Ataque Aberto

"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 31 de dezembro de 2016

ABAIXO ASSINADO PELA PRISÃO DE LULA


Nós, cidadãos brasileiros, em virtude de todas as provas colhidas até agora, dos gigantescos escândalos do Mensalão e do Petrolão, pedimos aos senhores a prisão imediata de Luís Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República e fundador de um partido criminoso associado ao Foro de São Paulo. Sua prisão é importante para que o mesmo não interfira nas investigações em andamento e para que fique clara, de uma vez por todas, qual foi EXATAMENTE a sua participação nos esquemas de desvio e lavagem de dinheiro que lesaram em bilhões os cofres públicos. Não há um só integrante já preso nessas investigações que não deixe, de forma clara ou insinuada, a ciência total e participação de Lula em todos esses eventos. A condução coercitiva do Sr.Luís Inácio, no último dia 4 de março de 2016, e a resposta que ele deu em sua entrevista coletiva deixam claro que ele não tem o mínimo respeito pelo Estado de Direito e pelas Instituições Republicanas representadas pelo Dr. Sérgio Moro e pela Força Tarefa do Ministério Público sendo capaz de dirigir-se à Nação em termos chulos, de fazer piada e de debochar da Justiça Federal. Pedimos aos senhores que entendam este abaixo assinado como sendo, além da expressão da vontade do povo brasileiro, uma homenagem a todos os policiais federais, juízes e promotores envolvidos na Operação Lava Jato. Pedimos também à Dra.Maria Priscila Veiga Oliveira, Juíza da 4ª Vara Criminal da Justiça de São Paulo, lembrando que  o futuro do Brasil está nas suas mãos: por favor, PRENDA o Lula. Depois da prisão de Eduardo Cunha ontem, Lula VAI fugir ! Seu filho mais novo JÁ fugiu: está no Uruguai.

Att, 

Dr.Milton Pires & Cidadãos Brasileiros.

ASSSINE AQUI - Change.org OU Citizengo  OU Petição Pública 



sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

“Proposta de Sérgio Moro é coisa de cretino”, diz Gilmar Mendes

VAGABUNDOS PETISTAS, DO PSOL E PC do B TEM INTENÇÃO DE TUMULTUAR VELÓRIO COLETIVO EM CHAPECÓ??


Imprensa se cala diante de plano criminoso da esquerda raivosa de tumultuar velório coletivo em Chapecó


chapecoense_1004
Nada pode ser pior do que o jornalismo modorrento, órfão de opinião. Talvez haja algo ainda pior: quando a opinião, na contramão do bom senso, ingressa na seara da maledicência. Fazemos esse destaque porque há uma questão envolvendo a tragédia da Chapecoense e o presidente da República, Michel Temer.
Como chefe de Estado, Temer disponibilizou a estrutura do governo para facilitar o traslado dos corpos das vítimas brasileiras a Chapecó, onde acontecerá um velório coletivo. Ao mesmo tempo, o presidente viajará à cidade catarinense para, no aeroporto municipal, participar de cerimônia reservada de recepção dos corpos e apresentar condolências aos familiares.
A discórdia está exatamente na ida de Michel Temer a Chapecó, pois parentes de algumas vítimas já afirmaram tratar-se de um desrespeito a não presença do presidente na cerimônia que terá lugar na Arena Condá. O serviço de inteligência da Presidência da República identificou uma movimentação de entidades de esquerda que pretendem promover, durante o velório coletivo, um protesto contra o governo Temer.
Considerando que o Brasil está consternado e o momento é de profunda tristeza, tudo o que for feito para manter o respeito em relação às vítimas e seus familiares deve ser considerado positivo, até porque a cerimônia fúnebre não pode ser comprometida por vaias e palavras de ordem da esquerda bandoleira. Nesta semana, os baderneiros de aluguel contratados pela esquerda deram mostras inequívocas do grau de civilidade que os move, destruindo o patrimônio público e privado como forma de protesto (sic) contra a PEC do Teto de Gastos.
No dia da tragédia, Michel Temer afirmou tratar-se de um acontecimento “infausto” e “tristíssimo”. O presidente ressaltou que o governo disponibilizou aeronave para transportar familiares das vítimas à Colômbia e que o Ministério das Relações Exteriores, José Serra, foi ao país sul-americano para providenciar o deslocamento ao Brasil dos corpos.
“Eu quero mais uma vez lamentar o infausto acontecimento que gerou o falecimento de uma equipe de futebol e vários que a acompanhavam. Para nós, é um fato tristíssimo e a única coisa que podíamos fazer era tomar providências para dar apoio às famílias que se enlutaram neste momento”, declarou Michel Temer.
O mínimo que a imprensa poderia fazer, como faz o UCHO.INFO neste momento, é apoiar a decisão de Michel Temer de recepcionar os corpos das vítimas, ao lado dos familiares no aeroporto de Chapecó, mostrando aos parentes que essa medida é sensata e respeitosa, ao contrário de algumas declarações.
Por outro lado, os veículos midiáticos alinhados ideologicamente à esquerda têm o dever de condenar a manobra dos delinquentes que patrocinaram o período mais corrupto da história nacional e levaram o Brasil à débâcle econômica, pois em momento de luto e consternação disputas políticas não cabem.
Esse comportamento covarde e rasteiro mostra a irresponsabilidade do eleitor brasileiro ao deixar o País durante treze anos nas mãos de uma facção criminosa. Nem mesmo as organizações mafiosas agem com tanto desrespeito e covardia.
FONTE DA NOTÍCIA - UCHO

NOTA DO EDITOR DO ATAQUE ABERTO

Um vagabundo petista é uma criatura desprovida de absolutamente QUALQUER dimensão moral. Eles são capazes de fazer de tudo pelo Partido Religião e não é de duvidar que os marginais pretendam, realmente, tumultuar um velório coletivo.

AGRADECIMENTO A ONYX LORENZONI


Excelentíssimo Sr.Deputado Federal

Onyx Lorenzoni

O Brasil das pessoas de bem, dos verdadeiros trabalhadores e estudantes, de todas as classes profissionais,  apresenta ao senhor os votos de mais profundo reconhecimento e gratidão pela árdua batalha contra verdadeira Legião de Marginais e Vagabundos do Poder que, dentro da Câmara dos Deputados Federais (e depois no Senado) tudo fizeram para humilhá-lo e promover a sua exposição da maneira mais covarde e vil possível. 

Esta gente vai para história como representante de uma Organização Criminosa que atentou contra verdadeira Justiça e contra os princípios básicos de qualquer Democracia. 

O senhor será lembrado como um homem de Estado que lutou até o fim contra a corrupção que tomou conta do Brasil. 

Muito Obrigado,

Dr. Milton Pires
Porto Alegre

O SUICÍDIO DE UM PARLAMENTO


por Percival Puggina. Artigo publicado em 
  Na madrugada desta quarta-feira, 30 de novembro, o Parlamento brasileiro suicidou-se moralmente num acesso de fúria contra tudo e contra todos. Do alto de suas gravatas, deputados federais urravam ódio nos microfones. Eles odiavam seus colegas probos, indignavam-se, numa indignação despida de dignidade, ante bons exemplos. E aplaudiam comparsas. Condutas íntegras faziam explodir sentimentos primitivos. Nada, porém, trazia mais espuma à boca e sangue aos olhos do que a atividade de policiais, promotores e magistrados. Tais funções, um dia, poderiam apontar crimes e sinalizar o rugoso caminho da cadeia.
Que país é esse - pensava o Parlamento suicida - onde não mais se pode roubar em paz? Como obter mandato para servir ao povo em nobre atividade sem tomar dinheiro desse mesmo povo? Que mal atacou nossa gente, outrora dócil e tolerante, para levá-la às praças clamar contra meus negócios? De onde saiu essa corruptofobia? Tudo isso pensava e contra tudo isso vociferava o Parlamento enquanto o elevador da arrogância ascendia ao topo das torres gêmeas. E, dali, a queda livre até o solo.
Não se diga que o finado ainda emite sinais vitais. Com efeito, coração bate, pulmões respiram, aparelho digestivo digere. Mas está morto. Morto como um peso morto. É um traste, esse suicida moral. Nós assistimos tudo! Como não atestar, então, seu óbito? O Antagonista resume assim, no rescaldo da madrugada:
• crime de responsabilidade para juízes e procuradores,
• prisão por desrespeito às prerrogativas dos advogados,
• criminosos não terão de devolver a fortuna acumulada com propinas,
• tempo de prescrição continuará com réu foragido,
• partidos não poderão ser punidos pelo roubo.
Estas medidas, que favorecem a Frente Parlamentar da Corrupção, ou Orcrim, no relato de O Antagonista, foram aprovadas pelos partidos com estas proporções:
• PCdoB 100% pró-ORCRIM.
• PT: 98% pró-ORCRIM.
• PRB: 95% pró-ORCRIM.
• PDT: 87,5% pró-ORCRIM.
• PR: 83% pró-ORCRIM.
• PMDB: 82% pró-ORCRIM.
• PP: 81% pró-ORCRIM.
• DEM: 71% pró-ORCRIM.
• PSD: 61% pró-ORCRIM.
• PSB: 57% pró-ORCRIM.
• PSDB: 24% pró-ORCRIM.
Domingo, dia 4 de dezembro, estaremos nas avenidas e praças do Brasil como testemunhas do que aconteceu e protagonistas dos princípios e valores que em algum momento, ali adiante, haverão de prevalecer. Há que cumprir o dever moral da persistência! Covardes e inúteis seremos se jogarmos a tolha ante cadáveres morais.
________________________________
* Percival Puggina (71), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

MARCELO ODEBRECHT CONFIRMA QUE DILMA SABIA DE TODO ESQUEMA CRIMINOSO NA PETROBRAS

OMISSÃO

MARCELO ODEBRECHT: DILMA SABIA DE TODO O ESQUEMA DO PETROLÃO
Por Redação
02/12/2016
11:13

Comentar matéria16
Foto: Arquivo

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) sabia de todo o esquema do Petrolão, escândalo de corrupção que envolveu empreiteiras e a estatal de petróleo. A informação é a da coluna Direto da Fonte, assinada por Sônia Racy, do jornalO Estado de S. Paulo.

Segundo a coluna, a revelação foi feita pelo próprio Marcelo Odebrecht. Apesar da afirmação grave, Marcelo livrou Dilma de outro crime. O empreiteiro garantiu que a ex-presidente nunca pediu recursos para ela mesma.

Mas isso não a isenta de crime. De acordo com avaliação de um jurista para a coluna Direto da Fonte, Dilma cometeu sim crime de prevaricação. Isso porque teve conhecimento de um crime tão grandioso como este e não tomou providências para punir os responsáveis.

Se ainda fosse presidente poderia ser enquadrada art. 85 da Constituição – que, em seu inciso V, considera crime de responsabilidade “a improbidade na administração”. Como foi destituída, Dilma pode ser punida mesmo como cidadã comum.

Odebrecht delata Padilha e Moreira Franco


Chegou a hora da "turma da pesada" do PMDB - Padilha e Moreira Franco vão para CADEIA. Odebrecht delata Padilha e Moreira Franco



Lauro Jardim publica que Paulo Cesena, presidente da Odebrecht Transport, delatou que deu dinheiro a Eliseu Padilha e Moreira Franco.
Ambos, de acordo com o delator, pediram dinheiro em nome do PMDB.
Começou o esquenta.
ANTAGONISTA

Fernando Gabeira: Enquanto o Brasil chorava

Fernando Gabeira: Enquanto o Brasil chorava:

Publicado no Estadão

Na madrugada, como costumam sempre fazer, os deputados votaram um texto destinado a golpear a Lava Jato e intimidar os procuradores e juízes. Dessa vez uma madrugada de luto pela queda do avião da Chapecoense, desastre que impactou o mundo.

Temer prometeu vetar a anistia para o caixa 2 e outros crimes. Mas não mencionou o tema da represália à Justiça, uma das grandes aspirações de Renan Calheiros.

O Brasil está diante de uma afronta espetacular: deputados investigados por corrupção determinam os limites dos próprios investigadores. Denunciar sua manobra não significa conciliar com abuso de autoridade, mas apenas enfatizar que legislaram em causa própria. No Brasil são os bandidos que determinam como e o que pode ser feito contra eles.

O que existe mesmo, como ação central, é uma tentativa de neutralizar a Operação Lava Jato, sobretudo às vésperas da divulgação dos depoimentos da Odebrecht. O caminho foi interferir nas “10 Medidas Contra a Corrupção”.

Interferir na proposta, na verdade, é um atributo do Congresso. Assim como não deve simplesmente carimbar medidas do governo, o Congresso não pode apenas carimbar medidas que se originam na sociedade.

Não há nenhum problema em cortar exageros, em adequar ao texto constitucional, etc. A crise começa quando decidem confrontar a Lava Jato e outras investigações. Em primeiro lugar, com manobras sobre uma anistia impossível; em segundo lugar, aprovando uma lei de controle de autoridade que não pertencia à proposta original.

Aliás, esse tema pertence a Renan Calheiros, com 12 investigações no Supremo Tribunal Federal. A Câmara dos Deputados antecipou-se a ele porque, com o êxito da Lava Jato, a contraofensiva parlamentar tornou-se a principal tarefa para bloquear as mudanças.

Não dá. Assim como não deu para o governo transformar-se num grupinho de amigos do Geddel e pressionar para que o prédio La Vue fosse construído com 30 andares.

Renan Calheiros segue sendo a maior ameaça. É curioso como um homem investigado 12 vezes coloca como sua tarefa principal controlar a Justiça. Com a votação da Câmara ele recebeu um alento. Renan e os deputados caminham para impedir que o Brasil se proteja dos assaltantes que o levaram à ruína.

Renan tem influência. Há os que pensam, como ele, que é preciso torpedear a Lava Jato e há os que não ousavam combatê-lo, mas agora começam a perceber que foi longe demais. E o derrotaram no plenário do Senado, impedindo a urgência na lei da intimidação.

Renan desenvolve o mesmo estilo de Eduardo Cunha, o cinismo, e usa o cargo para se proteger da polícia. Enfim, Renan delira, como Cunha delirava. A melhor saída é eles que se encontrem em Curitiba. Na ânsia de sobreviver, não hesitam em agravar a situação do País, já em crise profunda.

A votação escondida num momento de luto, tudo isso é muito esclarecedor sobre a gravidade do desafio que lançaram. O sonho dourado dos políticos corruptos ainda em liberdade não é apenas deter as investigações. Eles querem reproduzir o momento anterior, em que assaltavam os cofres das estatais, vendiam artigos, emendas, frases, às vezes até um adjetivo.

Romero Jucá é um craque nessa arte. Ele conseguiu passar uma lei que permite a repatriação do dinheiro de parentes de políticos. E não se expôs. Jogou apenas com a incompetência da oposição.

Os membros da apodrecida cúpula do PMDB precisam ser julgados. Enquanto estiverem no poder, estarão tramando uma volta ao passado, porque é esse o território em que enriqueceram. Eles sabem que nada é tão fácil como antes, caso contrário Sérgio Cabral estaria em Paris aquecendo o bumbum em privadas polonesas.

O problema no Brasil é julgar para gente com foro especial. O Supremo é um órgão atravancado por milhares de processos.

Uma razão a mais para julgar os políticos investigados com urgência é que estão legislando em causa própria. Depois de tantas investigações, tanta gente na rua, é incrível que o Brasil continue sendo dirigido pelo mesmo grupo que o assaltou.

É inegável que houve avanços, muito dinheiro foi restituído. Dirigentes do PT estão na cadeia, assim como alguns do principais empreiteiros do País. Entretanto, quem conseguiu escapar até agora organiza a resistência, prepara-se para o combate e só descansará quando puder de novo roubar em paz.

Esta semana me lembrei do Glauber Rocha. Num de seus diálogos mais geniais, um personagem dizia: “Já não sei mais quem é o adversário”. Se a sociedade e a Justiça tiverem dúvidas sobre quem é, podem pagar caro por essa hesitação.

O movimento inspirado por Calheiros e iniciado com êxito na Câmara é, no fundo, uma provocação irresponsável. O Congresso, recentemente, já foi invadido por gente indignada com a corrupção. Toda a luta pelo impeachment foi conduzida de uma forma pacífica. Todavia se torna mais difícil evitar a radicalização, uma vez que deputados e senadores já mal podiam andar pelas ruas antes mesmo de golpearem a Lava Jato.

Será preciso muita habilidade e paciência para julgá-los e prendê-los. Se isso não for feito logo, o Brasil merecerá o nome que Ivan Lessa lhe dava nos seus textos bem-humorados: Bananão. Não nos deixam outro caminho senão lutar com todas as forças, como se tivéssemos sido invadidos por alienígenas de terno e gravata.

Depois de nove anos, o primeiro inquérito em que Renan Calheiros é acusado finalmente entrou na pauta do Supremo para ser julgado. O silêncio dos ministros ao longo de todos esses anos contribuiu para que ele se sentisse impune. Se escolheram esta semana para absolvê-lo, então aí terão, ainda que involuntariamente, se tornado numa força auxiliar do crime político. Se condenado na primeira ação, Renan começará a arrumar as malas para Curitiba. Lá nasceram os demais inquéritos e lá já estão outros que deliram com riqueza e poder. Como Eduardo Cunha.


Renan Calheiros diz que pressão para que a Câmara não proteja corruptos viola o Estado de Direito; veja

Renan Calheiros diz que pressão para que a Câmara não proteja corruptos viola o Estado de Direito; veja:
renan-congresso.png
Imagem: Reprodução / Youtube
Aparentemente, o stress está deixando alguns parlamentares confusos. Renan Calheiros declarou que não pode haver pressão externa sobre a Câmara, pois isso deporia contra o Estado Democrático de Direito. 

Mais informações »

SOBRE A MANIFESTAÇÃO DO DIA 4 DE DEZEMBRO


6 milhões de pessoas nas ruas do Brasil PODEM fazer uma Organização Criminosa como aquela que existe dentro do Congresso Nacional derrubar uma MARGINAL como Dilma Rousseff, mas NÃO podem fazer com que esta mesma Organização entregue-se "democraticamente" aos braços do Ministério Público e da Polícia Federal. 

4 de dezembro de 2016, mesmo que coloque 10 milhões de brasileiros nas ruas, já nasce fracassado. 

Sinto muito escrever isto, espero estar errado e presto aqui minha homenagem e reconhecimento ao esforço e coragem daqueles que pensam diferente e que vão estar nas ruas neste domingo.