"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Voto de Carmen Lucia desagrada a todos e causa confusão no STF

STF completamente desmoralizado e sem o mínimo de vergonha na cara aceita se submeter às decisões de um Senado infestado de LADRÕES. O Brasil IMPLORA pela Intervenção Militar: o STF é CORRUPTO e está se curvando para um CONGRESSO de ESTELIONATÁRIOS e BANDIDOS.

Voto de Carmen Lucia desagrada a todos e causa confusão no STF:

carmen.png
Imagem: Reprodução / TV Justiça



BRASÍLIA (Reuters) - Com o voto desempate da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, a corte definiu que a adoção de medidas cautelares que restrinjam a atuação de um parlamentar, como o afastamento dele de suas atividades legislativas, precisa do aval da Câmara dos Deputados ou do Senado.


Presidente do STF, Cármen Lúcia, chega para sessão da corte em Brasília 13/09/2017 REUTERS/Adriano Machado
Cármen deu o sexto voto a favor de que a decretação pelo Supremo desse tipo de medida cautelar tem de ser submetida à autorização posterior da respectiva Casa Legislativa.
A posição da presidente do Supremo, uma espécie de voto intermediário, terá repercussão direta no caso do senador Aécio Neves (PSDB-MG), afastado pela segunda vez este ano das suas atividades, a mais recente delas por decisão da Primeira Turma do STF. Ela articulou pessoalmente uma solução a fim de diminuir a tensão entre o Judiciário e o Senado.
O Senado marcou uma sessão para a próxima terça-feira, dia 17, a fim de decidir se revoga a decisão da turma do Supremo de ter afastado Aécio.
O STF julgou uma ação movida por PP, PSC e Solidariedade que pretendiam garantir que medidas cautelares do Supremo têm de ser enviadas para a Câmara ou Senado a fim de que eles decidam em até 24 horas sobre a sua aplicação, nos mesmos moldes do que prevê a Constituição para o caso de prisão em flagrante de parlamentar por crime inafiançável.
Ao dar o voto de desempate, a presidente do STF, ministra Carmen Lucia, manteve com as casas legislativas quaisquer decisões que afetem o mandato de seus membros. A ministra afirmou que concordava com o relator, o ministro Edson Fachin, que imediatamente a corrigiu, mostrando que seu voto era frontalmente contrário. 

Mais informações »

Um comentário:

  1. O voto mais vergonhoso foi o dela. Deu uma de cafuringa: fez que foi e nao foi e acabou fondo.

    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.