"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Porto Alegre, a "Pyongyang dos Pampas" tem manifestação contra a condenação de VAGABUNDO PETISTA Lula

Manifestantes protestam em Porto Alegre contra a condenação de Lula:

Manifestantes protestam em Porto Alegre contra a condenação de Lula
Após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser condenado a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, manifestantes se reuniram na noite desta quarta-feira (12), em frente ao diretório municipal do Partido dos Trabalhadores, no bairro Cidade Baixa, para protestar contra à decisão do juiz Sergio Moro.

Os participantes do movimento, que começou por volta das 17h30min, se concentraram no local em uma vigília simbólica em apoio ao petista. Alguns carregavam bandeiras do PT.

— Lula é meu amigo! Mexeu com ele mexeu comigo — gritavam.

Leia mais Lula é condenado a nove anos e meio de prisão em caso do triplex do Guarujá
Procuradores querem o dobro de pena para Lula
Lula será preso? Ficará inelegível? Veja respostas sobre o caso

O presidente do PT em Porto Alegre, Rodrigo Campos Dilelio, disse que a decisão de Moro "não surpreende ninguém" e é "eminentemente política". Dilelio afirmou que o ato desta quarta-feira pretende mostrar a inconformidade com o "estado de exceção pelo qual passa o país" e dar início a uma vigília permanente.

— (A decisão) sinaliza o início da campanha política de 2018, pois se tem um medo imenso de que o Lula se dirija ao povo brasileiro com uma plataforma que seja capaz de recolocar o Brasil nos trilhos — disse.

Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Os manifestantes confeccionaram cartazes com frases de apoio ao ex-presidente. Oradores se intercalam para fazer discursos no local.

O ato em apoio a Lula motivou reações variadas de quem passava pela rua. Alguns motoristas buzinavam com gritos de apoio. Outros, criticavam: "Lula ladrão", gritou o ocupante de um veículo que passou no local.

A movimentação de pedestres começou a aumentar entre o fim da tarde e o início da noite. Em determinado momento, um ciclista que tentava ingressar em um imóvel vizinho ao diretório do partido passou próximo dos manifestantes na calçada, o que gerou desconforto entre o grupo. O ciclista chamou os participantes do ato de "vagabundos", o que revoltou um dos manifestantes, que foi tirar satisfações. A situação gerou um breve bate-boca, com troca de ofensas de ambos os lados, mas em seguida a confusão foi desfeita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.