"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

terça-feira, 13 de abril de 2021

13 de Abril de 1742: Estreia 'O Messias', do compositor Georg Friedrich Händel

1h

por Carla Brito via Estórias da História

No dia 13 de abril de 1742, estreou em Dublin, na Irlanda, o mundialmente famoso oratório O Messias, do compositor alemão naturalizado cidadão britânico, Georg Friedrich Händel. A monumental obra — com 51 movimentos divididos em três partes e mais de duas horas de duração — foi escrita em apenas 24 dias, evidenciando o génio e o brilhantismo do músico. Entre os seus admiradores estava Ludwig van Beethoven.
A inspiração para compor O Messias foi provocada por um editor chamado Charles Jennens, devoto e cristão evangélico profundamente preocupado com a crescente influência do deismo e das linhas de pensamento nascidas com o Iluminismo que ele e outros viam como anti-religiosas.
Servindo-se de fontes como a Bíblia do Rei James e o Livro de Orações Usuais, Jennens compilou e editou uma síntese concisa da doutrina crista, das profecias do Antigo Testamento quanto à vinda do Messias através do nascimento, crucificação e ressurreição de Jesus Cristo e então da prometida Segunda Vinda e o Dia do Juízo Final.
Jennens levou o seu libreto ao amigo Händel e propôs-lhe que o seu trabalho fosse a base de um oratório com a expressa intenção de ser apresentado num local secular durante a semana que precedesse a Páscoa.
O Messias seria dirigido diretamente ao público que compareceria no teatro em vez de igreja, durante a Semana Santa para lembrá-lo da sua fé e do seu possível destino.
Esta didáctica missão pode ter inspirado Jennens a escrever o Messias mas é de justiça dizer-se que a música de Händel é o que fez essa obra-prima ser intemporal e inspiradora.
A obra O Messias somente conquistou ampla popularidade durante os últimos anos da vida do compositor, no final da década de 1750, todavia permanece como uma das obras musicais mais conhecidas do período barroco. Georg Friedrich Händel desde cedo mostrou notável talento musical e, a despeito da oposição do pai, que o queria advogado, conseguiu frequentar aulas de música. A primeira parte da sua carreira foi passada em Hamburgo, como violinista e maestro da orquestra da ópera local. Posteriormente, viajou para Itália, onde conheceu a fama pela primeira vez, apresentando várias obras com grande sucesso e entrando em contacto com músicos importantes. Em seguida foi indicado mestre-capela do Eleitor de Hanover, apesar de passar grande parte do seu tempo em Londres.
Fixou-se definitivamente em Londres, e ali desenvolveu a parte mais importante de sua carreira, como autor de óperas, oratórios e música instrumental. Quando adquiriu cidadania britânica adoptou uma versão anglicizada do seu nome, George Frideric Handel.
Tinha grande facilidade para compor e a sua vasta produção compreende mais de 600 obras, muitas de grandes proporções, entre elas dezenas de óperas e oratórios em vários movimentos. A sua fama em vida foi enorme, tanto como compositor quanto como instrumentista, e, em mais de uma ocasião, foi qualificado como "divino" pelos contemporâneos. A sua música tornou-se conhecida em muitas partes do mundo, foi de especial importância para a formação da cultura musical britânica moderna, e desde a metade do século XX tem sido revisitada com crescente interesse. Actualmente é considerado um dos grandes mestres do Barroco musical europeu.

Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imangens)




Retrato por Thomas Hudson, 1741


Página manuscrita de 'O Messias'




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.