"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Alunas de 11 anos dão água da privada com comprimidos para professora em Jaraguá do Sul


Não se pode "dar uma surra" e "deixar de castigo" uma geração inteira.  Que "surra" merece uma criança que faz isso se ela chega em casa e, às 9 da noite, tem uma novela com uma TRAFICANTE de COCAÍNA dançando funk e uma sapatona mudando de sexo??

Alunas de 11 anos dão água da privada com comprimidos para professora em Jaraguá do Sul:

Quatro meninas de 11 anos foram suspensas por dois dias após terem dado água da privada com comprimidos para uma professora beber em Jaraguá do Sul. Um Boletim de Ocorrência foi registrado e a Secretaria de Educação do município do Norte de Santa Catarina deve definir na segunda-feira outras medidas que podem serão tomadas na escola.

O secretário da pasta, Rogério Jung, diz que uma das alunas contou para a diretora da escola que se ofereciam para encher a garrafa d'água da professora e que colocavam água da privada, além de alguns comprimidos esmagados que traziam de casa. A história teria sido revelada na última terça-feira de agosto (29), e nesse dia a escola municipal já registrou um boletim de ocorrência. No dia seguinte, fizeram uma reunião com direção, pais e alunas.  Ainda segundo Jung, o Conselho Tutelar foi acionado mas ainda não se manifestou.

Leia mais:
Professora é agredida por aluno após encaminhá-lo à diretoria em SC Adolescente envolvido em agressão a professora é internado no Casep

— Nós estamos mais preocupados com a professora que está psicologicamente abalada. Queremos preservar a professora e as crianças.

O secretário disse que as alunas não explicaram os motivos e que teriam feito isso mais de uma vez. A Polícia Civil disse ao G1 Santa Catarina que a educadora contou que passou a sentir um gosto estranho na água e comentou com os alunos. Segundo a polícia, a professora conversou com uma das meninas e descobriu que a água colocada com remédios na garrafa era para que a docente dormisse e não desse aula.

O secretário diz que a professora continuou a dar aulas para a turma normalmente nesta semana. Na segunda, terão nova reunião para decidir o que devem fazer:

— Estamos vendo as medidas que podemos tomar. Mas depende muito do que a professora quer fazer. A gente não consegue entender de onde saiu essa ideia.

Jung diz que não quer expulsar as alunas  para não "transferir o problema para outra escola ou entidade". Além disso, devem propor uma ação de conscientização em toda a escola.

Um comentário:

  1. Aquele quadro onde os alunos levavam maçã , ou presentinho , ou mesmo faziam uma gentileza para professora , já era.

    Hoje temos professores engajados nas áreas políticas, talvez para ter aumento depois de uma greve de 90 dias ou mais , e do outro lado , meninas , assim chamamos "de menina" (pela idade), mas que agem como mulheres sem escrúpulos.

    Essas meninas têm culpa ?

    Boa parte é da família ,outra é pela programação da TV em horário nobre .
    Um fato curioso é que se antigamente dizia-se que não sabia quem era o pai, hoje elas não sabem nem que é a mãe.

    Outra suposição seria se essa menina tivesse uma filha aos quinze anos , com o passar do tempo essa mãe estaria com 30 anos e sua filha com 15 , mãe e filha ???

    Pelo o frigir dos ovos, NÃO .

    Triste, lamentável o futuro dessas nossas "crianças" !


    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.