"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

RESPEITE O DR.SÉRGIO MORO, SEU VAGABUNDO !!

Este sem-vergonha na foto ao lado é o tal Juarez Cirino dos Santos, o advogado que vem defendendo o vagabundo petista e chefe de quadrilha que destruiu a Nação - é ele que vem, sistematicamente, faltando com o respeito e provocando o Dr.Sérgio nas audiências em Curitiba.

13/12/2016

Tamanho fonte: A+ A- A

O Globo

RIO - Roberto Veloso, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) denunciou hoje os ataques feitos pelos advogados de Lula contra o juiz Sérgio Moro. Nesta segunda-feira, Moro discutiu com Juarez Cirino dos Santos, um dos defensores de Lula no processo da Lava-Jato. Os dois elevaram o tom de voz na discussão. O advogado afirmou que Moro não o respeitava como defensor, e que o juiz atuava como "acusador principal".

"O que aconteceu na audiência de Curitiba faz parte da estratégia deliberada da defesa do ex-presidente Lula de retirar o juiz federal Sérgio Moro da condução do processo da Lavajato" afirmou, em nota, o presidente da Ajufe.

Veloso continuou:

"Essa tentativa demonstra a ausência de argumentos para desconstituir as provas juntadas nos autos pelo Ministério Público".

A nota termina dizendo que Moro tem dado um exemplo ao Brasil. “Por isso, damos total apoio ao magistrado condutor da Lavajato”, conclui.

DISCUSSÃO ACALORADA

O desentendimento entre Moro e Juarez Cirino dos Santos, na segunda-feira, ocorreu devido a uma pergunta feita pelo procurador Paulo Roberto Galvão de Carvalho para a testemunha Mariuza Aparecida da Silva Marques, engenheira civil da OAS que trabalhou no tríplex cuja propriedade o Ministério Público Federal atribui a Lula como forma de pagamento de vantagens indevidas da empreiteira ao ex-presidente. Galvão de Carvalho questionou Mariuza se, durante uma visita que a ex-primeira-dama realizou ao imóvel, Marisa Letícia foi tratada como possível compradora ou alguém a quem a propriedade já havia sido destinada. Uma das advogadas, então, questionou Moro, que rejeitou o protesto da defesa e pediu que não fossem feitas novas intervenções.

Após o procurador repetir a pergunta, Juarez Cirino do Santos voltou a protestar contra a pergunta e Moro afirmou que o advogado estava sendo inconveniente.

Não foi a primeira vez que o juiz Sérgio Moro e os advogados do ex-presidente discutiram durante as audiências. Desde os primeiros depoimentos, a defesa tem feito uma série de protestos às perguntas feitas pelos procuradores, acusando-os de induzir as testemunhas. Além disso, a defesa pediu que aqueles que tivessem assinado um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal não fossem aceitos como testemunhas. Os pedidos foram negados por Moro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.