplicação da lei penal brasileira?


Benefícios podem ser revistos se delator não cumprir deveres, decide STF

Benefícios podem ser revistos se delator não cumprir deveres, decide STF:



stf.jpg
Imagem: Carlos Moura / STF
O Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu nesta quinta-feira (29) o julgamento sobre a validade da delação da JBS, fixando o entendimento de que benefícios a delatores podem ser revistos ao fim do processo caso eles não cumpram os deveres assumidos no acordo de colaboração.
Mais informações »


Temer comia rabada e tomava vinho português quando denúncia da PGR contra ele era lida

Temer comia rabada e tomava vinho português quando denúncia da PGR contra ele era lida:

O presidente Michel Temer (Foto:  ANDRE COELHO / Agencia O Globo)
O presidente Michel Temer (Foto: ANDRE COELHO / Agência O Globo)


Enquanto era lida no plenário da Câmara dos Deputados a denúncia da Procuradoria-Geral da República pelo crime de corrupção passiva, o presidente Michel Temer almoçava na casa do deputado Heráclito Fortes (PSB-PI). O cardápio do dia era rabada. Temer degustou, ainda, um vinho português. “Mas não se falou de crise, denúncia, nada disso. Falamos amenidades. Quando se come rabada, não se pode falar de temas pesados para evitar indigestão”, afirmou Heráclito Fortes.

>> Temer abre conferência que oferece capacitação para o combate à corrupção

Outubro de 2018, a Lava-Jato eleitoral.

Outubro de 2018, a Lava-Jato eleitoral.:



urna-eletronica_1.jpg
Artigo de Percival Puggina afirma que a terceira fase da Lava-Jato terá que ser feita por nós, em outubro do ano que vem:


Há mais de meio século estudo e acompanho a política brasileira. Vivi, inclusive, períodos de participação ativa no final do século passado. Confesso que nunca observei algo que guarde analogia com o que estamos presenciando nestes desregrados anos. Tensões, conflitos, antagonismos são disponibilizados a quem participa da política com a mesma assiduidade com que o pão comparece à mesa do café da manhã. Esse serviço diário é proporcionado pela disputa do poder e encontra sua síntese nos alinhamentos de governo e oposição. Em países que se dizem democráticos, sem a hipocrisia dos hierarcas cubanos e venezuelanos, sempre há um governo e sempre há uma oposição livre. Os cidadãos, naquilo que lhes corresponde, reconhecem essa polarização identificando-se com algum dos lados.

O Brasil destes inusitados dias é curiosa exceção. Há governo, há oposição, mas ampla maioria da sociedade, se pudesse, botava os dois blocos no olho da rua. A polarização se tornou jogo meramente institucional, em cujos desdobramentos, inclusive, são rotineiros os momentos de convergência e recíproca proteção sempre que interesses escusos estão sob ameaça. Nestes casos, as ideologias são mandadas às favas e se estabelece, sólida, a sociedade dos celerados. A nação - militantes à parte porque formam uma categoria social distinta - percebe os fatos e se distancia dos polos políticos. É baile de cobra onde não se entra sem perneira. A rede com que se captura a confiança dos eleitores tem rombos pelos quais até baleias transitam.

Inusitado, também, o desalento nacional perante as estruturas do poder político. Insistentemente tenho escrito sobre a irracionalidade do nosso modelo institucional, sua fertilidade em gerar crises e incompetência para resolvê-las sem gravíssimas sequelas. Em linguagem farmacológica, nossos remédios institucionais são estranhos placebos, com paraefeitos que se agravam quando as sessões dos tribunais superiores são submetidas ao crivo da opinião pública. Definitivamente, eles não se ajudam quando metem os pés políticos pelas mãos jurídicas.

Além da tela do computador com o qual escrevo, além da touch screen do telefone celular, há um mundo nada virtual, bem real, clamando por ordem, justiça e atenção às suas necessidades básicas; há todo um setor produtivo carecendo de estabilidade, credibilidade e capacidade de investimento. Nosso país é um gigante geográfico e populacional onde solavancos políticos afetam a vida de milhões de pessoas. E nós estamos enfrentando terremotos. É desde essa perspectiva, tomado por desalento em relação às urgências nacionais, como as reformas ora em debate e as político-institucionais, que desejo registrar três convicções.

Primeira: não é tudo a mesma coisa. Ainda que a desonra venha a atingir equitativamente os blocos de governo e oposição, em quase tudo mais que importa há, entre eles, desigualdades muito relevantes sobre temas fundamentais. Refiro-me, por exemplo, a papéis do Estado, privatizações, corporativismos, equilíbrio fiscal, economia de mercado, direito de propriedade e violações a esse direito; educação, família, aborto e políticas de gênero; segurança pública, conflitos sociais e drogas. E por aí vai, que a lista é longa.

Segunda: a justiça tardará a chegar. A morosidade do sistema, que muitos de nossos ministros dos tribunais superiores consideram necessária à boa administração da justiça, não permitirá que esse poder de Estado, antes das próximas eleições, remova da cena política as organizações criminosas que envergonham a nação.

Terceira: a principal fase da operação Lava Jato será tarefa nossa. Ela ocorrerá em outubro do ano que vem, quando, num flash bissexto, o poder transitará pelas mãos do povo... (A íntegra do texto pode ser lida aqui)

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Jovem invade o Alvorada e tem o carro alvejado por tiros

Jovem invade o Alvorada e tem o carro alvejado por tiros:

Por volta das 19h desta quarta-feira, um rapaz dirigindo uma espécie de van ou utilitário invadiu a área interna do Palácio da Alvorada, residência oficial da presidência da República. Ele chegou à portaria do palácio como se fosse se identificar para entrar. No momento em que o segurança foi abordá-lo, contudo, o rapaz acelerou, derrubou o portão de entrada do Alvorada e seguiu alguns metros adiante. O presidente Michel Temer não estava no local no momento do incidente.

O soldado do Exército que estava no local atirou em direção ao carro com uma escopeta. Após cinco tiros, o motorista, que seria menor de idade, só parou o carro perto da igrejinha do Palácio da Alvorada. Depois deixar o veículo, ele fugiu correndo e se escondeu nos jardins do palácio. A segurança vasculhou a área e o encontrou.

O rapaz, que não foi atingido por nenhum tiro e acabou detido, falava frases desconexas quando foi abordado. A Polícia Federal está no local para investigar o que houve e uma perícia está sendo realizada.Michel Temer e sua família não moram no Alvorada, mas no Palácio do Jaburu. Temer, que estava no Palácio do Planalto na hora do ocorrido, foi informado pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, do episódio. Depois do incidente, o acesso ao palácio foi fechado.

O GSI se manifestou sobre a invasão por meio de nota:

Por volta das 19 horas de hoje, um veículo, após receber orientação para reduzir a velocidade e identificar-se, acelerou abruptamente e ultrapassou a grade de proteção que dá acesso ao Palácio Alvorada.

Foram realizados disparos de arma de fogo de advertência e, em seguida, contra o veículo que parou na área interna do Palácio.

O motorista sem ferimentos e, aparentemente menor de idade, foi conduzido pela Polícia Federal que realizará as investigações.

(com Estadão Conteúdo)

URGENTE: Homem derruba portão tentando invadir prédio da Presidência da República, tiros são disparados

URGENTE: Homem derruba portão tentando invadir prédio da Presidência da República, tiros são disparados:



mmg.whatsapp.net-d-f-ag8smfwy7zobxpiaba1
O portão do palácio foi derrubado na invasão
Imagem: Reprodução / G1
O Palácio da Alvorada sofreu uma tentativa de invasão na noite desta quarta-feira (28). As primeiras imagens mostram o portão no chão, cartuchos de munição e as luzes de segurança acesas. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, a área foi isolada.


Mais informações »


JOESLEY É INTERNADO - Vai pagar com a VIDA o fato de ter entregado a ORCRIM



























Joesley Batista foi internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O motivo não foi revelado nem pelo centro médico nem pela assessoria da JBS.

Ontem, ele já havia dado entrada no hospital, após sentir fortes dores nas costas. (ANTAGONISTA)

Joesley Batista é internado no Hospital Albert Einstein, em SP
Segundo a assessoria da JBS, empresário sentia dores no nervo ciático. Ele deu entrada na noite de terça e não tem previsão de alta.
Por Paulo Toledo Piza, G1 SP, São Paulo

28/06/2017 18h14 Atualizado há 5 minutos

O empresário Joesley Batista, sócio do grupo JBS e autor da delação que gerou abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer, foi internado no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, informou nesta quarta-feira (28) a assessoria do centro médico.

O hospital informou, por e-mail, que Joesley solicitou privacidade. Questionada sobre os motivos da internação, a assessoria do Grupo JBS disse que o empresário deu entrada na noite de terça (27) com dores no nervo ciático. Ainda de acordo com a assessoria, não havia previsão de alta.

O Supremo Tribunal Federal (STF) retomou nesta quarta o julgamento sobre a validade das delações de executivos da JBS fechados no âmbito da Operação Lava Jato.

Irmão chega ao Brasil
Irmão de Joesley, o também empresário Wesley Batista, chegou ao Brasil na manhã desta quarta-feira (28). Ele estava em Nova York, nos Estados Unidos, e não quis dar declarações sobre sua viagem. Wesley desembarcou no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, por volta das 6h.

De acordo com a assessoria da JBS, o empresário trabalha e vive no Brasil e se ausentou apenas por alguns dias para resolver questões de trabalho. Ainda segundo a assessoria, esta foi a primeira viagem de Wesley ao exterior desde o vazamento da delação do irmão, Joesley. (G1)

Fachin decide enviar diretamente à Câmara denúncia contra Temer

Fachin decide enviar diretamente à Câmara denúncia contra Temer:



Fachin-Temer.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O ministro Edson Fachin decidiu nesta quarta-feira (28) enviar imediatamente à Câmara dos Deputados a denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer, acusado de corrupção.


Mais informações »


Após defender ‘confronto aberto’ se Lula for condenado, presidente do PT-RJ é denunciado

Após defender ‘confronto aberto’ se Lula for condenado, presidente do PT-RJ é denunciado:



quaqua_e_lula.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O deputado federal Marcelo Delaroli (PR-RJ) pediu que a Procuradoria-Geral de Justiça do Rio de Janeiro analise as declarações de Washington Quaquá, presidente do PT carioca, que convocou a militância, em nota divulgada nesta segunda-feira (26), para o “confronto popular aberto nas ruas do Rio e do Brasil” caso Lula seja condenado pelo juiz federal Sérgio Moro no caso do tríplex do Guarujá.
Mais informações »


DENÚNCIA CONTRA TEMER VAI PARA A CÂMARA DE IMEDIATO


DENÚNCIA CONTRA TEMER VAI PARA A CÂMARA DE IMEDIATO:

Edson Fachin decidiu enviar para a Câmara a denúncia de corrupção passiva contra Michel Temer, sem estabelecer o prazo para a defesa prévia do presidente no STF...

Militares da Venezuela realizam aquilo que seria o SONHO dos Brasileiros e atacam o "STF Venezuelano"


Marginais disfarçados de juízes que ocupam o Supremo Tribunal da Venezuela são metralhados e atacados por Helicóptero - é uma pena que não exista ninguém no Brasil que tenha coragem para fazer o mesmo com o STF.


Maduro denuncia ataque com granadas contra Supremo:

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, denunciou nesta terça-feira que um helicóptero da polícia lançou granadas contra a sede do Supremo Tribunal em Caracas, como parte do que considerou um "ataque terrorista".

"A Força Armada toda foi acionada para defender a tranquilidade. Mais cedo ou mais tarde vamos capturar o helicóptero e os que realizaram este ataque terrorista", assinalou o presidente durante um ato por ocasião do Dia do Jornalista, no Palácio Presidencial de Miraflores.

Maduro afirmou que o helicóptero que atacou o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) pertence à polícia a científica venezuelana.

"Havia no TSJ uma atividade social, isto poderia ter causado uma tragédia. Atiraram contra o TSJ e depois sobrevoaram o Ministério de Interior e Justiça. Este é o tipo de escalada armada que venho denunciando", disse Maduro, acrescentando que uma das granadas não explodiu.

Inicialmente, Maduro mencionou duas granadas, mas um comunicado posterior da presidência informou que foram quatro artefatos de "origem colombiana e fabricação israelense".

Ainda segundo a presidência, foram realizados 15 disparos contra o ministério do Interior.

O presidente informou que a aeronave era conduzida por um homem que foi piloto do seu ex-ministro do Interior e Justiça, Miguel Rodríguez Torres, general reformado que se distanciou do governo e que Maduro acusa de envolvimento em um plano para derrubá-lo.

Mais cedo, Rodríguez Torres - chefe de inteligência do então presidente Hugo Chávez - qualificou de "sandices" as acusações de Maduro, que o denunciou por promover uma intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela.

"Os golpes são dados pelos militares na ativa. Sou general reformado há três anos e militares reformados não dão golpes", disse Rodríguez Torres em entrevista coletiva.

O ministro da Comunicação, Ernesto Villegas, afirmou que a aeronave era pilotada por um "indivíduo que pegou em armas contra a República".

Nas redes sociais circularam fotos de um helicóptero sobrevoando Caracas com um cartaz que dizia "350 Liberdade", em referência ao artigo constitucional que permite ignorar os governos que não respeitam as garantias democráticas.

Nas imagens é possível observar duas pessoas no helicóptero, sendo uma com o rosto coberto.

A imprensa local divulgou um vídeo de um homem que se define como investigador da polícia científica, que teria utilizado o helicóptero e que declara que sua luta é "contra a tirania".

"Pedimos que nos acompanhem nesta luta, vamos às ruas (...). Nossa missão é viver a serviço do povo", diz o homem no vídeo.

"Exigimos, presidente Nicolás Maduro, sua renúncia imediata (...) e que sejam convocadas de maneira imediata eleições gerais".

O governo afirmou que o ataque faz parte de uma "escalada golpista" com base na "ofensiva insurrecional de fatores extremistas da direita", e exortou a coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) e a Igreja Católica a "condenar resolutamente tais fatos".

Um dos líderes da MUD, deputado Freddy Guevara, disse no Twitter que "não há ainda informação suficiente sobre o helicóptero", e convocou para os protestos desta quarta-feira.

- Confusão no Parlamento -

Na Assembleia Legislativa, deputados e militares trocaram empurrões nesta terça, em meio às acusações de que Maduro tenta gerar o caos para se manter no poder.

Os legisladores opositores denunciaram que os militares entraram no Parlamento com caixas contendo suposto "material eleitoral", e não permitiram que fossem abertas, o que gerou o confronto.

Vídeos divulgados pela secretaria de imprensa do Legislativo mostram deputados e militares se empurrando em meio a gritos.

Enquanto o confronto ocorria, partidários de Maduro lançaram fogos de artifício nos jardins do Parlamento e gritaram palavras de ordem contra os deputados opositores.

"Isto que aconteceu hoje não nos desanima, e sim nos dá mais força para seguir lutando por um país democrático. Isto se chama Maduro, o mesmo que disse que se os votos não servem, servem as balas", declarou o presidente da Câmara, Julio Borges.

O parlamentar se referia à advertência de Maduro, que nesta terça-feira disse que o chavismo defenderá a chamada Revolução Bolivariana inclusive com as armas.

"Se a Venezuela for mergulhada no caos e na violência, e for destruída a revolução bolivariana, iremos ao combate (...) e o que não se pode com os votos tomaremos com as armas", declarou o presidente.

Maduro enfrenta desde 1º de abril uma onda de protestos que exige sua saída, e que já deixou 76 mortos.

* AFP

28 de Junho de 1914: Assassinato do arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do Império Austro-Húngaro.

Ficheiro:Archduke Franz with his wife.jpg



Francisco Fernando e Sofia, momentos antes do atentado


28 de Junho de 1914: Assassinato do arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do Império Austro-Húngaro.:

O assassinato do arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do Império Austro-Húngaro e da  sua esposa, a duquesa Sofia, é considerado o episódio decisivo para o início da Primeira Guerra Mundial. A morte do arquiduque ocorreu através de um atentado executado a 28 de Junho de 1914, em Sarajevo, actual capital da Bósnia  Herzegovina, e na época, província da Áustria-Hungria.
O atentado foi obra de um activista sérvio, Gavrilo Princip, membro dos grupos “Jovem Bósnia” (que agrupava sérvios, croatas e bósnios) e "Mão Negra". O acto tinha um objectivo político, o de levar à separação entre  o Império Austro Húngaro e as suas províncias eslavas, para que pudessem ser reunidas numa Grande Sérvia.  A Bósnia Herzegovina estava sob domínio da Áustria-Hungria desde 1878, mas era ligada etnicamente e culturalmente ao reino independente da Sérvia. Este reino tinha desde 1903 uma monarquia de cunho altamente nacionalista, e desejava restabelecer as fronteiras do antigo Império Sérvio do século XIV. No dia do atentado, Francisco Ferdinando estava em viagem à Bósnia para assistir a manobras militares e para inaugurar as obras de um novo museu em Sarajevo. O arquiduque tinha em mente reformar o Império Austro-Húngaro, federalizando o estado.
No dia 28 de Junho de 1914, um domingo, por volta de 10:45h, Francisco Fernando e a sua esposa foram mortos em Sarajevo, capital da província austro-húngara da Bósnia e Herzegovina, por Gavrilo Princip, à época com apenas 19 anos, membro da Jovem Bósnia e do grupo terrorista Mão Negra. O evento foi um dos factores que levou ao início da Primeira Guerra Mundial.
O casal já havia sido atacado um pouco antes, quando uma granada foi atirada para o seu carro. O arquiduque desviou-se do artefacto e a granada explodiu atrás deles. Fernando e Sofia insistiram em visitar o hospital onde os feridos no atentado estavam a ser atendidos. Ao saírem de lá, o seu motorista perdeu-se no caminho para o palácio onde estavam hospedados e, ao entrar em uma rua secundária, os ocupantes foram avistados por Princip. Quando o motorista fazia uma manobra, o jovem aproximou-se e disparou contra o casal, atingindo Sofia no abdómen e Francisco Fernando na jugular. O arquiduque ainda estava vivo quando testemunhas chegaram para socorrê-lo , mas expirou pouco depois. Sofia morreu a caminho do hospital.
Oficiais militares sérvios estavam por trás do ataque, que gerou uma crise entre a Áustria-Hungria e a Sérvia, culminando com a entrega de um ultimato a esta última, a 23 de Julho de 1914. No ultimato, a Áustria-Hungria fazia exigências que, caso não fossem aceites, dariam início a uma ofensiva militar austríaca. As demandas feriam na prática a independência do Reino da Sérvia, mas esta aceitou todas, menos a que exigia que autoridades austríacas fizessem investigações em solo sérvio. Na verdade, cogita-se que a Áustria-Hungria teria redigido o documento já à espera  da reacção sérvia, para causar um conflito no qual pudesse anexar o pequeno reino eslavo.

Tomando parte do lado sérvio, o Império Russo corre em sua defesa, pela ligação eslava entre ambos. Com a recusa sérvia em acatar as exigências austríacas, a Alemanha foi accionada, como resultado das  redes de alianças estabelecidas pelos países europeus. Estava assim iniciada a primeira grande guerra.
A morte de Francisco Fernando pode ser considerada como o culminar dos acontecimentos que se desenrolaram na política europeia desde 1871, num período que ficou conhecido como “Paz Armada“. De 1871 a 1914 a realidade do continente é marcada pelo acirramento das disputas por mercados, territórios coloniais e predomínio na geopolítica europeia. 

Fontes: www.infoescola.com
wikipedia (Imagens)



AtentadoSerajevoArquiduqueFrancisco.jpg
Ficheiro:Archude Franz ferdinand.jpg
O Arquiduque Francisco Fernando
640px-The_Austro_Hungarian_Empire_Before
Francisco Fernando com a esposa e os três filhos

terça-feira, 27 de junho de 2017

URGENTE ! BRASILEIROS TORNAM-SE REFÉNS EM SEU PRÓPRIO PAÍS - CONFECÇÃO DE PASSAPORTES ESTÁ SUSPENSA PELA ORCRIM QUE GOVERNA A NAÇÃO

POLÍCIA FEDERAL Alerta

por Nubia Shelli Lima e Sousa — publicado 27/06/2017 18h07, última modificação27/06/2017 18h26

A Polícia Federal informa que está SUSPENSA a confecção de novas cadernetas de passaportes solicitadas a partir de hoje, 27/06, às 22 horas.

A medida decorre da insuficiência do orçamento destinado às atividades de controle migratório e emissão de documentos de viagem.

O agendamento online do serviço e o atendimento nos postos da PF continuarão funcionando normalmente. No entanto, não há previsão para entrega dos passaportes solicitados, enquanto não for normalizada a situação orçamentária.

Usuários atendidos nos postos de emissão até o dia 27/06 receberão seus passaportes normalmente.

A Polícia Federal acompanha atentamente a situação junto ao Governo Federal para o restabelecimento completo do serviço.

Justiça autoriza deputado federal preso a exercer mandato durante o dia


Justiça autoriza deputado federal preso a exercer mandato durante o dia:

Imagem: Reprodução / Redes Sociais

Justiça autoriza deputado federal preso a exercer mandato durante o dia

27/06/2017 15h49
Brasília

André Richter - Repórter da Agência Brasil

A Justiça do Distrito Federal autorizou hoje (27) o deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ) a exercer o mandato na Câmara dos Deputados durante o dia e retornar ao presídio no período noturno. Jacob foi preso após ser condenado definitivamente pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 7 anos e 2 meses em regime semiaberto pelos crimes de falsificação de documento público e dispensa de licitação.

Saiba Mais
Deputado federal Celso Jacob é preso no aeroporto de Brasília

O pedido de trabalho externo foi feito pelos advogados do parlamentar à Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, responsável pelo cumprimento da pena de Celso Jacob. Pela decisão, o deputado deverá permanecer no presídio nos fins de semana, feriados e durante o recesso parlamentar.

Em maio, por unanimidade, a Segunda Turma do STF negou o último recurso apresentado pela defesa do parlamentar, decretou o fim do processo e, consequentemente, a execução da pena. Em junho do ano passado, Jacob foi condenado pelo Supremo por crimes cometidos quando ele era prefeito de Três Rios (RJ). De acordo com a denúncia, Jacob favoreceu uma construtora ao decretar estado de emergência no município.

Após o julgamento, procurado pela Agência Brasil, Celso Jacob informou que não houve dano ao erário. O deputado disse que foi orientado erroneamente por um setor da prefeitura, que não informou que a empresa chamada para concluir uma creche não estava habilitada para tocar a obra em função de documentação vencida. A empresa que venceu a licitação abandonou a obra. Os fatos ocorreram em 2003.

A Justiça do Distrito Federal autorizou hoje (27) o deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ) a exercer o mandato na Câmara dos Deputados durante o dia e retornar ao presídio no período noturno. Jacob foi preso após ser condenado definitivamente pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 7 anos e 2 meses em regime semiaberto pelos crimes de falsificação de documento público e dispensa de licitação 

URGENTE: TRF rejeita condenação de Vaccari a 15 anos por Sergio Moro e o absolve

URGENTE: TRF rejeita condenação de Vaccari a 15 anos por Sergio Moro e o absolve:



vaccari-moro.png
Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), com sede em Porto Alegre, absolveu em segunda instância nesta terça-feira (27) o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) João Vaccari Neto por 2 votos a 1. Em primeira instância, o juiz Sérgio Moro, de Curitiba, havia definido pela de 15 anos e 4 meses de reclusão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Mais informações »


PGR responde a Temer


PGR responde a Temer:



A PGR divulgou nota para rebater o pronunciamento de Michel Temer.
Eis dois trechos:
"A denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da República, Michel Temer, nessa segunda-feira, 26 de junho, é pública e baseada em fartos elementos de prova, tais como laudos da Polícia Federal, relatórios circunstanciados, registro de voos, contratos, depoimentos, gravações ambientais, imagens, vídeos, certidões, entre outros documentos, que não deixam dúvida quanto à materialidade e a autoria do crime de corrupção passiva."
E ainda:
"O procurador-geral da República pauta-se por uma atuação técnica, no estrito rigor da lei, tanto na esfera judicial quanto na administrativa, e não se furta em cumprir as responsabilidades inerentes ao exercício do ofício. Rodrigo Janot cumpre à risca o comando constitucional de que ninguém está acima da lei ou fora do seu alcance, cuja transgressão requer o pleno funcionamento das instituições para buscar as devidas punições. Se assim não fosse, não haveria um Estado Democrático de Direito."

Temer dá entender que PGR foi subornado pela JBS


Temer dá entender que PGR foi subornado pela JBS:

Michel Temer dá a entender que parte dos milhões pagos a Marcelo Miller, pela JBS, pode ter ido para Rodrigo Janot, que fechou um acordo de delação benevolente com Joesley Batista e hoje o denuncia o presidente com uma "trama de novela".

Ele diz que não faz acusações sem prova, mas é uma acusação.