Ataque Aberto

"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 20 de junho de 2018

AO CORPO DIPLOMÁTICO DA FEDERAÇÃO RUSSA EM TERRITÓRIO BRASILEIRO E AO POVO RUSSO.



Dito já foi, há muito tempo, que o juízo de síntese é superior ao de análise. A inteligência, a própria complexidade da razão humana, se mostra não na capacidade explicativa, mas na que elabora em poucas palavras o “resumo” de uma situação.

Decorre do exposto acima, digo eu, que a capacidade sintética de uma afirmação, de um “juízo de elaboração”, envolve “ligar pontas”, estabelecer elos de conexão entre aquilo que o vulgo diz não ter “nada a ver” e os elementos fáticos do que lhe é dado como novo, do que aparece como notícia.

Se um grupo de brasileiros viaja para outro país, cerca uma jovem que não fala sua língua e a convence, naquilo que diz ser uma “brincadeira”, a repetir barbaridades contra si mesma em português, o que pode haver “por trás disso”?

Lembrem: nós, os brasileiros, somos os habitantes do país que procura o que “está por trás” dos fatos. Sempre há, acreditamos nós, alguma coisa “por trás” do que aconteceu, não é mesmo?

É! É claro que é, sim! A ironia, aquilo que talvez seja a prova universal da nossa estupidez, é que quando não existe NADA por trás nós insistimos nos juízos analíticos e, quando há; apresentamos imediatamente as mais estúpidas sínteses possíveis!

O fato ocorrido na Rússia mal tinha “terminado de acontecer” e nós já tínhamos explicações prontas: a legião de psicopatas feminazis e os vagabundos petistas de plantão afirmavam tratar-se de “machismo” e “assédio contra a mulher”, os envolvidos diziam ter sido uma “piada de mau gosto” e essa coisa que alguns chamam de “direita brasileira” (na verdade bobalhões liberalóides) veio com o argumento de que “existem coisas mais importantes acontecendo” no país.

O que a ralé, a escumalha, a malta, a escória de novos ricos brasileiros que dirigem Mercedes Benz (com adesivo “Deus é Fiel” e escutando “Jojô Todinho”) protagonizou na Copa da Rússia perante às câmeras de TV do Mundo inteiro foi:

1. fato de implicação diplomática para o Brasil porque submete ao vexame, ao constrangimento público, a imagem de duzentos milhões de brasileiros ali representados por meia dúzia de bêbados.

2. fato que compromete, na Rússia, a segurança de outros brasileiros que, sem ter “nada a ver” com a situação, passaram a ficar sujeitos às represálias dos russos depois daquilo que brasileiros fizeram com uma conterrânea sua.

3. fato que evidencia a miséria, a tragédia cultural de uma Nação que, depois de treze anos de Regime Petista, só consegue dizer que “tem coisa mais importante acontecendo” ou interpreta a falta de caridade, o abuso da inocência, à luz de categorias criadas por vagabundos petistas para uso político.

Nós não somos, afirmo eu, capazes de fazer a interpretação correta e o mea-culpa daquilo que aconteceu na Rússia. Somos carentes, somos privados dos elementos necessários para fazer esta interpretação.

Para entender o que os vagabundos fizeram na Rússia teríamos que ter uma noção de “Pátria”, uma ideia de “Nação” - nós não temos! Não somos uma Nação; somos um “bando” de gente reunida numa determinada área geográfica onde cada um cuida do seu rabo e não vai sentir vergonha alguma em nome de uma “algo” chamado “Brasil.”

Teríamos que ter, em segundo lugar, a capacidade de empatia: teríamos que imaginar turistas russos no Brasil fazendo uma menina brasileira repetir “Buceta Rosa” em russo na frente das câmeras – nós não temos!

Teríamos, em terceiro lugar, que imaginar como se sentiram a menina russa, seu pai e sua mãe quando entenderam o que aconteceu: nós não temos e nem queremos ter – eles que “se fodam”.

Teríamos, em quarto lugar, que ter uma Imprensa de Verdade – não uma legião de gays comunistas, maconheiros e cheiradores de cocaína dentro das redações da Globo, Folha de SP, BAND e RBS que não sabem mais o que fazer para soltar Lula, ver Marielle Franco canonizada e Márcia Tiburi governando o Rio de Janeiro.

O que aconteceu na Rússia foi a consequência óbvia, a manifestação natural de um tipo de pessoa que vem de uma sociedade em que se enfiam estátuas de Nossa Senhora na bunda em pleno calçadão de Copacabana, em que crianças são levadas por suas mães para tocarem em homens nus em museus, em que professores levam surras homéricas de alunos das escolas públicas, em que pacientes são atendidos por falsos médicos, em que um bêbado analfabeto e ladrão manda a Justiça “enfiar o processo no cu”, em que uma ladra búlgara preside o país vendo cães invisíveis e saudando a mandioca...Um país em que onze canalhas dentro do Supremo Tribunal Federal rasgam a Constituição a cada vinte e quatro horas...em que o voto é obrigatório, em que não se pode ter arma, em que se pensa no retorno da contribuição sindical...um país do Lula, FHC, Aécio, Gleisi, Renan, Jucá, Eliseu Padilha, Sarney, Paulo Pimenta, Maria do Rosário...um país em que mais de sessenta mil pessoas são assassinadas por ano e quase dois terços da população quer deixar para morar em outro país…

O que se viu na Rússia foi a consequência natural das novelas imundas da Rede Globo, do prazer que sentimos ao ver pessoas caindo e se machucando em acidentes domésticos quando um gordo cretino e corrupto nos mostra isso durante todas as tardes de domingo…

O que nós vimos os vagabundos fazerem com a menina da Rússia foi, Deus que me perdoe, a consequência, o resultado natural, a manifestação mais pura e legítima da nossa cultura em 2018...a expressão máxima e mais pura daquilo que somos atualmente: – brasileiros...

Em nome de toda pessoa nascida no Brasil com um mínimo de decência, de honra e vergonha na cara, ao saudar e cumprimentar todo corpo diplomático da Federação Russa em território nacional, apresentamos aos senhores as nossas mais sinceras desculpas.

Cordiais Saudações,

Milton Pires.
Médico.

Porto Alegre, 20 de junho de 2018.

EUA abandonam o Conselho dos Direitos Humanos da ONU

EUA abandonam o Conselho dos Direitos Humanos da ONU:

nikki-haley.jpg
Imagem: Shannon Stapleton / Reuters
Os Estados Unidos oficializaram a saída do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na metade de um mandato de três anos.
Mais informações »


20 de Junho de 1492: Surge o primeiro globo terrestre, apelidado "Maçã do Mundo"

20 de Junho de 1492: Surge o primeiro globo terrestre, apelidado "Maçã do Mundo":

Em Nuremberga, no dia 20 de Junho de 1492, ou seja, algumas semanas antes da descoberta do "Novo Mundo", o cartógrafo e navegador Martin Behaim conclui a construção do primeiro globo terrestre. Em colaboração com o pintor Georg Glockenthon, Behaim  construiu-o entre 1491 e 1493 aquando da sua permanência em Nuremberga, denominando-o  “Erdapfel”, ou seja, “maçã do mundo”. O original está hoje em exibição no Germanisches Nationalmuseum de Nuremberga e é uma das obras de arte mais descritas da Europa.

O Globo de Behaim, também conhecido como Globo de Nuremberga, seguiu a ideia de um globo construído por volta de 1475 para o papa Sisto IV, porém melhorando a representação e incluindo meridianos e a linha do Equador. Este globo, de cerca de 50 centímetros de diâmetro, encontra-se conservado na sua cidade natal.
A rotundidade da Terra, posta em evidência dois mil anos antes, não era já dúvida para ninguém. Entretanto, houve necessidade de mais meio século para compreender, a partir de Copérnico, que a Terra é que gira em torno do Sol e é só um planeta no meio de outros.
É certo que os Sumérios, devotados à astronomia e que viviam na Mesopotâmia 3 mil anos antes de Cristo, representavam a Terra como um disco chato pousado sobre um oceano sem limites.
Foi somente no século V a.C., no tempo de Péricles, que filósofos gregos como Pitágoras e Parménides começaram a representar a Terra sob a forma de uma esfera, cuja representação lhes parecia coerente com a curvatura do horizonte.
Por volta de 230 a.C., o astrónomo e matemático Eratóstenes confirma brilhantemente a rotundidade da Terra e, ademais, mede a sua circunferência com incrível precisão. Num primeiro momento, atenta no solstício de verão o momento em que o Sol está no seu zénite e se reflectia nas águas de um poço muito fundo na cidade de Syene, hoje Assuão, Egipto, que ficava exactamente no limite da zona tropical e no mesmo meridiano de Alexandria. Num segundo tempo, no mesmo dia do ano e no mesmo momento mede em Alexandria, a mil quilómetros a norte, a sombra projectada por uma vara na vertical.
Conhecendo a distância entre as duas cidades e desprezando a diferença de inclinação dos raios solares, deduz que nosso planeta tem uma circunferência de 250 mil estádios, ou seja, praticamente 40 mil quilómetros, medida muito próxima da actualmente admitida.
Geografia de Cláudio Ptolomeu, um grego de Alexandria, retoma as conclusões dos sábios que lhe antecederam. Graças a essa obra bem conhecida dos eruditos da Idade Média, a rotundidade da Terra iria ser ensinada nas universidades ocidentais a partir do século XIII e somente religiosos sectários ou ignorantes a negariam ou ignorariam.
Em 1410, o teólogo francês Pierre d'Ailly publica uma obra de cosmografia de grande difusão: Imago Mundi. Continuamente reeditada e enriquecida durante todo o século XV, sintetiza a visão medieval do mundo.
Segundo a Imago Mundi, as terras emergentes, todas reagrupadas na metade norte do globo terrestre, estão cercadas por um imenso rio, o “Mar Oceano”, salpicado de ilhas cada qual com uma singularidade, com habitantes como pigmeus, ciclopes, cinocéfalos — homens com cabeça de cão — antropófagos, etc. O equador marca o limite que é impossível ao homem ultrapassar.
À época de Cristóvão Colombo, os eruditos, navegantes e geógrafos conheciam tão bem o Imago Mundi quanto a geografia de Ptolomeu. Indagavam-se somente sobre a extensão do “Mar Oceano” que supostamente separava a Europa da Ásia.
Ora, Ptolomeu, na sua célebre Geografia, estabeleceu para a circunferência da Terra um valor claramente inferior ao de Eratóstenes, da ordem de 180 mil estádios ou 33 mil quilómetros.
Com base nisso, o astrónomo florentino Paolo Toscanelli produziu em 1468, para atender o rei de Portugal, uma carta que mostrava a Europa separada do Extremo Oriente por um oceano de somente 10 mil quilómetros de extensão. Esse mapa induziria Colombo a erro, subestimando drasticamente a distância que separava, a oeste, a Europa do Extremo Oriente. De todo modo, o navegador genovês ousaria empreender a viagem que o levaria a descobrir um Novo Mundo.
wikipedia (imagens)




Behaims_Erdapfel.jpg
O Globo de Nuremberga

640px-Martin_Behaim_Winsor.jpg
Martin Behaim

terça-feira, 19 de junho de 2018

NOVO VÍDEO DE MARGINAIS BRASILEIROS NA RÚSSIA




LULA LIVRE DIA 26 DE JUNHO!



URGENTE: AMANTE É ABSOLVIDA PELA SEGUNDA TURMA DO STF


URGENTE: GLEISI É ABSOLVIDA PELA SEGUNDA TURMA DO STF:

Bem feito! O erro não é a Quadrilha do STF absolver a Amante, o erro é o Brasil permitir que o STF julgue a Amante! Quem tem que resolver isso são os fdp's que ficam chamando os Intervencionistas de "loucos". Tudo com vocês!

Com os votos de Edson Fachin, Celso de Mello e Dias Toffoli, já há maioria na Segunda Turma do STF para a absolvição de Gleisi Hoffmann, Paulo Bernardo e Ernesto Kugler...

The post URGENTE: GLEISI É ABSOLVIDA PELA SEGUNDA TURMA DO STF appeared first on O Antagonista.

POLÍBIO BRAGA - Estes 13 deputdos gaúchos pediram a CPI Detona Lava Jato

Estes 13 deputdos gaúchos pediram a CPI Detona Lava Jato: Paulo Pimenta disse esta tarde que os deputados que retiraram apoio à proposta são covardes.

Estes deputados assinaram a CPI Detona Lava Jato:

PT

Bonhn Gass,Henrique Fontana, Marco Maia, Marcon, Maria do Rosário, Paulo Pimenta e Pepe Vargas

PP

Heinze e Molling

PDT

Pompeo de Matos

MDB

Darcisio Perondi

PTB

Ronaldo Nogueira

PSB

José Stédile


Os deputados Alceu Moreira, Osmar Terra, Cherini e Jerônimo Goergen, que se consideraram "enganados" por Paulo Pimenta, PT, retiraram as assinaturas.

Deputados retiram assinaturas de pedido de CPI para acabar com a Lava Jato, e líder petista diz que eles 'se acovardaram'

Deputados retiram assinaturas de pedido de CPI para acabar com a Lava Jato, e líder petista diz que eles 'se acovardaram':

paulo-pimenta-lava-jato.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Líder do PT na Câmara, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) criticou a decisão de parlamentares de retirarem apoio para a criação de uma Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) para investigar a Operação Lava Jato.
Mais informações »


LISTA DOS 18 PICARETAS GAÚCHOS QUE VOTARAM CONTRA A LAVA JATO.


Operação da PF investiga professores com dedicação exclusiva que exercem atividade privada


Operação da PF investiga professores com dedicação exclusiva que exercem atividade privada: Prática é vedada pela legislação e configura crime de estelionato

TUDO INDICA QUE A FACULDADE DE MEDICINA DA UFRGS DEVE "ENCERRAR SUAS ATIVIDADES" NA PYONGYANG DOS PAMPAS: NÃO VAI SOBRAR NINGUÉM.

PF deflagra operação contra professores da UFRGS que descumprem dedicação exclusiva
A prática é vedada pela legislação e configura crime de estelionato
Publicado por Jéssica Moraes

-19/06/2018 - 11:08 e atualizado em 19/06/2018 - 11:09

Foto: Alina Souza. / CP

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira, uma operação que investiga professores do ensino superior, em regime de Dedicação Exclusiva com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), mas que exercem atividade privada em clínicas e consultórios. A prática é vedada pela legislação e configura crime de estelionato.

A ofensiva, chamada de Herófilo, conta com 60 policiais cumprindo 15 mandados de busca e apreensão em Porto Alegre e Novo Hamburgo. As buscam visam arrecadar documentos que comprovam a prática irregular, corroborando com as informações coletadas ao longo da investigação.

O inquérito policial foi instaurado em 2015. Em um dos casos analisados, um professor recebeu, entre os anos de 2010 e 2016, cerca de um milhão de reais da Ufrgs, sendo que, desse valor, aproximadamente 500 mil reais correspondem ao adicional por Dedicação Exclusiva.

Gleisi se ‘locupletou de esquemas na Petrobrás’, diz PGR

Gleisi se ‘locupletou de esquemas na Petrobrás’, diz PGR:

gleisi-paulo-bernardo-DIDA-SAMPAIO-ESTAD
Imagem: Dida Sampaio / Estadão
“A senadora, expoente de seu partido político, locupletou-se dolosamente de todo um esquema de ilegalidades praticados na Petrobrás e, também por isso, deixou de cumprir com seu dever de fiscalização”, afirmou a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em memorial ao Supremo Tribunal Federal em que reforça pedido para que a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, seja condenada na Lava Jato. Além da senadora, Raquel pede a condenação do ex-ministro Paulo Bernardo e o empresário Ernesto Kugler. Eles foram denunciados por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O documento foi encaminhado ao Supremo nesta segunda-feira, 18.
Mais informações »

19 de Junho de 1911: Adopção da nova Bandeira Nacional

Bandeira de Portugal






















19 de Junho de 1911: Adopção da nova Bandeira Nacional:

Após a instauração da República, um decreto da Assembleia Nacional constituinte datado de 19 de Junho de 1911, aprovou uma nova a Bandeira Nacional que substituiu a anterior.
A Bandeira Nacional é dividida verticalmente em duas cores - verde escuro e vermelho - ficando o verde do lado da tralha ou do mastro. Ao centro, sobreposto à união das cores, tem o escudo das armas nacionais, orlado de branco, sobre a esfera armilar, em amarelo e avivada de negro.
O comprimento da bandeira é de vez e meia a altura da tralha. A divisória entre as duas cores fundamentais é feita com dois quintos do comprimento total ocupados pelo verde e os três quintos restantes pelo vermelho. O emblema ocupa metade da altura, ficando equidistante das orlas superior e inferior.
Assim, no entender da Comissão responsável pela Bandeira Nacional, o branco representa «uma bela cor fraternal, em que todas as outras se fundem, cor de singeleza, de harmonia e de paz» e sob ela, «salpicada pelas quinas (...) se ferem as primeiras rijas batalhas pela lusa nacionalidade (...). Depois é a mesma cor branca que, avivada de entusiasmo e de fé pela cruz vermelha de Cristo, assinala o ciclo épico das nossas descobertas marítimas».
O vermelho «nela deve figurar como uma das cores fundamentais por ser a cor combativa, quente, viril, por excelência. É a cor da conquista e do riso. Uma cor cantante, ardente, alegre (...). Lembra o sangue e incita à vitória».
Para o verde - que não tinha tradição histórica em Portugal -, foi dada como explicação que na preparação da Revolta de 31 de janeiro de 1891, o verde terá surgido no «momento decisivo em que, sob a inflamada reverberação da bandeira revolucionária, o povo português fez chispar o relâmpago redentor da alvorada».
Relativamente à esfera armilar, que já fora adoptada como emblema pessoal de D. Manuel I, estando desde então sempre presente na emblemática nacional, consagra «a epopeia marítima portuguesa (...) feito culminante, essencial da nossa vida colectiva».
Por sua vez, sobre a esfera armilar entendeu a Comissão fazer assentar o escudo branco com as quinas, consagrando «o milagre humano da positiva bravura, tenacidade, diplomacia e audácia que conseguiu atar os primeiros elos da afirmação social e política da lusa nacionalidade».
Finalmente, a Comissão entendeu «dever rodear o escudo branco das quinas por uma larga faixa carmesim, com sete castelos», considerando que estes são um dos símbolos «mais enérgicos da integridade e independência nacional».

segunda-feira, 18 de junho de 2018

LISTA DE 190 VAGABUNDOS que assinaram a lista da CPI que quer matar a Lava Jato


Encabeçada pelo PT, a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) destinada a matar a Operação Lava Jato alcançou o número suficiente de assinaturas, com a chancela de 190 deputados federais (veja a lista completa no final da matéria). Em tese, o objetivo da comissão seria “investigar as denúncias de irregularidades feitas contra Antônio Figueiredo Basto e outros, inclusive envolvendo escritórios de advocacia, ocorridas no âmbito de alguns processos de delação”.

Diz o texto do documento:

“O objeto da CPI deverá estender-se, por conexão, para ocorrência de irregularidades em sede de outras investigações, que estejam em desacordo com o quanto firmado na legislação de referência e na defesa do sistema de proteção de direitos e garantias insculpidas na Constituição Federal, por ser do interesse da sociedade o resultado válido, legítimo e eficaz da aplicação das normas e da conduta dos agentes públicos.”

E mais:

“É necessário investigar a possibilidade de manipulação das colaborações premiadas, o que indica fraude nos procedimentos e a possibilidade do envolvimento de agentes públicos. Esse é o objeto determinado.”

Paulo Pimenta

“Queremos fazer uma investigação sobre a chamada indústria da delação”, disse o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta Segundo ele, há hoje um verdadeiro esquema criminoso em torno da Operação Lava Jato, com a criação de um “suspeito mercado de delações”, tanto para reduzir penas como para evitar o comprometimento de suspeitos. Segundo o parlamentar, trata-se de uma articulada estrutura de “venda de proteções, em relações subterrâneas entre juízes, procuradores e advogados”.

Deltan Dallagnol

O procurador da República Deltan Dallagnol, um dos principais integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirma que as delações premiadas firmadas geraram um “efeito dominó” que contribui decisivamente para o aprofundamento das investigações. Segundo ele, a “a alternativa à colaboração (premiada), em grande parte dos casos, é a impunidade”.

“(A delação) Jamais serve sozinha para acusar alguém criminalmente, mas é um excelente início de prova para aprofundar a investigação. Assim aconteceu, por exemplo, no caso da Odebrecht, em que o aprofundamento das investigações nos levou a conseguir depósitos bancários milionários feitos por contas em nome da Odebrecht em favor de ex-diretores da Petrobras, tudo de modo escondido, no exterior”, disse o procurador em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

CPI

Encabeçada pelo PT, a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) destinada a matar a Operação Lava Jato alcançou o número suficiente de assinaturas, com a chancela de 190 deputados federais (veja a lista completa no final da matéria). Em tese, o objetivo da comissão seria “investigar as denúncias de irregularidades feitas contra Antônio Figueiredo Basto e outros, inclusive envolvendo escritórios de advocacia, ocorridas no âmbito de alguns processos de delação”.

Diz o texto do documento:

“O objeto da CPI deverá estender-se, por conexão, para ocorrência de irregularidades em sede de outras investigações, que estejam em desacordo com o quanto firmado na legislação de referência e na defesa do sistema de proteção de direitos e garantias insculpidas na Constituição Federal, por ser do interesse da sociedade o resultado válido, legítimo e eficaz da aplicação das normas e da conduta dos agentes públicos.”

E mais:

“É necessário investigar a possibilidade de manipulação das colaborações premiadas, o que indica fraude nos procedimentos e a possibilidade do envolvimento de agentes públicos. Esse é o objeto determinado.”

Paulo Pimenta

“Queremos fazer uma investigação sobre a chamada indústria da delação”, disse o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta Segundo ele, há hoje um verdadeiro esquema criminoso em torno da Operação Lava Jato, com a criação de um “suspeito mercado de delações”, tanto para reduzir penas como para evitar o comprometimento de suspeitos. Segundo o parlamentar, trata-se de uma articulada estrutura de “venda de proteções, em relações subterrâneas entre juízes, procuradores e advogados”.

Deltan Dallagnol

O procurador da República Deltan Dallagnol, um dos principais integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirma que as delações premiadas firmadas geraram um “efeito dominó” que contribui decisivamente para o aprofundamento das investigações. Segundo ele, a “a alternativa à colaboração (premiada), em grande parte dos casos, é a impunidade”.

“(A delação) Jamais serve sozinha para acusar alguém criminalmente, mas é um excelente início de prova para aprofundar a investigação. Assim aconteceu, por exemplo, no caso da Odebrecht, em que o aprofundamento das investigações nos levou a conseguir depósitos bancários milionários feitos por contas em nome da Odebrecht em favor de ex-diretores da Petrobras, tudo de modo escondido, no exterior”, disse o procurador em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

CPI

O requerimento para a instalação da CPI foi protocolado no dia 30 de maio. A instalação da comissão depende agora do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O requerimento para a instalação da CPI foi protocolado no dia 30 de maio. A instalação da comissão depende agora do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Estes 190 deputados assinaram a lista da CPI que quer matar a Lava Jato: Estes deputados querem matar a Lava Jato, porque assinaram pedido do deputado Paulo Pimenta, PT, para fazer isto:

 A lista é do blog O Antagonista.
O deputado Jerônimo Goergen, com quem o editor falou esta tarde, disse que assinou a lista por engano, mas retirará a assinatura.
       

TRAIDORES DA PROFISSÃO QUE TROUXERAM FALSOS MÉDICOS AO BRASIL QUEREM CONTROLAR O CREMESP


OS AUTORES DA CPI PARA ATACAR A LAVA JATO

OS AUTORES DA CPI PARA ATACAR A LAVA JATO:

A turma anti-Lava Jato já conseguiu o número de assinaturas suficientes na Câmara para instalar a CPI destinada a atacar a maior operação contra a corrupção no Brasil.

É preciso escancarar quem são os autores do requerimento:

Paulo Pimenta – PT/RS
Baleia Rossi – MDB/SP
Arthur Lira – PP/AL
Júlio Delgado – PSB/MG
André Figueiredo – PDT/CE
Orlando Silva – PCdoB/SP
Chico Alencar – PSOL/RJ
Weverton Rocha – PDT/MA
José Guimarães – PT/CE
Afonso Florence – PT/BA
Carlos Zarattini – PT/SP
Hildo Rocha – MDB/MA
Chico D’Angelo – PDT/RJ
José Rocha – PR/BA
Beto Mansur – MDB/SP

The post OS AUTORES DA CPI PARA ATACAR A LAVA JATO appeared first on O Antagonista.

STF conceder liberdade a Lula seria ‘esculacho da Justiça’, diz Bolsonaro


STF conceder liberdade a Lula seria ‘esculacho da Justiça’, diz Bolsonaro:

Pré-candidato do PSL à Presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) declarou nesta segunda-feira que será um “esculacho da Justiça” se o Supremo Tribunal Federal (STF) conceder liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há mais de dois meses em Curitiba.

“Vai ser a 2ª Turma, né, que tem um histórico de soltar todo mundo. Espero que isso não venha a acontecer, afinal de contas ele não tem os requisitos mínimos ainda de mudar de regime, se bem que ele está buscando um habeas corpus. Seria uma esculacho da Justiça brasileira colocar em liberdade o senhor Lula”, disse Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto em cenários que não consideram o nome do petista entre os candidatos.

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, enviou para julgamento na 2ª Turma do Supremo o julgamento de um pedido de liberdade de Lula. Ele sugeriu ao presidente do colegiado, ministro Ricardo Lewandowski, que marque a análise do caso no próximo dia 26 de junho. A 2ª Turma do STF é composta por Fachin, Lewandowski, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Celso de Mello.

A defesa o ex-presidente quer que o Supremo ou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedam efeito suspensivo aos recursos movidos contra sua condenação a 12 anos e um mês de prisão na operação. Com isso, os efeitos da sentença, incluindo a prisão de Lula, seriam suspensos até que o recurso especial ao STJ e o recurso extraordinário ao STF fossem julgados nas cortes superiores.

A declaração de Jair Bolsonaro sobre o Supremo foi dada em um painel com presidenciáveis organizado pela União da Indústria de Cana de Açúcar (Unica), em São Paulo.

No evento, questionado sobre como governaria sem uma base aliada numerosa no Congresso, caso eleito, Bolsonaro respondeu que conta com o apoio de 60 parlamentares que, nas palavras dele, não querem manter a “política do toma lá, dá cá”. Para aprovar emendas à Constituição por meio de PECs, o governo necessita dos votos de 308 dos 513 deputados federais e 49 dos 81 senadores, em dois turnos.

O deputado federal afirmou ainda que, diante de seus resultados nas pesquisas eleitorais, “se fosse qualquer outro, na situação em que me encontro, o centrão já estaria acomodado, todos já teriam seu lugar ao sol”.

Sobre o porte de armas, cuja flexibilização é uma de suas bandeiras de campanha, Bolsonaro disse que não vai “jogar as armas para cima e quem pegar, pegou”. Segundo o pré-candidato, critérios como exame psicológico, idade, antecedentes criminais e residência fixa serão considerados na concessão do porte.

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA CONHECIDA COMO "CONGRESSO NACIONAL" FAZ REQUERIMENTO CONTRA A LAVA JATO


O CONGRESSO NACIONAL CONTRA A LAVA JATO:

Representantes de 19 partidos assinaram o requerimento para instalação de uma CPI destinada a atacar a Lava Jato.

O Antagonista fez o ranking, com base nos apoios até aqui...

The post O CONGRESSO NACIONAL CONTRA A LAVA JATO appeared first on O Antagonista.

Brasil é o primeiro a questionar ‘árbitro de vídeo’

Brasil é o primeiro a questionar ‘árbitro de vídeo’:

Jamil Chade, do Estadão, informa no Twitter que a CBF acaba de enviar uma "carta de protesto" à Fifa, com críticas à arbitragem no jogo do Brasil contra a Suíça...

The post Brasil é o primeiro a questionar ‘árbitro de vídeo’ appeared first on O Antagonista.

Brasil é o primeiro a questionar ‘árbitro de vídeo’ (ANTAGONISTA)

Isso é fácil: quero ver esse país de putas, traficantes e ladrões questionar a "urna eletrônica" (Eu)

Direita derrota nas urnas o terrorismo esquerdista na Colômbia

mundo-colombia-eleicoes-ivan-duque-20180
Com 99,67% dos votos apurados, o afiliado político do ex-presidente Álvaro Uribe conseguiu pouco mais de 10,3 milhões de votos

O candidato do partido Centro Democrático, Iván Duque, venceu a corrida eleitoral à Presidência da Colômbia neste domingo, 17, e tomará posse no dia 7 de agosto. Com 99,67% dos votos apurados, Duque, um afiliado político do ex-presidente Álvaro Uribe, tem pouco mais de 10,3 milhões de votos, o equivalente a 53,96% do total, de acordo com o Registro Nacional do Estado Civil, o órgão eleitoral do país. O ex-guerrilheiro Gustavo Petro, do movimento Colômbia Humana, tem pouco mais de 8 milhões de votos, 41,83% do total apurado.

A vantagem parcial de 12,16% para Duque não permite que Petro alcance seu patamar, já que falta a análise de apenas 0,33% das mesas para o encerramento da apuração. Conforme os resultados atuais, foram contabilizados 4,20% votos brancos. A jornada eleitoral começou às 8h locais (10h de Brasília), e as seções eleitorais permaneceram abertas por oito horas.

Com o resultado, Iván Duque superou em os 7,5 milhões de votos que recebeu no primeiro turno da disputa, em 27 de maio. Aos 41 anos, ele é o presidente mais jovem eleito na Colômbia desde 1872. A vice de Duque será Marta Lucía Ramírez, primeira mulher a ocupar esse posto no país.

Por meio do Twitter, Gustavo Petro reconheceu a vitória do adversário, mas ressaltou não se sentir derrotado. “Qual derrota? Oito milhões de colombianas e colombianas livres de pé. Aqui não existe derrota. Por enquanto não seremos governo”, escreveu Petro, em resposta a uma publicação da rádio Caracol com imagens de seus eleitores decepcionados com a vitória de Iván Duque.

A eleição é determinante para os acordos de paz que buscam acabar com meio século de confronto armado no país. O prolongado conflito com as guerrilhas adiou por décadas o tradicional duelo entre direita e esquerda na quarta economia da América Latina.

“São eleições transcendentais”, afirmou Juan Manuel Santos, o presidente que deixará o poder em agosto, ao votar durante a manhã na Praça de Bolívar de Bogotá. Vencedor do Nobel da Paz de 2016, Santos destacou as “garantias” de segurança que os eleitores terão, em um país onde a violência afetou as eleições por décadas.

Duque e Petro ofereceram propostas opostas para o acordo de paz e outros temas. O direitista promete modificar o pacto. O ex-guerrilheiro, de 58 anos, militou no M-19, já dissolvido, defendia o acordo.

Com a antiga guerrilha comunista transformada em partido e diálogos contínuos com os rebeldes do Exército de Libertação Nacional (ELN), a luta contra a corrupção e o narcotráfico, assim como as relações e a migração sem precedentes da Venezuela, ganharam espaço na campanha.

Vencedor do primeiro turno com 39% dos votos, Duque tem experiência política de quatro anos. Embora tenha se destacado no Senado, chegou ao Parlamento por uma lista fechada liderada por Uribe.

O presidente eleito pretende recuperar o cargo máximo do país para uma direita contrária ao acordo com as Farc, diminuir os impostos para as empresas e aumentar a pressão internacional contra o governo de Nicolás Maduro na Venezuela. A Colômbia tem 49 milhões de habitantes, com 27% de pobreza e é o maior produtor mundial de cocaína.

Telefonema do presidente

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, telefonou para Iván Duque, depois de confirmada sua vitória nas urnas.

“Liguei para Iván Duque para parabenizá-lo e deseja muita sorte. Ofereci toda a colaboração do governo para fazer uma transição ordenada e tranquila”, escreveu Santos no Twitter.

Ao longo da campanha, ele não manifestou apoio para candidato algum, no entanto tinha se comprometido a dar os parabéns para o ganhador como parte dos pedidos feitos para que a campanha transcorresse em um ambiente pacífico. (Veja.com).

18 de Junho de 1037: Morre Avicena, o "príncipe dos sábios"

18 de Junho de 1037: Morre Avicena, o "príncipe dos sábios":

Ibn Sina ou Avicena, médico, filósofo e cientista persa, morre em Hamadan no dia 18 de Junho de 1037. Escreveu cerca de 300 livros sobre diferentes temas, predominantemente de Medicina e Filosofia.

Os seus textos mais famosos são O Livro da Cura e O Cânone da Medicina, também conhecido como Cânone de Avicena. Os seus discípulos deram-lhe o cognome de Cheikh el-Rais – “príncipe dos sábios” – o terceiro grande mestre depois de Aristóteles e Al-Farabi. É considerado um dos principais médicos de todos os tempos.

Avicena nasceu em 7 de Agosto de 980 em Afshana, actualmente Uzbequistão. Consta ter sido precoce no seu interesse pelas Ciências naturais e a Medicina, tanto que aos 14 anos estudava sozinho. Foi enviado para estudar cálculo com um mercador. Tinha boa memória e recitava largos trechos do Corão.

Ainda jovem estudou os saberes da época como Física, Matemática, Filosofia, lógica e o Corão. Foi influenciado por um tratado de Al-Farabi que lhe permitiu superar as dificuldades em entender a Metafísica de Aristóteles. A precocidade nos estudos reflectiu-se na precocidade na carreira pois aos 16 anos já se aproximava de médicos famosos e aos 17 gozava de fama como médico por ter salvo a vida do Emir Nuh ibn Mansur.
Conseguiu permissão para aceder à biblioteca real, onde ampliou os seus conhecimentos de  Matemática, Música e Astronomía. Converteu-se em médico da corte e conselheiro científico até à queda do reino samani em 999.

Em Hamadan, o emir Shams al-Dawla  escolheu-o como ministro. Dedicou-se de dia à administração pública e de noite à ciência. Aos 20 anos, escreveu 10 volumes chamados O Tratado do Resultante e do Resultado e um estudo dos costumes da época, A Inocência e o Pecado. Com esta obra, a sua fama como escritor, médico, filósofo e astrónomo estendeu-se por toda a Pérsia.

Em 1021, a morte do príncipe al-Dawla e o começo do reinado do seu filho Samah cristalizaram as ambições e os rancores. Vítima de intrigas políticas, Avicena foi preso. Disfarçado, conseguiu fugir para Ispahán.

Com 32 anos deu início à sua obra-prima, o  Cânone de Medicina, que continha a colecção organizada dos conhecimentos médicos e farmacêuticos da sua época.

Durante uma expedição a Hamadan, actual Irão, o filósofo sofreu uma crise intestinal grave que contraiu, segundo disseram, por excesso de trabalho e de prazer. Tentou curar-se porém o remédio foi fatal. Morreu aos 57 anos.
A obra de Avicena é de importância capital. Foi traduzida para o latim no século XII, reforçando a doutrina aristotélica, fortemente influenciada pelo pensamento de Platão.

Avicena declarou ter lido em mais de 40 ocasiões a Metafísica sem chegar a entendê-la completamente. Mesclou a doutrina aristotélica com o pensamento neoplatónico, adaptando-os ao mundo muçulmano. Colocou a razão acima do ser e explicou que com isso se buscaria a perfeição.
Teve grande influência sobre pensadores do porte de Santo Tomás de Aquino, Boaventura de Fidanza e Duns Escoto. Desenvolveu muito antes de Descartes um pensamento similar: o conhecimento indubitável da própria existência.

Se bem que inclinado à mística, tratou o tema de modo objectivo. O ascetismo não lhe bastava, acreditava que se deveria buscar a iluminação como acto final do conhecimento. A iluminação obtinha-se por meio dos anjos que actuavam como união entre as esferas celestiais e as terrestres. Avicena abriu caminho para um novo ramo da filosofia islâmica, a sabedoria da iluminação, a chamada Metafísica da Luz, inaugurada pelo seu seguidor Suhrauardi.

A obra de Avicena é numerosa e variada. Escreveu principalmente no idioma culto do seu tempo, o árabe clássico, porém às vezes também no vernáculo, o persa.

Um dos seus textos mais famosos é o Al Qanun, cânone de medicina, também conhecido como Cânone de Avicena, enciclopédia médica de 14 volumes escrita por volta de 1020. Baseia-se numa combinação da sua própria experiencia pessoal, de medicina islâmica medieval, dos escritos de Galeno, Sushruta e Charaka, bem como na antiga medicina persa e árabe. O Cânone é considerado um dos livros mais famosos da história da medicina.

Outra grande obra, O Livro de Orientações e Advertências, trata de temas de Filosofia e Mística. Nesta obra aparece o seu famoso argumento do Homem Voador, predecessor do ‘cogito, ergo sum’ cartesiano, em que expunha que um homem suspenso no ar, sem contacto com nada nem sequer o seu próprio corpo, sem ver nem ouvir, afirmará sem dúvida que existe e intuirá o seu próprio ser.
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)

avicena.jpg



Avicenna.jpg
Representação de Avicena de 1271


Canon-Avicenna.jpg
Primeira página de um manuscrito da autoria de Avicena

domingo, 17 de junho de 2018

Separação de famílias de imigrantes distancia Trump de republicanos



Separação de famílias de imigrantes distancia Trump de republicanos:

Republicanos do Congresso dos Estados Unidos se distanciaram do governo do presidente Donald Trump e de sua política de separar crianças de seus pais na fronteira sul do país. O racha acontece após a tentativa do governo de justificar a política de “tolerância zero” com os imigrantes que cruzam a fronteira.

O secretário da Justiça, Jeff Sessions, tentou defender a nova legislação citando a Bíblia. “Eu gostaria de citar o apóstolo Paulo e seu comando claro e sábio em Romanos 13 para obedecer às leis do governo, porque Deus as ordenou para criar a ordem”, disse Sessions.

Ao comentar as declarações do secretário, a secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, também afirmou que “é muito bíblico aplicar a lei”.

Os comentários vieram quando o presidente da Câmara, o republicano Paul Ryan, e outros companheiros de partido disseram não estar confortáveis com a separação de pais e filhos.

Os casos aumentaram dramaticamente depois que o Departamento de Justiça adotou, em abril, uma nova política de “tolerância zero” nas fronteiras, segundo a qual todos os imigrantes pegos tentando entrar ilegalmente nos Estados Unidos seriam acusados criminalmente. Isso geralmente leva à separação entre os pais e seus filhos.

“Nós não queremos que as crianças sejam separadas de seus pais”, disse Ryan na quinta-feira (14).

Ryan e outros legisladores afirmaram que estão tentando resolver o problema com um projeto de lei sobre imigração. Um rascunho do documento, divulgado na quinta-feira, determina que as crianças sejam mantidas com suas famílias enquanto estiverem sob custódia do Departamento de Segurança Interna. Ou seja, elas ficariam detidas junto com seus parentes.

O congressista acrescentou que a atual política é aplicada de acordo com uma decisão judicial que impede que as crianças sejam mantidas sob custódia por longos períodos.

A líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi, rejeitou a avaliação dizendo que o presidente Trump deveria dar um fim à prática rapidamente. Ela chamou a política de separação de “bárbara”.

‘A culpa é dos democratas’

O presidente Donald Trump afirmou que não gosta de ver crianças imigrantes separadas de suas famílias na fronteira com o México, mas culpou o Partido Democrata por essa situação.

“Detesto que essas crianças sejam separadas (de suas famílias). Os democratas têm de mudar a lei. É a lei deles”, afirmou Trump ,em um incomum contato direto com a imprensa nos jardins da Casa Branca, em referência ao fato de que a normativa foi elaborada durante o governo de Barack Obama.

“Podemos mudar a lei esta noite, podemos fazer isso agora mesmo. Mas precisamos dos votos dos democratas”, alfinetou. Trump recordou que os republicanos têm uma maioria de apenas um voto no Senado, e, por isso, a aprovação de uma nova lei migratória requer o apoio dos democratas.

“Essas crianças podem ser atendidas rapidamente e de forma imediata. Mas os democratas forçaram esta nação a essa lei. Detesto ver essa separação de pais e filhos”, insistiu o presidente.

Pressão

Histórias de bebês e crianças pequenas sendo tiradas de suas mães receberam ampla cobertura da imprensa. A Casa Branca tentou mudar a narrativa, oferecendo uma excursão a jornalistas de alguns canais de notícias a uma antiga unidade do Wallmart, próxima da fronteira, que serve de casa a centenas de crianças imigrantes.

A excursão foi rigorosamente controlada, e o Departamento de Serviços Humanos e Saúde não permitiu que a imprensa fotografasse ou fizesse entrevistas em vídeo. Ao invés disso, um vídeo produzido pelo governo sobre o abrigo foi liberado.

A visita ocorreu depois que um senador democrata tentou entrar em uma instalação federal no Texas, onde crianças imigrantes estão retidas. A polícia foi chamada e o senador Jeff Merkley, do Oregon, teve de deixar o local. Em outra instalação, usada para processar imigrantes e administrada pelo Departamento de Segurança Interna, ele afirmou ter visto homens, mulheres e crianças amontoados em jaulas.

“Isso me lembra um pouco um canil, construído com cercas para ciclones”, disse Merkley.

A Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos também se manifestou, dizendo que os funcionários americanos têm poder para manter as famílias intactas. “Separar bebês de suas mães não é a resposta e é imoral”, disse o cardeal Daniel DiNardo, presidente do grupo.

A repreensão do cardeal atraiu a resposta de Sessions, insistindo que a política de separar famílias é necessária para impedir atravessamentos ilegais na fronteira.

Historicamente, imigrantes sem antecedentes criminais sérios foram libertados da custódia enquanto buscavam asilo ou o status de refugiados. A administração Trump mudou isso, detendo mais pessoas, incluindo as requerentes de asilo.

(Com Estadão Conteúdo e AFP)

Anexos originais:


ad516503a11cd5ca435acc9bb6523536


Se pudessem, 62% dos jovens brasileiros iriam embora do país

Se pudessem, 62% dos jovens brasileiros iriam embora do país:

gru.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Num piscar de olhos, a população dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná desapareceria do Brasil. Cerca de 70 milhões de brasileiros com 16 anos ou mais deixariam o Brasil se pudessem, mostra o Datafolha.


Mais informações »


Candidatos a governador do PT podem ficar isolados em 8 Estados

Candidatos a governador do PT podem ficar isolados em 8 Estados:

marinho-tiburi.png
Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo com dirigentes nacionais e estaduais do PT mostra que o partido pode ficar isolado nas disputas por governos em ao menos oito das 27 unidades da Federação, que somam quase a metade do eleitorado brasileiro.
Mais informações »


Em lançamento de pré-candidatura, Márcia Tiburi diz entrou para o PT 'na contramão da história'

Em lançamento de pré-candidatura, Márcia Tiburi diz entrou para o PT 'na contramão da história':

17jun2018---a-filosofa-marcia-tiburi-ao-
Imagem: Reprodução
A filósofa Márcia Tiburi lançou sua pré-candidatura ao governo do Rio pelo PT, neste domingo (17), com um discurso que exaltou o partido para o qual entrou no início de março. Márcia, que era filiada ao PSOL desde 2013, afirmou que se juntou ao PT por uma questão de "gratidão" e "na contramão da história", em evento no diretório Estadual do PT.
Mais informações »


A PROVA DE QUE O BRASIL É UM ERRO DA CIVILIZAÇÃO E DEVERIA DESAPARECER ANTES QUE O MUNDO FIQUE IGUAL A ELE.



Não há perdão para o LIXO, para RALÉ da Humanidade que abusa da ingenuidade e da inocência das pessoas - esse tipo de gente é a ESCÓRIA. 

Um vídeo no qual torcedores brasileiros aparecem ao lado de uma jovem na Rússia viralizou nas redes sociais e no WhatsApp neste fim de semana.

Nas imagens, o grupo de ao menos cinco homens, alguns com a camisa da seleção brasileira, tenta convencer a moça a gritar uma frase impublicável, uma referência constrangedora a ela própria. Trata-se da velha piada de mau gosto de fazer estrangeiros repetirem termos chulos em português. Claramente sem entender o significado do que é dito, ela tenta acompanhar os torcedores.

REVISTA BULA - Viaje pelo Brasil com a principal comida típica de cada Estado

Viaje pelo Brasil com a principal comida típica de cada Estado:

Viaje pelo Brasil com a principal comida típica de cada Estado
A culinária é parte importante da cultura de um povo. Prova disso são os pratos típicos do Brasil, que representam as diferentes nuances dos conhecimentos, crenças e costumes de seus habitantes. Pensando nisso, a Bula selecionou comidas típicas de todas as regiões do país. A lista inclui um prato para cada estado brasileiro e o Distrito Federal. Não foram consideradas as receitas que já estão amplamente difundidas e reconhecidas, como o pão-de-queijo de Minas Gerais, o acarajé baiano, e a buchada de bode, que é típica de todo o Nordeste. É importante destacar que a lista não obedece a critérios classificatórios, e, além disso, não tem intenção de ser definitiva ou universal.

Acre, Baixaria
Acre, Baixaria
O prato, que faz parte do café da manhã dos acreanos, é preparado com cuscuz, carne moída, cheiro-verde e ovo frito. Ele é extremamente calórico, e garante uma refeição mais do que reforçada.
Alagoas, Sururu de Capote
Alagoas, Sururu de Capote


A iguaria tipicamente alagoana tem como base o sururu, molusco encontrado em águas doces, que é cozido dentro da concha com outros temperos. Normalmente, acompanha pirão e purê de mandioca.
Amapá, Pescada de gurijuba
Amapá, Pescada de gurijuba


A gurijuba é um peixe consumido em todos os estados da região Norte. No entanto, é pescado principalmente no Amapá. Por isso, é considerado símbolo da culinária local. Ele é usado em mais de 70 receitas: assado, cozido, defumado, entre outros.
Amazonas, Tapioca de tacumã
Amazonas, Tapioca de tacumã


No Amazonas, a tradicional tapioca leva um recheio local: o tucumã. O fruto de coloração amarelada é extraído de uma palmeira. A sua parte externa, suculenta, é utilizada em algumas receitas, entre elas, a tapioca, cujo recheio pode acompanhar também queijo coalho.
Bahia, Vatapá
Bahia, Vatapá


A receita do Vatapá pode incluir camarões, azeite de dendê, amendoim, castanha de caju, farinha de mandioca e leite de coco. Todos os ingredientes são unidos em uma mistura, levada ao fogo para engrossar.
Ceará, Peixada cearense
Ceará, Peixada cearense


O cozido de peixe servido com pirão e farinha é um dos símbolos da culinária cearense. Tamanha a sua representatividade, está presente desde os restaurantes mais simples até aqueles mais requintados.
Distrito Federal, Pizza de muçarela acompanhada de chá mate gelado
Distrito Federal, Pizza de muçarela acompanhada de chá mate gelado


Brasília é uma cidade planejada e relativamente nova. Por isso, a sua culinária é formada basicamente por práticos típicos de outras regiões no Brasil. Uma tradição culinária específica do local, entretanto, são as pizzas de muçarela acompanhadas de chá mate servidas por uma rede de pizzarias que nasceu com a capital.
Espírito Santo, Muma de siri
Espírito Santo, Muma de siri


Siri é um dos ingredientes mais característicos da culinária capixaba. No prato típico, o crustáceo é ensopado com tomate, cebola e temperos. Farinha de mandioca é utilizada para engrossar o caldo, e o resultado é de dar água na boca.
Goiás, Arroz com pequi
Goiás, Arroz com pequi


Pequi é um fruto nativo do cerrado brasileiro. Em Goiás, ele é utilizado em diversas receitas. Uma das mais conhecidas é o arroz com pequi. De coloração amarelada e gosto bastante específico, ele empresta aos grãos um sabor completamente diferente.
Maranhão, Arroz de cuxá
Maranhão, Arroz de cuxá


O prato teve influência de diversas culturas: indígena, portuguesa, francesa, árabe, entre outras. O seu principal ingrediente, além do arroz, é a vinagreira, uma erva bastante utilizada na culinária local.


Mato Grosso, Furrundu
Mato Grosso, Furrundu


A sobremesa mato-grossense é produzida com ingredientes simples: mamão verde, rapadura, gengibre, cravo e canela. O mamão é ralado e levado ao fogo junto aos outros ingredientes. O resultado é um doce que faz sucesso por lá.
Mato Grosso do Sul, Arroz boliviano
Mato Grosso do Sul, Arroz boliviano


Como o próprio nome diz, a receita tem origem na Bolívia. Entretanto, foi reinventada no sul-mato-grossense. Ela é preparada à base de arroz, carne moída, queijo, batata, pimentão, milho banana, ovos e outros ingredientes.


Minas Gerais, Feijão tropeiro
Minas Gerais, Feijão tropeiro


Nem só de pão-de-queijo vive Minas Gerais. O estado também preserva outros pratos típicos de dar água na boca, um deles é o feijão tropeiro. A receita inclui feijão carioca cozido ao dente, torresmo, linguiça, couve, farinha de mandioca e temperos.
Pará, Tacacá
Pará, Tacacá


O Tacacá é um dos pratos mais representativos da culinária paraense. Ele é preparado com um caldo amarelo, o tucupi, extraído da mandioca brava. A receita inclui também goma de tapioca, jambu, que é uma erva típica da região norte, e camarão seco.
Paraíba, Cabeça de Galo
Paraíba, Cabeça de Galo


Típico da Paraíba, a Cabeça de galo é uma sopa engrossada com farinha de mandioca, além de ovos, coentro e outros temperos. Popularmente, é considerado o melhor alimento para remediar a ressaca.
Paraná, Barreado
Paraná, Barreado


O barreado surgiu em Morretes, município da região litorânea do Paraná, e logo se popularizou em todo o estado. A receita é simples, leva carne, farinha de mandioca e temperos. Mesmo assim, seduz facilmente até os paladares mais exigentes.
Pernambuco, Bolo de Rolo
Pernambuco, Bolo de Rolo


O doce típico de Pernambuco é preparado com uma massa fina de farinha de trigo, ovos, manteiga e açúcar. A massa é enrolada em formato de rocambole, com camadas de goiabada em seu interior.
Piauí, Maria Isabel
Piauí, Maria Isabel


A tradicional receita do estado do Piauí é típica das festas juninas. O prato é preparado com carne de sol, arroz e temperos. Normalmente é servido com paçoca de carne de sol ou carne de sol assada.
Rio de Janeiro, Filé à Oswaldo Aranha
Rio de Janeiro, Filé à Oswaldo Aranha


A receita recebeu este nome em homenagem ao diplomata brasileiro Oswaldo Aranha. Durante os anos que viveu no Rio, ele costumava pedir o prato em seus almoços na Lapa: filé mignon temperado com alho frito, acompanhado de batatas portuguesas, arroz branco e farofa de ovos.
Rio Grande do Norte, Ginga com tapioca
Rio Grande do Norte, Ginga com tapioca


O peixe popularmente conhecido como Ginga é envolvido em fubá, frito em óleo de dendê e servido com tapioca. Consumido principalmente nas praias de Natal, se tornou marca registrada da culinária potiguar.
Rio Grande do Sul, Matambre Recheado
Rio Grande do Sul, Matambre Recheado


Típico do Rio Grande do Sul, o prato também é consumido em países vizinhos, como Uruguai e Argentina. Matambre é um corte localizado nos músculos que protegem a costela do boi. O recheio pode variar, mas algumas receitas incluem bacon e vegetais. A peça pode ser cozida ou assada.
Rondônia, Pirarucu Rondon
Rondônia, Pirarucu Rondon


Em 2016, o Pirarucu Rondon foi reconhecido oficialmente como prato típico de Porto Velho. A receita foi desenvolvida pelo chefe Manoel Evangelista, que a multiplicou entre os restaurantes da cidade. Os ingredientes são: pirarucu, jambu, mandioca, batata doce e tucupi.
Roraima, Damurida
Roraima, Damurida


O prato típico da culinária indígena de Roraima é preparado com tucupi, tambaqui, chicória, jambu e pimentas. Todos os ingredientes são reunidos em uma panela, acrescidos de água, e levados ao fogo para o cozimento.
Santa Catarina, Pastel de berbigão
Santa Catarina, Pastel de berbigão


O pastel de berbigão é popular principalmente em Florianópolis. Berbigão é um crustáceo bastante comum no local. Ele é cozido sem as conchas e com temperos para formar o recheio do pastel, de massa tradicional.
São Paulo, Virado à Paulista
São Paulo, Virado à Paulista


O prato típico de São Paulo foi criado pelos bandeirantes ainda no período colonial. Ele é preparado com feijão cozido refogado com alho e cebola, e engrossado com farinha de milho ou de mandioca; bisteca, torresmo, couve, ovo frito, banana e linguiça. Há outras variações.
Sergipe, Camarão de cueca
Sergipe, Camarão de cueca


A moqueca de camarão é preparada com leite de coco, tomates e temperos. Normalmente acompanha arroz, pirão, farofa e vinagrete. O prato foi apelidado de “Camarão de cueca” pela dona de um restaurante local, e o nome acabou pegando.
Tocantins, Chambari
Tocantins, Chambari


O Chambari ou chambaril tocantinense é preparado com ossobuco, tomates, mandioca cozida e temperos. A carne é cozida com os demais ingredientes. Há outras versões da receita, inclusive sem a mandioca.