"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 22 de julho de 2017

22 de Julho de 1882: Nasce Edward Hopper, o pintor da solidão

1280px-Nighthawks_by_Edward_Hopper_1942.
Nighthawks (1942)

22 de Julho de 1882: Nasce Edward Hopper, o pintor da solidão:

Edward Hopper nasceu a 22 de Julho de 1882 em Nova Iorque, cidade onde também estudou desenho gráfico, ilustração e pintura. O artista Robert Henri (1865 – 1929) terá sido o professor que mais o influenciou, uma vez que encorajava os seus alunos a usar a arte para “fazer um movimento no mundo”, motivando-os a pintarem descrições realistas da vida urbana. Depois de completar a sua educação formal, Hopper fez três viagens pela Europa com o objectivo de estudar a cena emergente.

Hopper começou por trabalhar como designer gráfico apesar de ter continuado a pintar. Em 1925 produz “House by the Railroad”, uma obra que marca a sua maturidade artística. Trata-se do primeira de um conjunto de propostas que combinam o urbano e o rural, marcadas por linhas finas e formas largas, pintadas com uma iluminação incomum que procura captar a ideia de solidão que marca toda a sua obra. Hopper trouxe para as suas telas temas característicos da vida quotidiana norte-americana tais como as estações de serviço, bombas de gasolina, os hotéis, estações e linhas de comboio ou, simplesmente, as ruas vazias.

Hopper notabilizou-se pelas suas misteriosas representações realistas da solidão na contemporaneidade e, tanto nos cenários rurais como nos urbanos, as suas recriações fiéis do quotidiano reflectem a sua vida pessoal da vida moderna norte-americana. Neo - realista imaginativo, este artista retratou com subjectividade a solidão cosmopolita e a estagnação do homem, procurando, com os seus trabalhos, causar impacto psicológico no espectador. Alguns autores dizem que terá sido influenciado pelos estudos psicológicos de Freud e pelas teorias de Bergson que procuravam compreender subjectivamente o homem e os seus problemas.

As paisagens urbanas de Hopper são desertas, melancólicas e iluminadas por uma luz incomum .Os edifícios, geralmente enormes e vazios, assumem um aspecto inquietante e a cena parece dominada por um silêncio perturbador. Nas pinturas de Hopper reina a expressão da solidão, o vazio, a desolação, a estagnação da vida humana em personagens anónimas que jamais comunicam entre si. São obras que evocam o silêncio.

Edward Hopper morreu em 1967 no seu estúdio, espaço que ficava perto do Washington Square Park, em Nova Iorque.

wikipedia (imagens)
640px-Self_portrait_by_edward_hopper.jpg
Auto retrato, 1906


friday-inspiration-edward-hopper.jpg
Chop Suey (1929)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.