"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

quarta-feira, 2 de junho de 2021

Médica que quase assumiu secretaria da Covid-19 depõe hoje à CPI

Médica que quase assumiu secretaria da Covid-19 depõe hoje à CPI:

A médica infectologista Luana Araújo depõe nesta quarta-feira, 2, à CPI da Pandemia. No início de maio, seu nome chegou a ser anunciado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, mas a nomeação foi cancelada nove dias depois.

O Radar Econômico revelou que Luana entregou o cargo ao ministro porque não aceitou “entubar” determinações vindas do Palácio do Planalto. Em audiência pública na Câmara dos Deputados na semana passada, Queiroga sinalizou uma possível interferência do presidente Bolsonaro no caso ao lembrar que vivemos em um regime presidencialista. A intenção da comissão é esclarecer esse mistério.

A CPI pretende ouvir Luana Araújo antes de uma nova oitiva com o ministro Queiroga, para conhecer a versão da infectologista sobre os motivos da mudança. A convocação de Luana Araújo havia sido requerida pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Humberto Costa (PT-PE) logo após o anúncio do cancelamento da nomeação.

“Isso aconteceu muito recentemente e ainda há dúvidas sobre o que fez o governo, o Ministério da Saúde, ao não nomear efetivamente essa pessoa. Há rumores de que seria pelo fato de que ela questiona vários pontos da condução política que o governo tem dado ao enfrentamento da pandemia”, disse Humberto.

No evento de 12 de maio em que sua nomeação foi anunciada, Luana Araújo disse que iria “coordenar a resposta nacional à Covid-19, em diálogo permanente com todos os atores”. Dez dias depois, em nota, o Ministério da Saúde afirmou que a pasta buscava “outro nome com perfil profissional semelhante: técnico e baseado em evidências científicas”.

A princípio, estava prevista para esta quarta uma audiência pública para ouvir médicos e pesquisadores contra e a favor do uso de drogas como a cloroquina no chamado tratamento precoce contra a Covid-19. Mas o depoimento de Luana foi antecipado devido à urgência do tema.

(com Agência Senado)

Um comentário:

  1. LUANA ARAÚJO, médica infectologista, com Mestrado na Universidade Johns Hopkins, que foi recusada pelo Governo Federal para assumir uma Secretaria no Ministério da Saúde, está tendo uma excelente performance em seu depoimento a CPI, por seus conhecimentos, pela segurança, honestidade e carisma !!

    ResponderExcluir

Sua mensagem será avaliada pelos Editores do Ataque Aberto. Obrigado pela sua colaboração.