"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

CARTA ABERTA A MINISTRA CÁRMEN LÚCIA.

  • 07/09/2017
Ministra Carmén Lúcia,
É CONSTRANGEDOR que eu, uma cidadã brasileira comum, precise vir meter o dedo na cara da senhora, que é ministra do SUPREMO tribunal do meu país, que neste momento a senhora PRESIDE, para APONTAR a tenebrosa VERGONHA que a senhora está protagonizando, diante de TODA a população brasileira!A senhora foi mencionada num ÁUDIO – cuja PUBLICAÇÃO o seu colega ministro Edson Facchin AUTORIZOU, retirando dele o SIGILO LEGAL – por um sujeito chamado Ricardo Saud como tendo sido “comida” – ou seja, TRADUZINDO a expressão para uma linguagem menos chula: como tendo tido um caso de natureza amorosa-sexual – com o ex-ministro da Justiça e ex-advogado Geral da União, o sr. José Eduardo Cardozo. Pois bem: a ÚNICA RESPOSTA que a senhora CONSEGUIU dar a isto foi a de que a senhora “mandaria investigar”. O que a senhora não está entendendo ou está FINGINDO não entender, ministra, é que a senhora deve “mandar investigar” o que a senhora julgar que deve ser investigado: mas a referida afirmação sobre as relações da senhora com o mencionado senhor PRESCINDE de qualquer “INVESTIGAÇÃO”, porque está ALI NA FITA PRA QUALQUER UM OUVIR! Ou vai querer nos dizer que o que a senhora quer que seja “investigado” sobre o assunto é “se a senhora teve MESMO um caso com o sujeito ou NÃO”? A senhora NÃO SABE ? ESQUECEU? NÃO TEM MUITA CERTEZA? QUALQUER PESSOA minimamente DECENTE, se fosse mencionada em lugar da senhora como tendo tido relações espúrias com o ocupante de cargo e funções tão importantes quanto os do sr. José Eduardo Cardozo, e em contexto tão grave, JÁ TERIA metido um processo em cima do autor de tal afirmação: a SENHORA, que é MINISTRA DO SUPREMO, não fez isso, e se LIMITA a dizer que “vai mandar investigar” – sem ter CONDIÇÕES de dizer O QUE É QUE EXISTE pra ser “investigado” nesta ESPECÍFICA e torpíssima questão, uma vez que NÃO RESTA DÚVIDA NENHUMA, em PESSOA ALGUMA, de que a afirmação FOI proferida, como todo mundo pode CONSTATAR e RECONSTATAR! A senhora, como resto dos seus colegas, PERDEU A NOÇÃO de honra e decência. Suas AÇÕES DESMENTEM suas palavras “indignadas”, nas quais NINGUÉM acredita mais. Tanto a senhora quanto a ex-presidente Dilma Rousseff, de cujo governo o sr. José Eduardo foi MINISTRO e ADVOGADO-GERAL, além de ADVOGADO PESSOAL, já teriam que ter iniciado DE IMEDIATO um processo contra o autor de tão GRAVE e PESADA afirmação, parte de uma denúncia PÚBLICA – FOSSE ELE QUEM FOSSE! O PRÓPRIO sr. José Eduardo Cardozo, que se ESQUIVA de responder e se limita a dizer que “armaram pra ele”, também já teria que ter feito a mesma coisa. RESTA A NÓS, ministra, a DESOLADORA CERTEZA de que este país chegou ao fundo do poço da abjeção moral, nas pessoas de suas INDECENTÍSSIMAS “AUTORIDADES”.Repito: NÃO OUSE juntar o INSULTO à INJÚRIA, vindo “exigir respeito” de nossa parte! Nós não temos NENHUM a dar: NEM À INSTITUIÇÃO que a senhora preside e representa, e NEM À SENHORA, PESSOALMENTE.

Priscila Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.